**/

Home Blog Page 33

Juazeiro registra 103 novos casos positivos de COVID-19 . Acompanhe o boletim do dia

0

Prefeitura Municipal de Riozinho

O boletim epidemiológico da Secretaria Municipal da Saúde desta segunda-feira (21) registra 103 casos confirmados de COVID-19 em Juazeiro, uma taxa de 65% de testes positivos das 159 notificações realizadas no dia.

Com essa atualização o número de infectados chega a 7.237, dos quais 4.674 já apresentaram curas clínicas. Juazeiro chega a 22.482 testes realizados com 15.115 resultados negativos e aconteceram 132 óbitos desde o início da pandemia.

Dos pacientes positivados neste boletim, 59 são do sexo feminino e 44 do sexo masculino, com idades entre 08 e 60 anos e dois são profissionais de saúde. Um está internado e 102 encontram-se em isolamento domiciliar, sem gravidade.

Os resultados foram obtidos através de 98 testes rápidos anticorpo e 05 testes rápidos antígeno. Do total geral de casos confirmados, 4.044 são do sexo feminino, 3.192 do sexo masculino e destes, 345 são profissionais de saúde.

Em isolamento domiciliar agora são 2.420 pessoas e a quantidade de internados regulados pela rede municipal nas últimas 24 horas voltou para 11 pacientes, sendo 04 em UTIs e 07 em leitos intermediários.

O Hospital de Campanha permanece com 01 paciente em leitos intermediários e taxa de ocupação de 3%. As salas vermelhas da UPA continuam com ocupação zerada e os leitos intermediários da Unidade de Pronto-Atendimento também continuam com 03 pacientes e taxa de ocupação de 25%.

Confira a lista completa dos casos internados na Rede PEBA:

Alepe aprova reajuste de auxílio para mulheres vítimas de violência sob proteção do Estado

0
Foto: divulgação

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) publicou, na edição da quinta-feira passada (17), do Diário Oficial do Estado, parecer aprovando o projeto de lei enviado pelo governador Paulo Câmara àquela Casa, no dia 18 de novembro passado. O ato reajusta em 78%, o auxílio financeiro pago pelo Estado às mulheres em situação de violência doméstica e familiar, sob risco de morte, que estão sob a proteção nas casas abrigo de Pernambuco. Com isso, o valor passa de R$ 250,00 para 446,04 – atualizado anualmente com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

O parecer da Alepe cria a Lei Ordinária nº 1.717/2020, que altera o projeto de Lei nº 13.977, de 16 de dezembro de 2009. O auxílio é pago, em parcela única, às usuárias beneficiadas com a ação de apoio à transferência domiciliar previsto no art. 4º da Lei, com o objetivo de custear suas despesas básicas e emergenciais, tais como alimentação, hospedagem, vestuário, higiene pessoal, e de seus filhos ou dependentes menores de 18 anos.

A Lei do Abrigamento tem como fundamento a Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha), importante instrumento legal de garantia de direitos às vítimas de violência doméstica e familiar, que assegura às mulheres condições para o efetivo exercício dos direitos à vida, segurança, saúde, alimentação, educação, cultura, moradia, acesso à justiça e à cidadania, à dignidade e ao respeito e convivência familiar e comunitária. Também prevê, em seu art. 8º, medidas de assistência à mulher em situação de violência doméstica e familiar, por meio de um conjunto articulado e integrado de ações da União, Estados, Distrito Federal e Municípios.

A diretora de Enfrentamento da Violência contra a Mulher, da Secretaria da Mulher de Pernambuco, Bianca Rocha, explica que Pernambuco tem uma rede com quatro casas abrigo, localizadas em regiões distintas, com endereços sigilosos. “Essa lei prevê também o serviço 24h, composto por técnicos e policiais que se deslocam até a origem da ameaça e ofertam proteção à mulher, quer seja no deslocamento para um lugar seguro ou para uma casa abrigo, a depender da vontade da vítima. Durante esse processo de proteção, as mulheres têm suas demandas psicológicas, sociais e jurídicas atendidas, reconstrói o seu novo projeto de vida e, na ocasião do desabrigamento, é ofertada a parcela do auxílio financeiro”, conclui a diretora.

