Home Sem categoria Em busca de melhores preços, mais de 10,6 mil empresas trocarão de...

Em busca de melhores preços, mais de 10,6 mil empresas trocarão de fornecedor de energia em 2024

883
0

Indústrias querem migrar para mercado livre de energia em 2024

Nova fase da abertura do mercado brasileiro de eletricidade começa em janeiro e tem potencial de beneficiar 165 mil consumidores de média e alta tensão, principalmente os de menor demanda, com faturas a partir de R$ 10 mil

Nova atualização da Aneel mostra que mais de 10,6 mil empresas já informaram às distribuidoras que vão migrar para o mercado livre de energia elétrica a partir de janeiro de 2024. Elas são beneficiadas pela Portaria 50/2022, do Ministério de Minas e Energia, que concedeu o direito de escolher o fornecedor de energia elétrica a todos os consumidores do Grupo A, composto por aqueles que são atendidos em média e alta tensão, a partir de janeiro de 2024.

O Grupo A tem cerca de 202 mil unidades consumidoras, principalmente empresas, que recebem energia em média e alta tensão. Dessas, mais de 36 mil já estão no mercado livre de energia, de forma que o potencial de migração é de aproximadamente 165 mil unidades consumidoras a partir de 2024.

Antes da Portaria 50/2022, apenas consumidores com demanda maior do que 500 kW estavam autorizados a migrar para o mercado livre de energia, onde fornecedores e consumidores negociam bilateralmente as condições do fornecimento, como prazo, fonte da energia, preços, flexibilidades e outras facilidades, produtos e serviços. Agora, os de menor porte passam a poder participar também do mercado livre de energia. Veja abaixo o perfil:

  Consomem mais de 500 kW (maior porte) Consomem menos de 500 kW (menor porte) Total
2024 547 10.048 10.593
2025 1 82 83
Total 548 10.130 10.676

Já os consumidores que recebem energia em baixa tensão estão inseridos no Grupo B, que somam 89 milhões, formado principalmente por residências, e seguem sem autorização legal para escolher o fornecedor de energia elétrica. No mundo, 35 países têm mercado livre de energia acessível a todos os consumidores.

“Já há mais de 10 mil consumidores, que são empresas industriais e comerciais de menor porte e que consomem energia elétrica em alta tensão, que fecharam contratos com novos fornecedores, comprando energia por prazos diversos, com significativa redução de preços, cujos descontos podem chegar a algo entre 30% e 40%”, explicou Rodrigo Ferreira, presidente-executivo da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).

Pequena empresa poderá trocar fornecedor de energia em 2024