Home Sem categoria 20 de Maio é dia de celebrar o `Profissional de...

20 de Maio é dia de celebrar o `Profissional de RH´. Os desafios da área de recursos humanos frente às atuais tendências do mercado de trabalho

764
0

Os desafios da área de recursos humanos frente às atuais tendências do mercado de trabalho 

Mais do que um departamento burocrático, responsável  por tarefas operacionais, como contratação e folha de pagamento, a área de Recursos Humanos (RH) de uma empresa é a que cuida e zela pelo principal capital da organização: o humano. Atuando nos bastidores das companhias e, assim, dando suporte necessário aos colaboradores, líderes e gestores na solução de problemas, o setor hoje assume um patamar importante na tomada de decisões, ocupando um papel extremamente estratégico.

Não à toa, novos desafios são impostos ao profissional nos dias atuais. Com as constantes transformações na  sociedade e, consequentemente, no mercado de trabalho, a exemplo de mudanças geracionais, novos formatos de trabalho e a própria evolução tecnológica, o setor também precisou se reinventar e se adaptar a estas novas demandas e tendências.

Segundo a head de Pessoas & Cultura da Runtalent, Simone Cipriano, é fundamental estar atento para que a atuação profissional dialogue com essas transformações e acompanhe a dinâmica corporativa. “Estamos vivenciando um momento bastante importante em que a humanização e outros aspectos para além do ambiente profissional passam a ser considerados dentro da gestão de pessoas, o que é fundamental, mas bastante desafiador”, comenta.

“Nesse sentido, um RH bem integrado à gestão é essencial para alinhar as estratégias organizacionais às necessidades dos colaboradores, promovendo um ambiente de trabalho adaptável e eficaz. Isso não só melhora a satisfação e o desempenho dos funcionários, mas também fortalece a capacidade da empresa de enfrentar desafios e aproveitar oportunidades. O bom é que atualmente temos cada vez mais ferramentas para isso”, explica Simone.

Dentre as principais transformações pelas quais o setor tem passado, a gestora destaca algumas:

1. Diversidade, equidade e inclusão

O RH hoje tem como responsabilidade a promoção de ambientes de trabalho verdadeiramente inclusivos e diversos em todas as suas formas. Isso não só implica na seleção e contratação diversificada, mas também na criação de culturas organizacionais que respeitem e valorizem  a singularidade de cada colaborador.

“Enquanto sociedade, estamos tomando consciência da necessidade de termos ambientes mais diversos e inclusivos. Neste contexto, o profissional de RH torna-se peça-chave ao ser um dos protagonistas em garantir que estes pilares se perpetuem dentro da empresa, não apenas atuando na contratação, como também, na sua sustentação, colaborando na formação de um ambiente seguro, saudável e agradável”, destaca a Head.

2. Cultura organizacional e employer branding 

Sabe-se que uma cultura empresarial forte é essencial para atrair e reter os melhores talentos. Um levantamento realizado pelo LinkedIn apurou que cerca de 75% das pessoas pesquisam detalhes e características das empresas antes de se candidatarem para uma vaga. A cultura forte também é de extrema importância quando se trata de relacionamentos internos entre empresas e seus colaboradores . Neste sentido, entra o conceito de employer branding, ou marca empregadora, que é o conjunto de técnicas, práticas e atividades implementadas para gerar uma percepção positiva da empresa enquanto ambiente de trabalho que possibilita não apenas atrair, como também reter talentos. Quanto mais a empresa mostra sua cultura e expressa seu posicionamento no mercado, mais atrativa ela se torna para colaboradores e grandes talentos.

3.  Transformação digital e automatização

O avanço tecnológico continua remodelando a forma com que realizamos nossas tarefas do dia a dia, e a área de RH não está imune a essas mudanças. A implementação de sistemas de gerenciamento de recursos humanos mais avançados, inteligência artificial e automação de processos torna-se fundamental para otimizar as operações do setor. Ao mesmo tempo, é preciso manter o equilíbrio, garantindo que a tecnologia aprimore, em vez de substituir, a conexão humana no local de trabalho. Estas tecnologias auxiliam também no que se refere à retenção de talentos e ao desenvolvimento dos profissionais, engajamento e motivação dentro da empresa.

4. Desenvolvimento de habilidades

As empresas precisam fornecer oportunidades de desenvolvimento de habilidades para seus funcionários para, assim, se manterem competitivas no mercado. Isso inclui treinamento em qualificações técnicas, em liderança e em habilidades interpessoais.

5. Promoção de saúde e bem-estar dos colaboradores 

No ambiente corporativo, a promoção do bem-estar dos colaboradores requer um conjunto de práticas e estratégias voltadas para assegurar a melhor experiência possível dos mesmos, de maneira que sua saúde mental e física não sejam prejudicadas devido alguma atividade, situação ou relacionamento.

O RH deve trabalhar pensando e desenvolvendo mecanismos que garantam essa estrutura. “Aqui na Runtalent, realizamos semanalmente ginástica laboral e mindfulness, além de palestras, campanhas e benefícios ligados à saúde mental, bem-estar, ergonomia, atividades que estimulam o convívio entre os colaboradores, entre outras ações”, comenta.

6.  Recrutamento e seleção

Com um mercado de trabalho que integra pessoas de diversos perfis, formações e qualificações, o processo de recrutamento e seleção tem sido cada vez mais competitivo e complexo.  Simone conta que frente a este cenário, mais do que escolher o profissional mais qualificado, é essencial entender aquele que tem o perfil da empresa. “É importante ter toda a atenção para que mais do que um profissional capacitado, a equipe de RH consiga fazer uma curadoria daqueles perfis de talentos que tenham valores e expectativas condizentes com a empresa contratante. Aqui na Runtalent, por exemplo, nós previamente realizamos a construção de um perfil que exemplifique bem o tipo de profissional que a empresa precisa, e durante o processo de contratação, selecionamos aquele que mais se alinha aos nossos valores”, explica a head.

Sobre a Runtalent

A Runtalent conecta profissionais de tecnologia aos desafios e estratégias das empresas, unindo métodos ágeis com acompanhamento e suporte para maximização dos resultados. A empresa oferece alocação de profissionais de TI, serviços gerenciados e squads ágeis, e uma cultura centrada em pessoas, que resulta em uma nota excelente de 4,7 de avaliações no Glassdoor. São mais de 20 anos no setor de Tecnologia e mais de 8 mil profissionais alocados em projetos em cerca de mais de 200 empresas clientes, nacionais e multinacionais. Além disso, conta com um banco de talentos com mais de 15 mil profissionais especialistas em diversas áreas da Tecnologia.

Sobre Simone Cipriano

Simone Cipriano tem mais de 10 anos de experiência na área de recursos humanos com atuação focada em projetos de implantação e reestruturação da área; ações de change management, desenvolvimento de lideranças e times de alta performance. A profissional possui formação em Administração, com pós-graduação em Recursos Humanos, Dinâmica de Grupos, Coaching, Master em PNL, além de Consultora Comportamental da Metodologia DISC. Há dois anos, atua como Head de Recursos Humanos na Runtalent, onde é Embaixadora da Cultura e responsável pela jornada do colaborador, por meio da gestão das áreas de Desenvolvimento Humano e Organizacional; Endomarketing e Comunicação Interna, BPs e Operações de RH. Lidera, ainda, os comitês de ESG; Diversidade e Inclusão e Retenção