Home Sem categoria Picanha brasileira fica em 2º lugar como melhor prato do mundo, diz...

Picanha brasileira fica em 2º lugar como melhor prato do mundo, diz ranking

100
0

O prato conquistou o segundo lugar em um ranking com as 100 melhores comidas tradicionais do mundo, o Tasteatlas Awards 2022

O sabor e suculência inigualáveis da picanha brasileira conquistou o 2º lugar da lista de 100 melhores comidas tradicionais do mundo. O ranking foi divulgado pela conceituada premiação Tasteatlas Awards 2022. A carne bovina brasileira é conhecida em todo o mundo e não é à toa. O Brasil produz 9,7 milhões de toneladas de carne bovina por ano e exporta cerca de 25% para centenas de países, seguindo os padrões mais rigorosos e de qualidade do mercado.

Outro prato que também teve destaque nessa seleta lista foi a vaca atolada, famosa comida típica caipira de carne bovina, que ocupa a 29ª posição no ranking. Da região sul mato-grossense o prato conquista várias gerações com a combinação de carne e mandioca, sendo perfeito para os dias mais frios. Não é a toa! A comida era servida nas fazendas aos peões quando ocorria o remanejamento dos animais e usada para reestabelecer a força do pantaneiro, após atravessarem longos períodos chuvosos e dias mais frios.

Mas não é só a carne bovina que conquistou o mundo. O nosso pescado também é super apreciado, tanto que a moqueca está na 49ª posição do Tasteatlas Awards 2022. O prato, que pode ser feito com camarão, peixe como badejo, robalo, dourado e cação, lula e/ou mexilhões, é envolto em uma cama de pimentões, tomates e cebolas, e banhado por leite de coco. Não se sabe ao certo qual estado possui a origem dessa receita, os baianos afirmam que a receita se originou no estado com azeite de dendê e leite de coco. Já o Espirito Santos afirma que o prato é tradicional do estado e geralmente não leva o dendê. Independente disso, sabemos que o sabor e composição da moqueca é algo incomparável e que torna única a experiência com o prato.

Na 50ª posição, também tem prato brasileiro! E é uma mistura boa: feijão, carne seca, toucinho e farinha de mandioca ou milho. O famoso feijão tropeiro é típico dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás e representa a miscigenação da cultura brasileira com a portuguesa, indígena e africana, habitando no conceito nômade conhecido como Tropeirismo – atividade comercial que promove conexão entre polos do Brasil.

TURISMO GASTRONOMICO – Segundo dados divulgados pela Organização Mundial do Turismo (OMT) em 2022, a gastronomia é o terceiro principal motivo da realização de viagens em todo o planeta. Sabendo da importância do segmento, o MTur promoveu em São Paulo (SP) uma ação de benchmarking para observar boas práticas do destino que ajudarão na roteirização turística com base nas cadeias produtivas da gastronomia local.

Além disso, a agricultura familiar é um ingrediente notável que ganhou reconhecimento global por meio da culinária nacional. Promovendo a cultura da agricultura familiar o Ministério do Turismo apoia o projeto Experiências do Brasil Rural, criado desde 2021, possibilitando a capacitação, aperfeiçoamento e estruturação da promoção do comércio de produtos e serviços da agricultura familiar.

A iniciativa em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a Universidade Federal Fluminense (UFF), já contemplou mais de 100 agricultores familiares, 14 roteiros de turismo rural de nove estados, que envolvem cerca de 40 municípios do país e cerca de 130 empreendimentos.(O Globo)

Previous articlePrefeitura de Juazeiro divulga lista de contemplados do Auxílio Brasil no mês de janeiro
Next articleCovid-19: Petrolina inicia nesta quarta-feira(11) aplicação de 3ª dose da vacina em crianças com Pfizer pediátrica