Caixa paga hoje auxílio emergencial para beneficiários do ciclo 6. Nesta segunda-feira tem mais pagamentos

0

A partir deste domingo, os valores podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos ou nas casas lotéricas, compras pela internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais

Caixa paga hoje auxílio emergencial para beneficiários do ciclo 6

ECONOMIA AUXÍLIO EMERGENCIAL

Cerca de 6,6 milhões de beneficiários do ciclo 6 nascidos em julho e agosto receberam ontem(20) R$ 2,1 bilhões em suas contas poupança sociais digitais. Desse total, 129,3 mil receberão R$ 77,6 milhões referentes às parcelas do auxílio emergencial, de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras). Os demais, 6,4 milhões, receberão as parcelas do auxílio emergencial extensão de R$ 300 (R$ 600 para mães solteiras), em um montante de R$ 1,93 bilhão.

A partir desse domingo, os valores podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos ou nas casas lotéricas, compras pela internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais.

Saques e transferências para quem recebe o crédito hoje serão liberados em janeiro. Os nascidos em julho poderão movimentar o dinheiro a partir de 15 de janeiro. Para os nascidos em agosto, o saque será liberado em 18 de janeiro.

O depósito na conta poupança digital para trabalhadores informais ocorrerá gradualmente até o próximo dia 29. O dinheiro será liberado conforme o mês de nascimento do beneficiário.

Hoje (21), cerca de 900 mil trabalhadores informais nascidos de janeiro a setembro serão incluídos no ciclo 6 e terão o benefício depositado nas contas poupança digitais. Os beneficiários nascidos de outubro a dezembro seguirão o calendário normal do ciclo 6. Os beneficiários desse lote extra, nascidos em janeiro e fevereiro, já poderão sacar o dinheiro. Para os nascidos de março em diante, a retirada seguirá o cronograma do ciclo 6, ocorrendo em dias escalonados ao longo de janeiro.

Também nestasegunda-feira, a Caixa faz o pagamento da última parcela do auxílio emergencial extensão para os beneficiários do Bolsa Família. Cerca de 1,6 milhão de pessoas com Número de Identificação Social (NIS) final 8 receberão R$ 422,2 milhões.

O pagamento do auxílio emergencial extensão aos inscritos no Bolsa Família começou no último dia 10 e vai até a próximaquarta-feira (23), conforme o dígito final do NIS. Durante todo o mêsde dezembro, mais de 16 milhões de pessoas cadastradas no programa e consideradas elegíveis vão receber, no total, R$ 4,2 bilhões.

Para quem recebe o Bolsa Família nada muda em relação ao calendário normal de pagamentos. O recebimento do auxílio emergencial extensão atende aos mesmos critérios e datas do benefício regular, permitindo a utilização do cartão nos canais de autoatendimento, unidades lotéricas e correspondentes Caixa Aqui, ou por crédito na conta Caixa Fácil.

Para o pagamento do auxílio emergencial extensão, os beneficiários do Bolsa Família tiveram avaliação de elegibilidade realizada pelo Ministério da Cidadania – conforme Medida Provisória nº 1.000, de2 de setembrode 2020 – e recebem o valor do programa complementado pela extensão do auxílio emergencial em até R$ 300 ou em até R$ 600, no caso de mães solteiras. Se o valor do Bolsa Família for igual ou maior que R$ 300 ou R$ 600, o beneficiário receberá o valor do Bolsa Família, sempre privilegiando o benefício de maior valor.

Nadadora paulista de 14 anos morre em decorrência da covid-19

0

Nadadora paulista de 14 anos morre em decorrência da covid-19

A nadadora Mariana Franklin Ferreira Silva, de 14 anos, morreu na noite de ontem (19), devido a complicações da covid-19, informou neste domingo (20) a Federação Aquática Paulista (FAP), em nota de pesar. A adolescente estava internada há dias no Hospital Regional de Presidente Prudente, no interior paulista.

