Home Sem categoria Entenda a diferença entre ´Enem impresso` e ´Enem Digital`

Entenda a diferença entre ´Enem impresso` e ´Enem Digital`

246
0

Com a abertura das inscrições para a edição 2021 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nesta quarta-feira (30), muitos estudantes ficam em dúvida sobre a diferença entre as versões digital e impressa, qual a melhor escolha a fazer.

Para auxiliá-los nesse período de preparação para o exame, tido como a principal ‘porta’ de acesso ao ensino superior no Brasil, o Diário do Nordeste responde, a seguir, algumas dúvidas mais recorrentes. Confira:

O QUE É ENEM IMPRESSO E ENEM DIGITAL?

Considerado a principal forma de acesso ao ensino superior público e privado no Brasil, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (ProUni), o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é tradicionalmente aplicado no modelo impresso. A primeira aplicação ocorreu há mais de 20 anos, em 1998.

O Enem Digital, por sua vez, foi aplicado pela primeira vez em 2020, em modelo piloto. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão que administra o Enem, a implantação do Enem Digital será progressiva e a previsão é a versão em papel seja descontinuada em 2026.

Assim como na edição anterior, o Enem Digital segue, em 2021, a mesma logística da aplicação tradicional impressa. Apesar de digital, a prova não poderá ser realizada em casa ou por meio de computador pessoal. Portanto, nos dois modelos, o participante deverá comparecer aos locais de aplicação, definidos pelo Inep.

Os locais estarão indicados no Cartão de Confirmação de Inscrição, previsto para ser divulgado em novembro. A escolha pelo modelo a ser aplicado ocorre no ato da inscrição. Os participantes fazem provas de quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias, que ao todo somam 180 questões objetivas.(Ascom)

Previous articleAdeus amigo Ednar!
Next article11 anos sem Paulo de Britto