Home Sem categoria Nova rodada de sequenciamento não detecta presença da variante Delta em Pernambuco

Nova rodada de sequenciamento não detecta presença da variante Delta em Pernambuco

464
0

WhatsApp Image 2021-06-04 at 17.03.02

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) recebeu, na tarde desta sexta-feira (20/08), um novo relatório de circulação de linhagens de SARS-CoV-2, emitido pelo Instituto Aggeu Magalhães (IAM/Fiocruz PE). Esta nova rodada de sequenciamentos genéticos de pacientes que tiveram a Covid-19, não detectou, no conjunto de amostras biológicas analisadas, a linhagem Delta em pacientes do Estado de Pernambuco.

De acordo com o trabalho realizado pelo Instituto, das 157 amostras estudadas, 107 (68%) tinham a presença da variante Gama ou também conhecida como P.1, ratificando mais uma vez a sua prevalência em território pernambucano. O restante dos genomas analisados pertence a sublinhagens da linhagem original Gama: P.1.1 (21%); P.1.2 (1,3%) e P.1.7 (9%). As coletas são de pacientes de 53 municípios e foram realizadas entre os meses de junho e julho deste ano.

As amostras analisadas são de pacientes de todas as regiões pernambucanas, das cidades de: Agrestina, Araripina, Arcoverde, Belo Jardim, Cabo de Santo Agostinho, Cabrobó, Cachoeirinha, Camaragibe, Camocim de São Félix, Carnaíba, Carpina, Caruaru, Cupira, Custódia, Escada, Ferreiros, Flores, Ibimirim, Igarassu, Ipojuca, Ipubi, Itambé, Itapetim, Itaquitinga, Jaboatão dos Guararapes, Lagoa Grande, Limoeiro, Moreilândia, Olinda, Paulista, Pedra, Pesqueira, Petrolina, Recife, Sanharó, Santa Filomena, Santa Maria da Boa Vista, Santa Maria do Cambucá, Santa Terezinha, São Bento do Una, São Caetano, São José do Egito, São Lourenço da Mata, São Vicente Férrer, Serra Talhada, Sertânia, Tabira, Tacaimbó, Taquaritinga do Norte, Timbaúba, Tupanatinga, Tuparetama e Vertente do Lério.(Ascom PE)

Previous articleMaria Rita e Guilherme Arantes cancelam participação em disco de Sérgio Reis
Next articleCONTAG denuncia extinção do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e exigência de contrapartida em “programa substituto”