Home Sem categoria Uva do Vale do São Francisco é destaque internacional e segue ganhando...

Uva do Vale do São Francisco é destaque internacional e segue ganhando mercados pelo mundo

699
0

A região do Vale do São Francisco destaca-se na produção da bebida que tem como matéria prima o fruto da uva. Os chamados “vinhos tropicais” aqui produzidos ganham distinção no mundo vitivinícola em função do clima original desta região, que também lidera a comercialização para o mercado externo com as variedades do furto in natura.

No Vale do São Francisco são produzidos vinhos finos, espumantes, vinhos que vão dos aspectos licoroso aos brandy, além de sucos de uva integral.

Para conhecer mais sobre a diversidade e a qualidade desses produtos, o titular da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (Seagri), Leonardo Bandeira, participou, na manhã de hoje (06), de uma visita guiada pelos engenheiros agrônomos da Special Fruit, Fabiano Santos e Nadislene Alencar.

O secretário e sua comitiva foram ao packing house de uvas de mesa, referência da fruticultura local, através da marca Suemi, maior exportadora de uva do VSF. Pela tarde, durante a passagem pelo município de Casa Nova, na companhia da equipe técnica composta pela assessora da pasta, Keila Soares, e do diretor geral da ADAB, Lázaro Pinha, Leonardo conheceu a área da produção de uvas e vinhos da vinícola que pertence ao grupo Miolo, na fazenda Terranova.

Somente no ano de 2020, a região produziu mais de 800 mil toneladas de frutas, sendo a uva responsável por 7% desse montante. No Polo Agroindustrial de Juazeiro encontram-se os maiores produtores de uva do país, tendo alguns deles já alcançado mercados externos. A uva se destaca principalmente em Juazeiro (60,3% da produção), Casa Nova (37%), Curaçá (3%), apresentando uma produção de 55.198 toneladas, em uma área colhida de 1.980 hectares e um VBP (Valor Bruto da Produção) de R$ 219.5 milhões.

Atualmente o Vale do São Francisco exporta 95% de toda sua produção de uva, apresentando-se como região referencial no Brasil e no mundo por apresentar excelentes condições climáticas para o cultivo, o que garante ao produtor até duas safras por ano. Os vinhos do Vale do São Francisco têm como característica principal o alto teor de açúcar, resultado da exposição da fruta ao sol durante mais de três mil horas por ano. A qualidade dos vinhos vem sendo reconhecida com a conquista de medalhas de ouro e de prata em concursos nacionais e internacionais. Entre as variedades cultivadas, os seus Syrah já se comparam a alguns dos melhores exemplares da uva no mundo.

A produção de vinhos finos dos estados vizinhos Bahia e Pernambuco está concentrada no eixo Petrolina-Juazeiro, em particular nos municípios de Casa Nova, Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista, no chamado Submédio São Francisco. Essa região possui clima tropical semiárido, apresentando durante todos os ciclos temperaturas que possibilitam que os vinhedos irrigados com a água do Rio São Francisco produzam uvas em todos os meses do ano. A região produz conhecidos vinhos tropicais, com originalidade e identidade própria da região tropical.

Detalhes sobre o clima do VSF – Essa região possui condições climáticas ideais para a agricultura, garantindo ótimos resultados de produtividade, com temperatura média anual de 23° e duas estações bem definidas: uma chuvosa, com precipitações de até 1,8 mil mm/ano, seguida por mais cinco meses secos; luminosidade de até três mil horas ano; boa profundidade e drenagem dos solos dos cerrados; topografia plana permitindo mecanização intensiva e operações agrícolas mais eficientes.

Em Juazeiro, a área colhida com uva em 2020 foi de 1.125 ha, com uma produção de 33.303 toneladas e um rendimento médio de 29.603 kg/ha, apresentando um VBP de R$ 128 milhões. A estratégia de comercialização das frutas dessa região está quase toda voltada para atender ao comércio internacional, colocando o Vale na condição de maior exportador de frutas do Brasil. A demanda internacional vem crescendo a cada ano, motivando produtores e indústria a se especializarem ainda mais. Para isso, produtores, indústria e governo investem na moderna agricultura de exportação via produção integrada de algumas variedades.

Mais de 23 países estão no radar de exportação de vinhos produzidos em território baiano. Inglaterra, Espanha e Japão são exemplos de países que usufruem de parte da produção do Vale do São Francisco. Até pouco tempo, a Ucrânia também estava nessa lista, mas, por conta da guerra contra a Rússia, o processo de exportação para esse país segue paralisado. Toda essa relação comercial resulta em grande movimentação da economia local, com impactos positivos em várias áreas.

Ascom Seagri Bahia

Previous articleMulheres de Curaçá promovem empoderamento e geram renda através do beneficiamento da produção da agricultura familiar
Next articleUnivasf e IFBA promovem Feira Universitária de Ciências em Juazeiro (BA). Evento é nesta sexta-feira(8)