(Foto: Secom/Via Fotos Publicas)

Todos os estados estão aptos a emplacar veículos com o novo modelo da Placa de Identificação Veicular (PIV) no padrão Mercosul. Em primeira etapa, a nova placa se torna obrigatória nos casos a seguir: primeiro emplacamento de carros novos; para motoristas de veículos que já tem a placa antiga mas precisam mudar o município ou estado; se houver necessidade de uma nova placa em caso de roubo, furto, dano ou extravio.

“O novo modelo corrige equívocos da antiga placa Mercosul, diminui o custo e garante mais segurança” afirma Tarcísio Freitas, ministro da Infraestrutura. “Nós eliminamos todos os elementos da placa que a encareciam. Tiramos o chip e os elementos gráficos patenteados e, principalmente, abrimos para vários estampadores”, destaca.

O Governo Federal não estabeleceu preço único para a nova placa, deixando valer a livre concorrência. Os Detrans estaduais devem credenciar empresas capacitadas para estampar e para vender o produto ao consumidor final.

5 milhões de veículos já usam a nova PIV

O diferencial da nova Placa de Identificação Veicular em relação ao antigo modelo utilizado são os itens de segurança, como o QR Code, que possibilita a rastreabilidade, dificultando a sua clonagem e falsificação. O QR Code possibilita que smartphones façam a leitura do código e acessem um número de série, que vira uma espécie de CPF da placa.

A adoção do novo modelo também soluciona a questão da falta de combinações de caracteres para as placas do país, que se esgotariam em poucos anos. Com a novidade, de quatro letras e três números, serão permitidas mais de 450 milhões de combinações, o que, considerando o padrão de crescimento da frota de veículos no Brasil, pode valer por mais de cem anos.(Diário de Pernambuco)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui