Home Sem categoria Sudene encomenda estudo sobre complexidade econômica da Bacia do São Francisco

Sudene encomenda estudo sobre complexidade econômica da Bacia do São Francisco

331
0

 (Foto: Divulgação/Ministério da Integração Nacional)

A Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), em parceria com o PNUD, realizou um processo seletivo para a elaboração de um Estudo de Complexidade Econômica. A iniciativa se trata de um Plano de Ação Estratégica para a Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco e a área de influência do Projeto de Integração do São Francisco (PISF), além da elaboração de um Plano de Ação Estratégico para a Bacia Hidrográfica do Rio Parnaíba. O contrato foi firmado com o Consórcio RHA-TECHNEVERTRAG e conta com o investimento de R$ 893 mil reais.

O estudo vai possibilitar a priorização de ações no curto, médio e longo prazos, com horizonte para os próximos 10 anos. Segundo a Coordenação-Geral de Cooperação e Articulação de Políticas (CGCP) da Sudene, esse projeto é considerado inovador no Brasil e terá o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE) como referencial orientador.

Bacia de São Francisco - Rio São Francisco e importância econômica

Serão elaborados sete produtos: Detalhamento Metodológico; Documento Preliminar de Estudo de Complexidade Econômica; Documento Final de Estudo de Complexidade Econômica; Análise Integrada das Políticas Públicas da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco e Área de Influência do PISF; Análise Integrada das Políticas Públicas da Bacia Hidrográfica do Rio Parnaíba; Plano de Ação Estratégico para Bacia do Rio São Francisco e Área de Influência do PISF; e Plano de Ação Estratégico para Bacia Hidrográfica do Rio Parnaíba.

A primeira entrega está prevista para os próximos 20 dias. A expectativa é de que o Documento Preliminar de Estudo de Complexidade Econômica auxilie, também, a construção de dados e análises de outros municípios da área de atuação da Sudene. O contrato assinado este mês terá vigência até 10 de abril do próximo ano.

Um dos eixos do PRDNE é a Segurança Hídrica e Conservação Ambiental, que contempla programas voltados para o PISF, considerada a maior obra de infraestrutura hídrica do País. São 477 quilômetros de extensão em dois eixos (Leste e Norte), que vão garantir a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba. Já a Bacia Hidrográfica do Parnaíba se estende pelos Estados do Maranhão, Piauí e Ceará, possuindo uma área de 331.857,98 km², que abrange 282 municípios, com uma população estimada de 5.070.390 pessoas.

Estudo do IBGE revela que a Bacia do São Francisco abriga fortes desigualdades socioespaciais

A expectativa é de que, ao final do projeto, o Estudo de Complexidade Econômica possa indicar setores estratégicos para a diversidade produtiva da região, e que os Planos de Ação Estratégico das Bacias auxiliem, na pactuação entre as diversas esferas do governo, a implementação de um desenvolvimento econômico e sustentável para os territórios”.(Diario de Pernambuco)

Previous articleCovid-19: Ministério da Saúde autoriza mais 411 leitos de UTI. Pernambuco na lista
Next articleServidores do Ibama denunciam que fiscalização ambiental está paralisada