Home Sem categoria Mercado de trabalho: os 15 cargos em alta em 2021 no Nordeste

Mercado de trabalho: os 15 cargos em alta em 2021 no Nordeste

77
0

Algumas profissões têm maior possibilidade de demanda a partir de análises de mercado e tendências de contratações. (Foto: Pixabay/Reprodução)

A pandemia trouxe muitas mudanças no mercado de trabalho, necessidades das empresas e negócios que deixaram de ser essenciais e outras que se tornaram relevantes. O perfil profissional mais buscado também sofreu impactos, aumentando as contratações em setores estratégicos aos negócios. O PageGroup, referência em recrutamento especializado de executivos, fez um levantamento que aponta os cargos que estão em alta neste ano no Nordeste, com as profissões com maior possibilidade de demanda a partir de análises de mercado e tendências de contratações.

A lista é composta por cargos que contemplam o alto escalão, a média e alta gerência, além dos níveis técnicos e de suporte à gestão. “Com a pandemia e a necessidade de adaptar-se rapidamente, de lidar com incertezas e enxergar mudanças, alguns segmentos, como tecnologia, recursos humanos e finanças, registraram alta de demandas. Os perfis analíticos e estratégicos têm ganhado ainda mais destaque, assim como as habilidades de comunicação e gestão são requisitos de grande parte das oportunidades”, diz Marcelo Botelho, gerente executivo do PageGroup no Nordeste.

Lista dos 15 cargos em alta no Nordeste

Engenharia & Manufatura

Cargo: gerente de Saúde, Segurança e Meio Ambiente
O que faz: elabora as diretrizes referentes às áreas de Saúde, Segurança e Meio Ambiente das organizações.
Perfil da vaga: formação em Engenharia e, preferencialmente, Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho.
Motivo para a alta: a abordagem, para conscientizar colaboradores a se manterem produtivos e saudáveis, contempla desde a organização e disposição da estação de trabalho, até cuidados com ergonomia e saúde ocupacional, sobretudo com cuidados de saúde mental.
Média salarial: de R$ 14 mil a R$ 27 mil

Cargo: supervisor de Produção Industrial

O que faz: gestão das áreas de produção industrial. Deve garantir o processo de fabricação e manutenção corretiva do seu turno.
Perfil da vaga: experiência em gestão de processos industriais e é importante ter bagagem em gestão de times. Experiência com metodologias de melhoria contínua são necessárias.
Motivo para a alta: Com a pandemia, algumas indústrias precisaram congelar várias vagas, que serão repostas neste ano e o setor de produção é sempre muito demandado.
Média salarial: de R$ 6 mil a R$ 9 mil

Supply Chain

Cargo: gerente de Logística
O que faz: responsável por planejar o fluxo de movimentação dos produtos e manter interface com a produção.
Perfil da vaga: experiência com a gestão de equipes, boa comunicação e mentalidade estratégica.
Motivo para a alta: empresas estão investindo em inovação e redução de custos em suas operações, tanto as indústrias quanto o varejo, impulsionado pelo e-commerce.
Média salarial: de R mil a R$ 20 mil

Agronegócio

Cargo: gerente Agrícola/gerente de Fazenda
O que faz: gerencia as atividades agrícolas, deve garantir altos níveis de produtividade nas propriedades agrícolas e monitorar o controle de custos e investimentos.
Perfil da vaga: formação em Veterinária, Agronomia e Engenharia Agrícola, mas cresce número de graduados em outras áreas, como Administração. Relevante ter especialização ou MBAs com foco no Agronegócio.
Motivo para a alta: o agronegócio cresceu na pandemia e o direcionamento de cargos de gestão para profissionais do mercado intensificaram a demanda.
Média salarial: de R$ 10 mil a R$ 30 mil

Recursos Humanos

Cargo: gerente de Desenvolvimento Organizacional
O que faz: promove a mudança de cultura e clima organizacional, desenvolve as lideranças, implanta ou aprimora a avaliação de desempenho e desenvolve estratégias de recrutamento e treinamentos internos.
Perfil da vaga: gestão de equipes multidisciplinares, visão holística do negócio e excelente relacionamento interpessoal.
Motivo para a alta: com um mercado cada vez mais concorrido, as empresas que conseguem atrair e reter bons profissionais saem na frente.
Média salarial: de R mil a R$ 18 mil

Propriedade e Construção Civil

Cargo: gerente de Desenvolvimento de Negócios (Construção)
O que faz: prospecção de oportunidades de negócios para a organização na forma de terrenos, obras, reformas ou parcerias com outras instituições.
Perfil da vaga: formação em Administração ou Engenharia Civil. A experiência prática e a capacidade de captar as oportunidades são essenciais.
Motivo para a alta: as pessoas ficaram mais tempo em casa na pandemia, abrindo espaço para um mercado paralelo de obras e reformas.
Média salarial: de R$ 8 mil a R$ 20 mil + Remuneração Variável

