Resultado de imagem para presente de grego

 

Mais um pedido chega à Casa Plínio Amorim com lembrete: Urgente Urgentíssima. Nesta terça (16), deverá entrar em pauta e provavelmente será aprovado pela bancada do prefeito, o Projeto de Lei do Executivo Municipal n° 025/2019 que determina o “aumento do percentual para 14% incidente sobre a totalidade da base de contribuição”, ou seja, aumento da contribuição dos ativos e aposentados de Petrolina.

O acréscimo vai ser muito sentido pelo contribuinte, já que saltará de 11% para 14%. A justificativa do prefeito de Petrolina, é que essa medida será para Petrolina se adequar a legislação previdenciária.

Os vereadores da Bancada de Oposição voltam a lembrar que Projetos de Lei do Executivo Municipal só chegam de última hora na Casa Legislativa para dificultar a análise dos edis, já que a bancada situacionista é a maioria e deixa passar todas as propostas do grupo político, obedecendo o líder político, sem pensar nas vantagens e desvantagens que atingem à população petrolinense. “É mais um PL danoso para os petrolinense que chegará a Câmara sem sequer a análise cuidadosa dos vereadores, que em tese tem a obrigação de legislar, de fiscalizar, mas obedecem o chefe político, sem se preocupar com o povo de Petrolina que os elegeu para os representar, mas nós da bancada de Oposição, somos em minoria, mas uma minoria responsável, e vamos continuar cumprindo nosso papel porque foi para isso que o povo de nossa cidade nos elegeu”, explica Valgueiro.

O PL foi enviado à Casa no último dia 10, para apreciação dos vereadores e logo em seguida deverá ser sancionado pelo prefeito de Petrolina.

Alepe

Recentemente, os deputados da Alepe aprovaram o PL que autorizou o Governo do Estado, aumentar a alíquota de 13,5% para 14% para os servidores ativos e aposentados do Estado de Pernambuco e na oportunidade, o deputado Antônio Coelho criticou o Governador Paulo Câmara ao taxar a mesma alíquota para todos os servidores. Todo ano Pernambucano joga pelo ralo R$ 3 milhões em déficit previdenciário. Acho positivo ter finalmente ter sido aprovado algum projeto da previdência, mas isso não é uma reforma previdenciária. A gente aumentou a alíquota e foi muito injusta, faz com que o servidor mais rico pague o mesmo que o servidor mais pobre, trecho do discurso do deputado que alfinetou o Governador de equalizar o percentual para ricos e pobres.

Esta é a razão pela qual a Bancada de Oposição de Petrolina quer saber. “E Petrolina só tem ricos trabalhando na prefeitura?”, finaliza Valgueiro, líder da Bancada Oposicionista de Petrolina. (Ascom)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui