No primeiro dia do II Encontro Semiárido e Educação foram discutidas políticas públicas para a região. Promovido pela Fundaj, evento é realizado até amanhã (25), em Petrolina

A Prefeitura de Petrolina em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco e a Rede de Educação do Semiárido Brasileiro (RESAB) deram início, nesta quinta-feira (24), ao II Encontro Semiárido e Educação: convergências, impasses e possibilidade. O evento, realizado no Hotel Nobile Suítes, em Petrolina, tem o objetivo de contribuir para a formação de políticas públicas e direcionamentos para o desenvolvimento de uma educação voltada para o semiárido. Até esta sexta-feira (25), mais de 300 representantes de cinco estados do país estarão deixando suas contribuições para o encontro.

Participaram da mesa de abertura o presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Antônio Campos; a vice-prefeita de Petrolina, Luska Portela; a representante do Ministério da Educação (MEC), Vanessa Matos; o diretor de Pesquisas Sociais, Carlos Osório; a Coordenadora do Centro de Estudos em Dinâmicas Sociais, Edilene Pinto e o Secretário Executivo da Rede de Educação do Semiárido (Resab), Edmerson Reis.

A vice-prefeita de Petrolina, Luska Portela, não escondeu a satisfação do município sertanejo sediar um evento dessa proporção. “É com imenso prazer que abrimos as portas de Petrolina para ser palco de debates propositivos, que sem dúvidas, alicerçarão o desenvolvimento de políticas públicas em todo o território do Semiárido Brasileiro. Tenho absoluta certeza que compartilhamos os mesmos desejos com os demais municípios que estão participando do evento. Se não mudarmos a educação, não seguiremos por outro caminho”, afirmou.

O presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Antônio Campos, ressaltou em suas palavras o papel transformador da educação no enfrentamento das desigualdades. “Faz toda uma diferença para o aluno do ensino fundamental, da educação básica ter um material didático em que ele vai aprender dentro de um contexto em que ele se vê ao estudar. Essa é uma forma de facilitar o conhecimento e chegar mais perto do aluno e da forma de aprender”, pontua.

O primeiro dia do evento contou também com as presenças da Philarmônica 21 de Setembro e do cantor Edenio Lima, que levaram ao público um repertório de afirmação da força do povo do semiárido nordestino. Entre as canções, “Gostoso Demais” e “Eu Só Quero um Xodó” do cantor e compositor Dominguinhos, além do Hino Nacional ao som dos instrumentos da orquestra centenária.

A programação contou ainda com um workshop para secretários de educação, uma conferência e grupos de trabalho. Os participantes ainda puderam adquirir produções literárias ligadas ao tema por preços populares. (Ascom)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui