A semana de Boas-vindas ao novo semestre letivo da Rede UniFTC, na vertical das Engenharias, foi encerrada na última sexta (14), com a aula magna “Na pandemia, há momento para Engenharia?”. A palestra aconteceu de forma virtual, na plataforma Blackboard, e foi ministrada pelo engenheiro civil, Gildeon Sena, que também é graduado pela UniFTC e consultor no segmento.

O engenheiro iniciou esclarecendo que sempre há momento para o profissional empreendedor. “Antes da pandemia o cenário das Engenharias já enfrentava mudanças de paradigmas. Já estavam ocorrendo modificações nas relações profissionais com a introdução de novas tecnologias. Os clientes deixaram de ser passivos e tornaram-se ativos, aqueles que investigam sobre o que desejam comprar. Com a pandemia as relações sociais e o mercado ficaram mais dinâmicos, as mudanças aconteceram mais rápidas e surgiram novas oportunidades”, informou.

De acordo com Sena, atualmente o profissional da área tem acesso à diversas ferramentas tecnológicas que antes não existiam. “A realidade virtual aumentada em tempo real, por exemplo, é um dos atributos modernos. Eu acredito que a base da Engenharia continua sendo a mesma, mas o perfil comportamental e as perspectivas mudaram. O profissional atual deve se reinventar e redescobrir-se, sendo cada dia mais inovador e empreendedor ”, completou.

Durante a palestra, o especialista ressaltou a importância de o engenheiro contemporâneo buscar alternativas ao “novo normal”, bem como seguir o desafio do empreendedorismo. “Com o mercado cada vez competitivo, deve-se fazer com que as coisas ocorram e não esperar que tudo aconteça. O engenheiro deve decidir e realizar. Empreender no Brasil é difícil, mas é possível implementar mudanças, buscando, dentro do mercado que atua, os anseios das pessoas e propor soluções e melhorias no negócio”, explicou.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2018, mais de 51 milhões de pessoas no país com idade de 18 e 64 anos empreendem no mercado, ou seja cerca de  38% da população brasileira. “O profissional das Engenharias deve pensar ‘fora da caixa’ e ver as possibilidades, sem ter medo de falhar ou correr riscos. Apontar o que está deficiente e trazer algo inovador. Lembre-se que o fracasso faz parte do processo e a persistência deve sempre existir”, afirmou Sena.

Gildeon Sena aproveitou para citar ‘cases de sucesso’. “Um engenheiro introduziu o QR Code num canteiros de obras para ter acesso aos projetos atualizados, representando economia na impressão de projetos e menos riscos na execução de plantas. Com esta atitude, o jovem profissional, que identificou esta oportunidade, captou em menos de 1 ano, clientes fora do Brasil e elevou o valor de mercado da empresa em 6 milhões ”, registrou.

O engenheiro inicia sua trajetória ainda na graduação com a formação de parcerias. “A postura acadêmica no decorrer do curso é importante, implicando dificuldades ou facilidades no surgimento de oportunidades para a carreira. Os recém-formados podem começar as atividades em home office e depois que as demandas aumentam, adquirir um escritório e atuar como pessoa jurídica. Importante se destacar e ser um especialista no nicho que escolher. Um generalista não possui autoridade em nada”, reforçou o palestrante.

A aula magna foi finalizada com indicações de segmentos que estão crescendo na área, como eles: Financiamento Habitacional, Projetos em Building Information Modeling (BIM), Gestão e Planejamento Lean Construction, Prevenção contra Incêndios, Licitação de Obras Públicas, Orçamentação de Obras e Docência.

A coordenadora dos cursos das Engenharias da UniFTC de Petrolina, Denise Almeida, falou do orgulho de ter o engenheiro civil, Gildeon Sena como egresso da UniFTC e reforçou a importância das tecnologias para o crescimento profissional “A palestra foi leve, objetiva e de fácil compreensão. Parabéns pelas ricas informações passadas aos alunos. Na área da Engenharia existe um leque grande de opções e a era digital veio facilitar a comunicação”, disse ela.

A aula magna virtual contou ainda com as presenças dos coordenadores dos cursos das Engenharias da Rede UniFTC, Flávio Santos Leopoldino (Faculdade UniFTC de Itabuna), Paschoal Molinari e Elton Goés (Centro Universitário UniFTC de Salvador).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui