Home Sem categoria Qualquer Pessoa Pode Realizar uma Cirurgia Plástica?

Qualquer Pessoa Pode Realizar uma Cirurgia Plástica?

1620
0

Cada organismo possui suas particularidades e deve ser tratado com cautela. Nem todo mundo está apto a realizar uma cirurgia plástica, existem algumas regras e restrições que tornam possível ou não realizar o procedimento cirúrgico.

O cirurgião plástico da Clínica Libria, Dr. Hugo Sabath, explica que o primeiro passo é considerar se a mudança que se deseja realizar no próprio corpo é plausível, possível e necessária. A cirurgia plástica é um procedimento cirúrgico e deve ser encarado com seriedade, não como um tratamento de beleza que levará à perfeição. O lado emocional também deve ser observado, afinal, será mudado algo em sua aparência com o qual você já conviveu por algum tempo.

Em seguida, é preciso compreender a importância da realização de todos os exames prescritos pelo médico responsável, para identificar se o paciente encontra-se em total segurança para ser submetido a uma cirurgia plástica.

Conforme os resultados obtidos, exames pré-operatórios são solicitados para garantir a segurança do paciente na realização do procedimento anestésico/cirúrgico. Por exemplo, pacientes com menos de 40 anos e saudáveis que serão submetidos a algum procedimento mais “simples” não necessitam de nenhum exame complementar. Ao contrário daquele paciente idoso ou com história de doença cardíaca, diabetes ou asma que ganhará a solicitação de alguns exames para avaliar se a sua doença está controlada.

O que impede uma pessoa de estar apta para realizar uma cirurgia plástica? O cirurgião da Clínica Libria cita alguns fatores, confira:

Pacientes com doenças graves, como diabetes, pressão alta, doenças cardíacas ou depressão

Diabéticos podem fazer cirurgia plástica, desde que os níveis de glicose sejam rigorosamente controlados. Pessoas com o diabetes desregulado correm riscos maiores, por isto não é recomendável fazer nenhum tipo de cirurgia estética enquanto não houver controle adequado da doença. Caso contrário, são possíveis os riscos de poliúria, desidratação, distúrbios hidroeletrolíticos, maior predisposição a infecções, hemorragias e complicações na cicatrização.

Considerando a pressão alta, caso não seja tratada, é um problema de saúde que pode trazer sérias consequências ao coração, cérebro, rins e até à região ocular, já que envolve os vasos sanguíneos de uma forma geral. Por isso, a hipertensão não é considerada uma contraindicação para a realização da cirurgia plástica, desde que esteja controlada.

“Quem possui doenças cardíacas também pode realizar o procedimento cirúrgico, desde que seu exames com o cardiologista o libere para o procedimento. A pressão arterial precisa estar estabilizada.” alerta o Dr. Sabath.

Em relação à depressão, caso seja uma depressão leve a moderada não se contraindica, mas uma cirurgia plástica pode piorar o estado depressivo, assim a avaliação com um psiquiatra e psicólogo é bem-vinda e a cirurgia deve ser suspensa caso um desses profissionais não a indiquem.

Pacientes que fumam ou que ingerem muito álcool, também não são bons candidatos para as cirurgias plásticas

Fumantes podem realizar uma cirurgia plástica, o hábito em si não é um empecilho. Porém, é exigido alguns cuidados e a suspensão do cigarro por um determinado tempo, antes e depois da cirurgia. Esse período sem cigarro para cirurgia plástica é essencial para quem busca por uma recuperação melhor e com bons resultados.

O médico-cirurgião da Clínica Libria ressalta que o problema está na nicotina presente nos cigarros, ela é a responsável pela contração dos vasos sanguíneos. A toxina dificulta a irrigação do sangue até a pele, comprometendo a cicatrização e aumentando as chances de necrose, ou seja, a morte do tecido.

Como se não bastasse, o cigarro ainda compromete o sistema respiratório, deixando o paciente mais suscetível às infecções e ruptura de pontos, que podem acontecer, por exemplo, no caso de uma crise de tosse gerada pela ingestão de fumaça.

Tratando-se de bebidas alcoólicas, o corpo cria diversas ações para metabolizar e absorver o que foi consumido. E esse processo envolve diversos órgãos, principalmente os mais sensíveis, como cérebro, fígado e coração, sobrecarregando o nosso organismo. Se num estado normal o álcool já tem efeitos negativos no corpo, imagine nos preparativos ou na recuperação de uma cirurgia em que necessitamos toda a nossa energia para uma melhora mais rápida.

É recomendado pelo cirurgião ficar sem consumir bebida alcoólica quando for realizar uma cirurgia justamente porque para cada dose de bebida ingerida, o fígado produz quatro vezes mais urina do que normalmente faria. Isso aumenta a perda de água e causa desidratação da pele, fazendo da sua cicatrização um processo ainda mais longo e difícil.

“No momento da avaliação, é importante que você seja sincero ao responder as perguntas para o médico e falar abertamente sobre vícios ou medicamentos que utiliza. A decisão de fazer uma cirurgia plástica deve ser tomada com seriedade para garantir a sua saúde e os bons resultados do procedimento.” finaliza o cirurgião da Clínica Libria.

Mais Sobre Hugo Sabath: Clínica Libria

  • CRM – 131199
  • Graduação em Medicina – Universidade Católica Boliviana – UCB – Bolívia – Residência – Especialização em Cirurgia Geral – Hospital Universitário Japonês – Bolívia
  • Graduação em Medicina. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.
  • Orientador: UFRN -UFPB. – Residência – Cirurgia Geral – Hospital Stella Maris – Brasil
  • Residência – Cirurgia Plástica – Faculdade Medicina do ABC Hospital Santa Catarina
  • Reconstrução mamária com experiência na área de medicina , ênfase em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica. – AC Camargo
  • Cirurgião Plástico – Clínica Sabath Hospital Assunção, Hospital Brasil, Hospital Santa Catarina – Hospital São Luiz – Hospital Ruben Berta – Hospital San Gennaro – São Paulo, Brasil
  • Equipe Cirúrgica Pós Bariátrica – Grupo Ana Rosa Hospital Assunção, Hospital Brasil, Hospital Santa Catarina – Hospital São Luiz – Hospital Ruben Berta – Hospital San Gennaro – São Paulo, Brasil
  • Cirurgião Plástico – Reconstrução Mamária Hospital Oncológico de Santa Cruz de La Sierra – Bolívia Mutirão de Cirurgias Plásticas Reconstrutivas Hospital SAIDA – Líbano
  • Membro da FILACP
  • Membro Titular da Sociedade Boliviana de Cirurgia Plástica
  • Membro ISAPS
  • Membro Internacional Sociedade Americana de Cirurgia Plástica
  • Titulo de Especialista Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
  • Membro IPRAS.
  • Contatos da assessoria
  • WhatsApp (11) 911205695
  • Email: gabriela@rtacomunicacao.com.br

Previous articleAbono Salarial PIS/PASEP 2022: Saiba se você vai receber
Next articleFaculdade Senac promove Semana de Gastronomia em Petrolina. Começa nesta quinta-feira(20)