Home Sem categoria Professores da UFPE iniciam greve com entrega de carta ao reitor

Professores da UFPE iniciam greve com entrega de carta ao reitor

1710
0

Os docentes realizaram um ato na reitoria da instituição e entregaram ao reitor, Alfredo Gomes, um documento sobre o direito de greve e práticas antissindicais, elaborado pelo Comando Local de Greve (CLG)

Os professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) aderiram ao movimento de greve já deflagrado em outros Estados, após votação realizada na última quarta-feira (17).
 (Foto: Ketheryne Mariz/Adufepe
)

A greve dos professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) teve início nesta segunda-feira (22).

Por volta das 7h, a categoria se reuniu para um café da manhã e panfletagem na entrada do Campus Recife, na Cidade Universitária. Em seguida, os docentes realizaram um ato na reitoria da instituição, e entregaram ao reitor da UFPE, Alfredo Gomes, um documento sobre o direito de greve e práticas antissindicais, elaborado pelo Comando Local de Greve (CLG). Segundo a Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), o momento oportunizou o debate sobre o orçamento da universidade e outras questões relacionadas.
As ações continuam à tarde com a reunião do comando de greve na sede do sindicato para definir os próximos passos da mobilização e eleger o delegado que participará do Comando Nacional de Greve.
Em nota, a assessoria de comunicação da universidade afirmou que reconhece a legitimidade das pautas e respeita a decisão democrática do sindicato. Leia a íntegra:
“A gestão da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) foi comunicada através do Ofício nº 118/2024, da Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), sobre a deflagração de greve, prevista para iniciar no dia 22/04/2024 (hoje). As pautas apresentadas são: recomposição salarial dos docentes, ativos e aposentados, e recomposição do financiamento das universidades.
A greve é um dispositivo previsto constitucionalmente que implica em direitos e deveres e a UFPE reconhece a legitimidade das pautas e respeita a decisão democrática do sindicato e a autonomia de cada docente em aderir ao movimento grevista.
Greve geral dos funcionários federais da educação
Os professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) aderiram ao movimento de greve já deflagrado em outros Estados, após votação realizada na última quarta-feira (17).
A categoria exige reajuste salarial de 22,7%, seguindo a pauta nacional. 
Com a greve, cerca de 40 mil estudantes ficarão sem aulas, já que cerca de 3 mil docentes estão em paralisação de suas atividades. A paralisação afetará 111 cursos de graduação da universidade.(Diário de Pernambuco)