Home Sem categoria Erasmo Carlos: entenda o que é paniculite, causa da morte do cantor

Erasmo Carlos: entenda o que é paniculite, causa da morte do cantor

673
0

Conhecido como Tremendão e o Pai do Rock Nacional, artista morreu nesta terça, no Rio

Erasmo Carlos recebia apelidos de 'Tremendão' e 'Gigante Gentil'
Erasmo Carlos recebia apelidos de ‘Tremendão’ e ‘Gigante Gentil’ Divulgação

Uma “paniculite complicada por sepse de origem cutânea” foi a causa da morte do cantor Erasmo Carlos, como consta o boletim médico divulgado pelo Hospital Barra D’Or, onde ele estava internado desde 2 de novembro. O artista faleceu nesta terça-feira, aos 81 anos.

Paniculite é a inflamação da camada de gordura que fica abaixo da pele. Seu principal sintoma é o aparecimento de caroços sensíveis e vermelhos.

A doença é caracterizada por nódulos macios e avermelhados que se originam na camada de gordura subcutânea. Eles tendem a ser grandes, medindo vários centímetros de diâmetro. Os caroços são mais comuns nas pernas e nos braços, mas podem ser vistos também nas nádegas, no tronco e no rosto, porém com menos frequência.

Pessoas com paniculite podem apresentar outros sintomas de inflamação generalizada no corpo, como febre, dores musculares e articulares e sentir indisposição. No caso de Erasmo Carlos, a doença foi piorada por uma sepse — inflamação generalizada que pode levar à falência dos órgãos.

A causa da paniculite ainda é desconhecida, mas ela pode surgir em pessoas com infecção, exposição a baixas temperaturas, lesão, lúpus eritematoso sistêmico, doenças pancreáticas, doenças inflamatórias — como doença inflamatória intestinal e poliarterite nodosa — e deficiência de alfa 1‑antitripsina (enzima cuja falta danifica os pulmões e o fígado).

Não existe um tratamento específico para a paniculite, mas podem ser administrados anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) para alívio da dor e da inflamação.(O Globo)

Previous articleCampeões mundiais em copa pelos grupos E e D; confira jogos desta quarta (23)
Next articleJustiça realiza primeira audiência com o acusado de matar a menina Beatriz, quase 7 anos após o crime