Vendas

Cargo: gerente Regional de Vendas
O que faz: gerencia estratégias de vendas, participa do planejamento anual com o objetivo de cumprir metas e desenvolver novos negócios.
Perfil da Vaga: experiência com liderança, capacidade analítica, domínio da construção de políticas comerciais e do desenvolvimento de times de alta performance.
Motivo para alta: empresas estão focando na construção de um processo comercial bem definido para conquistar um maior equilíbrio entre canais e maior competitividade entre seus clientes e parceiros.
Média salarial: de R$ 15 mil a R$ 25 mil

Cargo: gerente de Desenvolvimento de Negócios

O que faz: planeja, executa e acompanha as metas de vendas e faturamento. Fomenta oportunidades de incremento de portfólio e carteira de clientes. Analisa comportamento da concorrência e tendências de mercado.
Perfil da vaga: capacidade analítica e visão holística do processo comercial, com interlocução com todas as áreas da empresa, visando a maior vantagem competitiva.
Motivo para alta: a área de desenvolvimento de novos negócios passou a ser vital. Quem consegue sair na frente com um novo produto/serviço tem vantagem competitiva.
Média salarial: de R$ 20 mil a R$ 30 mil

Cargo: coordenador de Distribuição

O que faz: atende o distribuidor e acompanha a performance da equipe de vendas. Realiza treinamentos e roteiros de visitas aos clientes e implementa estratégias de vendas.
Perfil da vaga: perfil analítico e estratégico, com boa comunicação e facilidade de manter relacionamentos interpessoais. Habilidades de negociação e disponibilidade para viagens.
Motivo para a alta: com a alta na relação de negócios entre indústrias e distribuidores, a busca por profissionais que gerenciem a parceria cresceu para garantir maior eficiência de vendas.
Média salarial: de R$ 5 mil a R$ 9 mil

Tecnologia da Informação

Cargo: gerente de Inovação
O que faz: gere a área de pesquisa e inovação para o desenvolvimento de soluções e processos internos; define e conduz estratégias para o incentivo à cultura de inovação.
Perfil da vaga: experiência em pesquisa de inovação e boa articulação com startups, domínio de Gestão do Conhecimento, Experiência do Usuário; Design Experience & Design Thinking.
Motivo para a alta: com a alta do trabalho remoto, a demanda por profissionais de Tecnologia com perfil direcionado para o resultado se fortaleceu.
Média salarial: R$ 18 mil a R$ 22 mil.

Cargo: Tech Recruiter

O que faz: atua na área de Recrutamento e Seleção, porém, é especializado em recrutar para vagas de tecnologia e desenvolvimento.
Perfil da vaga: experiência em recrutamento e seleção e entender a área de TI. Precisa estar sempre atualizado e possuir conhecimento sobre linguagens de programação e sistemas.
Motivo para a alta: Em busca de processos seletivos mais assertivos, as empresas passaram a buscar recrutadores especializados na área de tecnologia.
Média salarial: de R$ 3,5 mil a R$ 8 mil.

Cargo: analista de Segurança da Informação

O que faz: mapeia riscos; analisa medidas de segurança; executa o planejamento de métodos de proteção; identifica possíveis vulnerabilidades; sugere práticas para proteção de dados.
Perfil da vaga: foco na segurança cibernética, conhecimento sobre as tecnologias mais recentes e formação em Informática, Análise de Sistemas e Ciência da Computação.
Motivo para a alta: aprovação da LGPD e aumento dos ataques cibernéticos na pandemia, aumentou demanda por profissionais com essa qualificação.
Média salarial: de R$ 4,5 mil a R$ 7 mil.

Finanças

Cargo: Business Controller
O que faz: associa a outras funções fora da operação de finanças, atuando quase como um consultor. Possui relacionamento com áreas como logística, produção, vendas e marketing.
Perfil da vaga: criará planos de negócios e definirá maneiras de identificar lacunas e oportunidades nos processos da empresa, com foco na economia de custos e ganho de eficiência.
Motivo para a alta: as empresas observaram, especialmente em momentos de crise, a importância de ter profissionais com uma visão mais ampla do negócio.
Média salarial: de R$ 15 mil a R$ 30 mil.

Cargo: diretor Financeiro

O que faz: responsável pela área financeira, criação e análise do orçamento e planejamento de curto e longo prazos e manter relacionamento com bancos para tomada de crédito.
Perfil da vaga: perfil analítico, com visões gerais do negócio. É importante ter uma excelente interface/comunicação com C-Level, além de facilidade com o gerenciamento de riscos.
Motivo para a alta: diante da constante mudança do mercado de trabalho, as empresas buscam um profissional que traga bagagem e visão estratégica para transformar o negócio.
Média salarial: R$ 30mil a R$ 40 mil

Cargo: analista Fiscal

O que faz: executa rotinas contábeis, além de fazer a checagem de lançamentos fiscais, escriturações, apurações e declarações de impostos diretos e indiretos.
Perfil da vaga: facilidade para lidar com números, documentos e softwares. É importante ter formação em Contabilidade, além de entender de rotinas contábeis e tributos.
Motivo para a alta: a proposta de redução de custos tem chamado a atenção das empresas, a busca por profissionais do segmento se tornou ainda maior.

Média salarial: de R$ 3,5 mil a R$ 6,5 mil.

Informações do Diário de Pernambuco