Atleta da Associação de Pais e Amigos da Natação (Apan) de Presidente Prudente, Mariana Franklin disputou nos últimos dias 9 e 10 das provas do Campeonato Nacional Virtual de Integração, realizado em Santos (SP).Depois da disputa em Santos (SP), a equipe Apan Presidente Prudente ainda participou do Paulistão FAP, em Bauru (SP).

Em nota, a FAP lamentou a morte da alteta e afirmou que “todas as medidas de segurança foram tomadas e constantemente relembradas, orientadas e cobradas pela FAP em ambas as competições”.

Brasil chega a 186,7 mil mortes por Covid-19

0

São 7.237.350 casos registrados

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O Brasil registrou, nas últimas 24 horas, 408 novas mortes pela Covid-19, além de 24.680 novos casos da doença. Com isso, neste domingo (20) o país chega a um total de 186.773 mortos pela doença e 7.237.350 casos registrados.

 O levantamento não inclui dados dos estados de São Paulo –o mais populoso e que costuma ter os maiores números de mortes e casos– e Goiás, que não divulgou os dados até as 20h deste domingo (20).

São Paulo informou que não conseguiu fazer o processamento dos dados “devido a novas falhas no sistema do Ministério da Saúde, impactando a atualização dos casos e óbitos”, segundo a Secretaria de Saúde de São Paulo.

Falhas semelhantes foram reportadas pela secretaria também no último dia 16 de novembro, quando, mesmo sem a atualização paulista, o país alcançou quase mil óbitos e o segundo maior número de casos. Na ocasião, o Ministério da Saúde negou falhas.

Ainda de acordo com a secretaria, a taxa de ocupação de leitos de UTI está em 62% no estado e 67,3% na Grande São Paulo.

A Folha de S.Paulo procurou o Ministério da Saúde para saber se houve falhas no sistema, que afirmou que “não há problemas técnicos nos registros de novas notificações de Covid-19 no Sivep-Gripe”. A pasta esclarece que “a equipe técnica do DataSUS está realizando manutenção no sistema de consumo de dados dos estados. A previsão de normalização é no início desta semana.”

Já o balanço divulgado pelo Ministério da Saúde neste domingo registrou 25.445 novos casos e 408 novos óbitos nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, foram registrados 7.238.600 casos de Covid-19 e 186.764 óbitos no país.

Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Além dos dados diários, a Folha também mostra a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 765, aumento de 31% em relação a 14 dias atrás.

No comparativo entre as regiões, as regiões Sudeste e Sul registraram maior aumento de mortes, com variação de 40% e 23%, respectivamente.

Todas as regiões continuam com aumento da média móvel de mortes em relação a 14 dias atrás. Somente o Norte tem situação estável (com 13% de aumento).

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Previsão do salário mínimo sobe para R$ 1.088 em 2021

0

Salário mínimo deve passar de R$ 1.045 para R$ 1.088 em 2021, estima  governo | SINTRACOOP

O governo aumentou para R$ 1.088 a estimativa para o salário mínimo em 2021. O valor consta de mensagem modificativa ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do próximo ano, que deverá ser votado amanhã (16) pelo Congresso. O ofício foi enviado hoje (15) pelo Ministério da Economia.

O valor representa R$ 21 de aumento em relação à projeção de R$ 1.067 que constava da proposta do Orçamento Geral da União, enviada ao Congresso no fim de agosto. A medida deverá ter impacto de R$ 7,4 bilhões nas contas públicas em 2021. A alta deve-se a um repique da inflação e à revisão da projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), usado para cumprir o objetivo da Constituição de manter o poder de compra do salário mínimo.

Em agosto, quando os preços ainda estavam impactados pela crise da pandemia do novo coronavírus, a equipe econômica projetava que o INPC encerraria 2020 em 2,09%. No fim de novembro, a previsão saltou para 4,1%, após a alta no preço dos alimentos no segundo semestre.

