Categoria realiza assembleias para confirmar decisão contra a direção dos Correios, que se recusa a negociar. Trabalhadores também são contra a privatização

Carteiros: além de defender a manutenção de todas as cláusulas, os trabalhadores querem um aumento linear de R$ 300 por conta de aumento de produtividade, com reposição da inflação pelo índice IPCA-Dieese

São Paulo – Os carteiros realizam assembleias hoje (10) em diversos estados do país para decidir se entram em greve por tempo indeterminado, a partir das 22h. A mobilização foi convocada Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) e as assembleias são realizadas pelos sindicatos nos estados.

Segundo o diretor de Comunicação do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares de São Paulo, Grande São Paulo e zona postal de Sorocaba, Douglas Melo, há uma tendência para a greve ser aprovada nas assembleias de hoje. Em São Paulo, a assembleia será realizada na sede do CMTC Clube, no Canindé.

A categoria está em estado de greve em todo o país, porque a empresa não tem se mostrado disposta a negociar, nem mesmo com a entrada do Tribunal Superior do Trabalho (TST) como mediador. “A empresa informou na semana passada que não ia participar do processo com o tribunal”, disse Melo.

direção da empresa estatal pretende retirar 45 cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho, o que, segundo as estimativas de Melo, vão representar um prejuízo anual para cada trabalhador em torno de R$ 5 mil. A empresa também oferece apenas 0,8% de reajuste salarial. A data-base da categoria é 1º de agosto.

Além de defender a manutenção de todas as cláusulas, os trabalhadores querem um aumento linear de R$ 300 por conta de aumento de produtividade, com reposição da inflação pelo índice IPCA-Dieese. Os carteiros também reivindicam que os valores do acordo coletivo de trabalho sejam reajustados pelo percentual do reajuste salarial, entre outros itens da pauta da categoria.(Rede Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui