Após notar que o Conselho Universitário (Conuni) iria acatar o pedido de impeatchment do vice-reitor temporário, Valdner Ramos, protocolados por um grupo de Conselheiros, o reitor pro-tempore,  Paulo Cesar Fagundes, propôs a formação de uma comissão entre membros do Conuni para corrigir os rumos administrativos quanto a  constituição de sua equipe e, com isso, respeitar as decisões do Conuni,  ou seja,  a execução da substituição de pro-reitores e demais ocupantes do primeiro escalão da Univasf.

A proposta do reitor ainda é vista ceticamente por parte da comunidade acadêmica uma vez que algumas outras propostas foram anunciadas ao Conuni pelo reitor temporário, mas não efetivadas.

Caso a negociação avance, alguns pro-reitores, o vice-reitor e outros ocupantes do staff da reitoria poderão ser substituídos.
A comunidade acadêmica aguarda a concretização da proposta e está curiosa em saber quem serão os substituídos.

Dentre os ocupantes que podem sair estão: Manoel Messias (Pro Reitor temporário de Ensino), Deranor Gomes de Oliveira (Pro Reitor temporário de Extensão), Luiz Mariano Pereira (Pró-Reitor de Gestão e Orçamento), Adriana Gradela (Pro Reitora temporária de Pesquisa e Pós graduação e Inovação), João Carlos Sedraz Silva (Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional), Roberto Jeferson  (Pró Reitor de Assistência Estudantil) e Valdner Ramos (Vice Reitor temporário). Este último é alvo do processo de impeachment que tramita no Conuni.

Especula-se que com essa sinalização, o Prof. Paulo Cesar Fagundes busca uma aproximação com o Conselho Universitário da Univasf, órgão que ficou desrespeitado desde o início da sua nomeação como reitor pro tempore pelo Presidente da República.

Em reunião realizada em 08 de maio o Conuni rejeitou a indicação ad referendum de pro reitores nomeados pelo reitor.

Aguardem novas informações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui