Home Blog Page 253

Site do Detran PE ficará fora do ar para manutenção até a próxima segunda-feira (04)

0
Detran-PE suspende serviços no site para atualização do sistema e banco de dados

O site do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE), www.detran.pe.gov.br, ficará fora do ar a partir das 21h desta quarta-feira (30) e só retornará às 8h da próxima segunda-feira (4). De acordo com o órgão, isso será necessário pois a plataforma passará por um processo de manutenção do sistema, atualização das taxas e calendário do Licenciamento de 2020.

Segundo o Diretor de Atendimento do Detran-PE, Coronel Felipe Nascimento, essa é uma parada de rotina realizada todos os anos. “Para realizarmos essa rotina com segurança, necessitamos de pelo menos de 72 horas para manutenção e preparação do nosso banco de dados para o ano seguinte”.

Entre as ações realizadas estão o expurgo de informações, recriação dos índices e atualização das estatísticas, que permitirão após o retorno das funcionalidades do sistema, que os serviços fornecidos pelo site aconteçam de maneira mais eficiente e eficaz.

Governador Paulo Câmara faz mudanças no secretariado e convoca Geraldo Julio para o governo

0
Eduardo Campos, Paulo Câmara e Geraldo Julio são citados em delação sobre pagamento de R$ 14 milhões em propina » Blog do Joãozinho Teles
Paulo Câmara e Geraldo Julio

O governador Paulo Câmara anunciou , mudanças no secretariado estadual. Geraldo Julio deixa a Prefeitura do Recife neste dia dia 1º de janeiro de 2021 e assume a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico. O economista e professor universitário Marcelo Barros será o novo secretário de Educação. Barros era o atual diretor-presidente da Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE).

Antes de comandar a Prefeitura do Recife por oito anos, Geraldo Julio atuou na gestão do governador Eduardo Campos à frente das Secretarias de Planejamento e de Desenvolvimento Econômico. Geraldo é formado em Administração de empresas e servidor concursado do Tribunal de Contas do Estado. O atual secretário, Bruno Schwambach, vai se dedicar no próximo ano a um curso de alto nível na London Business School, na Inglaterra.

Marcelo Barros assume o cargo de secretário de Educação do Estado, em substituição a Fred Amancio, que foi para a Prefeitura do Recife. Formado em Economia e mestrado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Barros é professor da Universidade de Pernambuco (UPE). Até o momento, ocupava a presidência da Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE), a antiga Agefepe, desde o começo de 2019. 

Estão sendo designados para responder interinamente pela Chefia de Gabinete e pela Assessoria Especial do Governador, os atuais Secretários Executivos Alexandre Campelo e Alexandre Gabriel, respectivamente.

Retrospectiva: Coronavírus fez de 2020 o ano que não foi

0

Ainda que muitas dessas cenas tenham acontecido, a retrospectiva deste ano é muito menos diversa que as anteriores

MILÃO, ITÁLIA (FOLHAPRESS) – Se 2020 tivesse sido um ano normal, daquele velho normal, por esses dias estaríamos lembrando alguma celebridade olímpica superando recordes, megashows e exposições, discursos em grandes eventos públicos, aquela viagem memorável de férias, protestos nas ruas, conflitos entre países, ilustres mortos.

Ainda que muitas dessas cenas tenham acontecido, a retrospectiva deste ano é muito menos diversa que as anteriores. Quase tudo girou em torno do coronavírus, oficialmente identificado pela OMS em 31 de dezembro de 2019, após relatos vindos de Wuhan, na China, de uma estranha onda de “pneumonia viral”.

Nas semanas seguintes, começaram a aparecer notícias de contaminados pela “doença respiratória misteriosa” –assim foi o título do primeiro registro do jornal Folha de S.Paulo, em 17/1–, que passou a ser a Covid-19, causada pelo Sars-Cov-2, “o novo coronavírus”, que, enfim, virou apenas “o vírus”.

Na mesma velocidade em que se tornava famoso, ia cancelando tudo pela frente. A partir de março, sua circulação foi escancarada no Ocidente, e o patógeno interrompeu desde planos individuais até os maiores eventos globais. Por fim, dominou o debate –passamos 2020 falando dele.

O brexit, protagonista de antes, não deixou de existir, mas recebeu poucos holofotes. A separação entre Reino Unido e União Europeia foi oficializada em 31 de janeiro, mesmo dia em que a Itália declarou estado de emergência depois de um casal de Wuhan receber diagnóstico de Covid-19 após testes feitos em Roma.

Naquela data, começou o período de transição, durante o qual o governo britânico e o bloco europeu deveriam negociar e definir os detalhes das regras que vão reger a nova relação. O acordo só foi alcançado na véspera do Natal, uma semana antes do fim do prazo e depois de muita incerteza se ele realmente ocorreria, o que fez surgir a dúvida: teria o vírus atrapalhado o brexit?

“A pandemia sem dúvida interferiu nas negociações”, afirma Justin Frosini, professor de direito público comparado na Universidade Bocconi, em Milão. “Para a União Europeia, o brexit, até fevereiro, era a coisa mais importante do ano”, diz. “Inevitavelmente, o coronavírus deixou a UE alheia a outros acontecimentos.”

Para ele, ainda que essa negociação fosse difícil em qualquer situação, a pandemia interferiu no ritmo das tratativas, já que os negociadores-chefes, o britânico David Frost e o francês Michel Barnier, foram contaminados pelo vírus, forçando interrupções.

Além disso, a transferência das reuniões presenciais para as videoconferências pode ter deixado tudo ainda mais frio. “Não houve a possibilidade de tantas conversas pessoais, um momento mais descontraído, uma conversa frente a frente e a sós entre Bernier e Frost.”

Não só o brexit ficou sumido em grande parte do ano. Greta Thunberg, a ativista sueca de 17 anos que espalhou protestos contra a mudança climática por mais de 7.000 cidades, não poderia imaginar que não só os colégios ficariam fechados como as aglomerações se tornariam um dos maiores focos de contaminação.

Difícil, ao ver uma máscara jogada no chão ou a quantidade de embalagens dos pedidos de comida, não pensar que a emergência climática ganhou novas camadas.

O vírus levou os protestos ambientais para o mundo virtual, fazendo com que perdessem visibilidade, e obrigou o adiamento de eventos importantes, como a Conferência do Clima da ONU. Chamado de COP-26, o encontro deveria ter ocorrido em novembro em Glasgow, na Escócia, mas foi empurrado para 2021.

Nessa área, era um dos acontecimentos mais aguardados desde que o Acordo de Paris foi selado, há cinco anos, pois é nessa conferência que os países devem atualizar compromissos –espera-se que de forma mais ambiciosa– para reduzir a emissão de carbono.

Menos mal que a pandemia deu uma compensada. Com as quarentenas decretadas, houve diminuição drástica de deslocamentos e, em alguns países, da atividade industrial. A estimativa é que as emissões de CO caiam até 7% na comparação com 2019.

As viagens de avião foram arruinadas pelo vírus. Segundo boletim de novembro da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), o número de passageiros vai desabar 60% em 2020, com “somente” 1,8 bilhão de viajantes, mesmo volume de 2003.

“Reduzi muitíssimo as minhas viagens. Segundo meus programas de milhagem, em cerca de 90% a 95%”, conta o arquiteto italiano Carlo Ratti, que tem escritório em Turim (Itália), filiais em Nova York e Londres e trabalha no MIT (Massachusetts Institute of Technology), nos EUA.

Assim, o 2020 de Ratti foi se transformando, com queda de projetos e surgimento de outros, como as UTIs criadas em contêineres. Um dos maiores com a sua assinatura, o pavilhão da Itália na Exposição Universal de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, acabou adiado para outubro de 2021.

O evento, que ocorre a cada cinco anos em uma cidade diferente, é um colosso: tem seis meses de duração, participação de mais de 190 países e custos estimados em mais de US$ 8 bilhões. A expectativa, antes do vírus, era atrair 25 milhões de visitantes –três milhões a mais do que a feira anterior, em Milão.

Se o vaivém profissional foi afetado, o que dizer das viagens de lazer? Segundo a Organização Mundial do Turismo, agência da ONU, foram 900 milhões de turistas internacionais a menos de janeiro a outubro, na comparação com o ano precedente, queda de 72%, levando o setor a patamares de 30 anos atrás.

Os países se fecharam, o tráfego aéreo diminuiu bruscamente, e atrações foram desprogramadas. Outra vítima foi a Olimpíada de Tóquio, um dos adiamentos mais dramáticos ao acabar com a preparação de 11 mil atletas.

Um impacto que também será financeiro, já que o atraso de um ano vai custar aos japoneses mais US$ 2,8 bilhões, que se somam aos gastos do que deve ser a Olimpíada de verão mais cara da história.

E, se até esses grandes projetos foram derrubados pelo vírus, é difícil agora pensar que o Natal e o Ano Novo pudessem ter resistido. Na Europa, países como Alemanha, Itália, Espanha, França, Reino Unido e Holanda adotaram série de medidas, de toques de recolher a lockdowns nacionais, para limitar deslocamentos e comemorações e evitar que o período de festas faça subir ainda mais os contágios.

Mas, segundo a filósofa e escritora Michela Marzano, esse cancelamento tem significado mais profundo, por mexer com rituais. “Depois de tudo, praticamente um ano de pandemia, nós todos esperávamos poder viver um Natal ‘normal’. Gostaríamos de vivê-lo como um momento de reencontro e recomeço.”

Para Marzano, professora na Universidade de Paris-Descartes, a pandemia nos leva de volta à realidade, após anos em que deslocamentos foram vividos com intensidade. “Do ponto de vista filosófico, é a prova do fato de que tem coisas que não podemos controlar.”

Três dicas que ajudam a controlar a ansiedade. Blog serviço

0

Pequenos gestos que podem ajudá-lo a controlar este mal-estar

Três dicas que ajudam a controlar a ansiedade

A ansiedade é um estado que se caracteriza essencialmente por uma sensação profunda e avassaladora de medo, apreensão, mal-estar, desconforto, insegurança, estranheza do ambiente ou de si próprio, e pela sensação de que algo ruim preste a acontecer.

Conforme explica um artigo publicado no portal Minha Vida, além dos remédios usados para tratar este distúrbio, existem algumas atitudes que podem ajudar a atenuar a ansiedade. A saber:

1. Pratique atividade física

Um dos melhores métodos para controlar a ansiedade é fazer exercício. Tal deve-se ao facto de que a atividade física eleva a produção deserotonina, substância que estimula e aumenta a sensação de prazer.

E não é necessário praticar exercício intenso. Aliás, caminhar três vezes por semana, por pelo menos 30 minutos, já pode ajudar a controlar e a lidar com o distúrbio. O momento da caminhada, também pode ser aproveitado para ‘exercitar’ a mente, através de meditação ativa. Ou seja, a cada passo que dá, pensa. A caminhada é um movimento repetitivo e pode assim pensar nos pontos geradores de ansiedade que tem de trabalhar.

2. Tente controlar a respiração

De modo a diminuir as reações do sistema nervoso autônomo, é imperativo aprender a controlar a respiração. Isto pode ser feito compassando a respiração e inspirando lentamente pelo nariz, com a boca fechada. Quando inspirar, deixe o abdômen expandir-se, ou seja, estufe a barriga e não o peito. Em seguida, expire vagarosamente, expelindo o ar pela boca. Pode fazer isto em qualquer lugar e momento.

3. Coma alimentos ricos emtriptofano

Contra a ansiedade, consuma alimentos abundantes emtriptofano, um aminoácido precursor da serotonina, como por exemplo a banana e o chocolate preto. Pode também tomar o triptofano em cápsulas, juntamente com vitamina B6 e magnésio.

A taurina e a glutaminasão outros aminoácidos que podem promover o bem-estar. Ambos aumentam a disponibilidade doneurotransmissorGABA, ao qual o organismo recorre para controlar fisiologicamente a ansiedade.

Blog serviço. Vai descascar alho? Coloque-o no micro-ondas

0

Vai descascar alho? Coloque-o no micro-ondas (sim, leu bem)

O alho é um dos temperos que mais utilizamos na culinária, dando um sabor único à comida. Mais ainda, é uma excelente opção para substituir o sal e apresenta inúmeros benefícios para a saúde.

Porém, convenhamos que descascar alho não é a tarefa mais fácil do mundo…

Mas segundo o portal de culinária Tudo Gostoso, há um truque simples que facilita esse processo.

O que tenho de fazer?

Coloque a cabeça de alho num prato e leve ao micro-ondas durante 20 segundos. Após esse tempo,com muito cuidado retire a casca e vai ver como sai facilmente.