Segundo o projeto da LDO, cada R$ 1 de aumento do salário mínimo eleva a previsão de gastos do governo em R$ 355 milhões. Isso porque diversos gastos, como o piso dos benefícios da Previdência Social, o abono salarial e o seguro-desemprego, estão atrelados ao salário mínimo. Dessa forma, a alta de R$ 21 impacta as despesas federais em R$ 7,4 bilhões.

De 2012 a 2019, o salário mínimo era reajustado por uma fórmula que seguia a variação do INPC do ano anterior mais o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) registrada dois anos antes. O mínimo de 2020 em diante passou a ser corrigido apenas pelo INPC do ano precedente, de forma a não descumprir a Constituição.

Informações do Diário de Pernambuco

Mega Sena teve dois vencedores

0

Duas apostas acertam as seis dezenas da Mega Sena e faturam R$ 26,7 milhões cada uma. Os números sorteados foram 12 – 14 – 28 – 42 – 45 – 55. A quina teve 93 apostas ganhadoras, que levam pouco mais de R$ 43 mil cada.

A quadra teve 6.837 vencedores – cada felizardo vai ganhar R$ 843. O próximo concurso será a Mega da Virada, no dia 31 de dezembro, que vai pagar R$ 300 milhões.

Câmara aprova auxílio para acesso gratuito de estudantes à internet

0

Internet de graça: Bem-vindo à era da modernidade

A verba deverá ser repassada em parcela única até o dia 28 de fevereiro de 2021 conforme o número de professores e de matrículas desse público-alvo.

Câmara aprova auxílio para acesso gratuito de estudantes à internet

A Câmara dos Deputados aprovou nesta sexta-feira (18) proposta que oferece acesso gratuito à internet para alunos e professores de escolas públicas do ensino básico. O texto destina R$ 3,5 bilhões para estados e municípios aplicarem em ações para a garantia do acesso à internet, em decorrência da pandemia de covid-19. A matéria segue para análise do Senado.

Segundo a relatora, deputada Tabata Amaral, a iniciativa deve beneficiar 18 milhões de estudantes de baixa renda e 1,5 milhão de docentes durante a pandemia. O texto prevê destinação dos recursos em duas frentes, para garantir tanto internet gratuita quanto tablets.

O dispositivo assegura a oferta mensal de 20 gigabytes de acesso à internet para todos os professores do ensino fundamental e médio das redes estaduais e municipais e alunos da rede pública do ensino fundamental e médio regulares vinculados ao CadÚnico pelo prazo de 6 meses, tomando como referência o preço de R$ 0,62 por gigabyte. Também serão beneficiados os matriculados nas escolas das comunidades indígenas e quilombolas.

Além da internet, a proposta prevê a aquisição de tablets para todos os professores do ensino médio da rede pública vinculados ao CadÚnico, tomando como referência o preço de R$ 520,00 por equipamento.

“Passados mais de oito meses desde o fechamento das escolas, parte dos estudantes continua sem ter acesso às atividades escolares oferecidas de modo remoto pelos sistemas de ensino, ou não consegue desenvolvê-las a contento, em razão de não disporem, em seus domicílios, de internet de banda larga, requisito mínimo do acesso com qualidade para fins educacionais, ou de equipamentos para se conectarem à rede”, afirmou Tabata Amaral.

Segundo estimativa da relatora da proposta, a oferta de 20 gigabytes mensais pelo prazo de seis meses para os 18.361.818 alunos da rede pública dos ensinos fundamental e médio regulares que pertencem a famílias que fazem parte do CadÚnico terá o custo de R$ 1,6 bilhão.

De acordo com Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Covid19), de outubro de 2020, o contingente de pessoas que frequentava a escola, mas não teve atividades naquele mês, foi de 6,1 milhões. A pesquisa também aponta diferenças discrepantes entre as regiões. No Norte, 29,3% das crianças, adolescentes e jovens que frequentavam a escola estavam sem acesso às atividades escolares, enquanto no Sul, Centro-Oeste e Sudeste os percentuais eram bem menores, 5,1%, 7,4% e 9,2%, respectivamente.

Segundo o texto, a verba deverá ser repassada em parcela única até o dia 28 de fevereiro de 2021 conforme o número de professores e de matrículas desse público-alvo. De acordo com a relatora, a conectividade será fundamental para garantir um modelo híbrido de ensino para alunos e professores em grupos de risco em 2021.

Com informação: Agência Brasil

Grave: Salvador tem 81% de ocupação de leitos de UTI: ‘Viveremos as piores semanas da pandemia’, diz secretário de Saúde

0


Aumento da procura por atendimento nas UPAs, 81% dos leitos de UTI ocupados e número de casos subindo. Esse é o cenário da pandemia do novo coronavírus em Salvador, cidade que já registrou 104.732 mil pacientes infectados pela Covid-19 e 3112 óbitos.

A tendência é o aumento desses números, conforme destacou o Secretário Municipal da Saúde (SMS), Leo Prates, em entrevista ao Jornal da Manhã desta sexta-feira (18). Ele acredita que com as festas de final de ano, a doença pode evoluir em todo o estado e prevê a chegada das piores semanas da pandemia.

“Nós viveremos, a partir da semana que vem, as cinco piores semanas da pandemia. O sistema público de saúde está num momento muito mais crítico do que no auge da pandemia, porque eu estou pressionado com outras doenças, com pessoas que não se cuidaram na pandemia, especialmente pessoas com AVC e com infarto”, relatou.
O secretário contou que, na quarta (16) e quinta-feira (17), visitou as UPAs de Salvador para acompanhar o serviço e atendimento à população. No local, ele percebeu que muitas pessoas têm ido às unidades em busca da testagem para viajar para o interior.

“As pessoas acham que testar, basicamente, [depois] você vai chegar lá ver seus parentes e está protegido. Não está protegido. Todo teste, mesmo do PCR, tem uma janela onde há um período da doença. No caso do PCR, por exemplo, é de três dias em que ele não detecta”.

“Então você precisa entender que a testagem não é garantia de que você não está com a doença, quer dizer que você, naquele momento, não desenvolveu a doença. Então, essa testagem para ver os parentes não é 100% segura”, destaca.

De acordo com dados disponibilizados pela plataforma da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), que concentra os dados da Covid-19 em toda a Bahia, de quarta para quinta-feira, Salvador teve 601 novos casos de pacientes com o covonavírus.

Além disso, Salvador está no topo da lista dos municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100 mil habitantes, com 23,06%.

A situação também é preocupante em toda a Bahia. No último boletim, o da quinta-feira, o estado registrou quase 5 mil novos casos em 24 horas.

Sobre os leitos, a Sesab aponta que 816 estão ativos na capital baiana. Do total, 658 estão ocupados, o que corresponde a uma taxa de ocupação geral de 81%. Os leitos de UTI adulto estão com 81% de ocupação. Já os de UTI pediátrica, 63% de ocupação. Com relação aos leitos de enfermaria, a capital baiana tem taxa de ocupação de 82% (adulto) e 78% (pediátrico).

G1 Bahia

Governo Federal lança programa para revitalizar bacias hidrográficas. Codevasf participa das atividades

0

O diretor-presidente da Codevasf, Marcelo Moreira, participou nA última sexta-feira (18) das atividades de lançamento, pelo Governo Federal, do Programa Águas Brasileiras, que busca garantir oferta de água, em quantidade e qualidade, por meio da revitalização das principais bacias hidrográficas do país.

A ação conta com a participação dos ministérios do Desenvolvimento Regional (MDR), da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Meio Ambiente (MMA), da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Controladoria-Geral da União (CGU), em parceria com estados e municípios.

“A água está presente em tudo. É um elemento essencial para vida e também um diferencial estratégico para o Brasil. Se preservada e explorada de maneira correta, é decisiva para a competitividade do País no exterior”, destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. “O Brasil precisa cuidar cada vez melhor de suas fontes hídricas para que seja possível a todos terem acesso em quantidade e qualidade suficientes para o consumo e as atividades econômicas, no presente e para as próximas gerações. Cuidar das nossas águas resulta em cuidar do presente e do futuro do Brasil”, ressalta.

O Programa Águas Brasileiras busca alavancar iniciativas de recuperação de áreas degradadas com o uso de tecnologias avançadas, em parceria com o setor produtivo rural. Também visa consolidar e recuperar Áreas de Preservação Permanentes (APPs), avançar nos mecanismos de conversão de multas ambientais e pagamentos por serviços ambientais e aprimorar medidas de gestão e governança que garantam segurança hídrica em todo o País.

O lançamento do programa nessa sexta-feira deu-se em duas etapas. Em Piranhas (GO), na parte da manhã, foi anunciado acordo de cooperação técnica entre os ministérios participantes da iniciativa para a criação da Plataforma Águas Brasileiras, que tem previsão de lançamento para julho de 2021. A ferramenta digital fará a conexão entre projetos para revitalização de bacias hidrográficas e organizações e empresas que desejem apoiar essas iniciativas.

O Governo vai atuar na mobilização de agentes, entidades, organismos e recursos que possibilitem a recuperação de áreas degradas nas bacias hidrográficas prioritárias e seus consequentes benefícios sociais e ambientais. O objetivo é que, a partir da plataforma, sejam viabilizadas ações de recomposição de matas ciliares, preservação de nascentes, restauração de áreas degradadas, tratamento de esgoto, água e destinação dos resíduos sólidos, entre outras.

“Nossa meta é viabilizar, com a iniciativa, o plantio de 100 milhões de árvores nas quatro bacias hidrográficas prioritárias, que são a do Tocantins/Araguaia, São Francisco, Parnaíba e Taquari. Essa ação é essencial para a recomposição das matas ciliares e para a proteção das áreas de recarga de nascentes”, afirma Marinho.

O programa tem ainda como foco a conscientização da sociedade e a mudança de mentalidade sobre a disponibilidade da água, mostrando que, se não houver cuidado, há risco real de desabastecimento, prejudicando as dinâmicas sociais e econômicas. “O recurso precisa ser preservado e utilizado com sabedoria e isso depende do envolvimento de todos. Precisamos de uma profunda transformação na percepção e no modo de cuidar desse ativo tão essencial para o País”, aponta o ministro.

Plantando Águas para o Rio São Francisco

Em Diamantina (MG), na parte da tarde, foi anunciado o acordo de cooperação técnica entre os ministérios participantes da iniciativa. Além disso, houve o lançamento do Projeto Plantando Águas para o Rio São Francisco, que busca atrair investimentos privados para ações de revitalização na bacia do “Velho Chico”. O Projeto conta com a parceria institucional do MDR junto ao Governo de Minas Gerais. Uma das primeiras ações será o plantio de espécies nativas em reserva da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

“O apoio e o reconhecimento de projetos coordenados pelos governos estaduais que buscam alavancar modelos de parcerias entre os setores público, privado e as organizações da sociedade civil para recuperar áreas degradadas e proteger fontes hídricas é também um dos pilares do Programa Águas do Brasil”, informa Marinho.

Além disso, na cidade mineira, houve anúncio da abertura de licitações, pela Codevasf, para dois novos projetos: a recuperação ambiental nas bacias dos rios Verde e Jacaré, na Bahia, contemplando 22 nascentes com previsão de plantio de 1.350 mudas; e ações de recuperação hidroambiental em 50 microbacias em Minas Gerais, beneficiando 115 municípios com a construção de barraginhas, proteção de nascentes e readequação de estradas vicinais. Os dois projetos contam com R$ 6,2 milhões de recursos já disponibilizados pelo MDR para início das ações.

O MDR anuncia, ainda, apoio aos estados de Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Sul, Pernambuco e ao Distrito Federal para elaboração de estudos e projetos de revitalização de bacias hidrográficas e áreas degradadas e ações de segurança hídrica. O investimento federal nas ações será de R$ 8,5 milhões, a serem repassados ainda em 2020.

Ascom Codevasf