Foi revestida de pleno sucesso a implantação de uma válvula no coração de um paciente sem precisar abrir o tórax, apenas por cateterismo, através da artéria femoral com uma pequena incisão na virilha. Passa muito bem de saúde o agricultor Lourival Maniçoba, de 69 anos, que vinha sofrendo com Estenose Aórtica e realizou há um mês o primeiro implante Transcateter de Válvula Aórtica (TAVI) do Vale do São Francisco.

O procedimento, realizado no Hospital Unimed de Petrolina por uma equipe médica multidisciplinar liderada pelos hemodinamicistas, Lucas Novaes e Rodrigo Cantarelli, teve a coordenação do chefe do Serviço de Cardiologia Intervencionista do IECAC – Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro, do Rio de Janeiro – RJ, Márcio Montenegro.
Considerado uma das maiores conquistas na área cardiológica em todo mundo, o procedimento que foi realizado pela primeira vez na França em 2003, possibilitou ao agricultor uma alta hospitalar após dois dias, e o que é melhor, sem os sintomas e os incômodos das fortes dores no peito, desmaios e falta de ar. “Saí do hospital Unimed andando, tranquilo e livre das dores que impossibilitavam até que eu lavasse a cabeça. Estou ótimo e disposto para tudo”, acrescentou Lourival, dizendo ainda que já voltou às atividades na fazenda onde planta cebola.

De acordo com o cardiologista intervencionista (especialista em cateterismo e angioplastia coronárias), Lucas Novaes, o período de recuperação da cirurgia convencional é de três meses com um tempo de internamento entre 7 e 10 dias. “Além de evitar o desconforto com a cirurgia de abertura do tórax, o Transcateter de Válvula Aórtica (TAVI), possibilita um tempo mínimo de internamento e de recuperação além de diminuir os índices de mortalidade em 25% em relação a cirurgia convencional no paciente com perfil de alto risco cirúrgico (conforme scores de avaliação pré-operatória)”, ressaltou.

Para o médico e diretor de marketing da Unimed VSF, Francisco Aires, o sucesso do procedimento, inédito na região, é uma resposta imediata aos grandes investimentos feitos com o Hospital. “Dispomos de todo um aparato tecnológico que vem permitindo avanços significativos no diagnóstico de doenças e na melhoria da qualidade de vida dos pacientes. Este procedimento, onde todos os passos dos médicos foram guiados por uma tela de raio X (acessando o coração através da veia femoral) só foi possível graças a uma moderna máquina de Hemodinâmica, única neste modelo no Vale do São Francisco”, concluiu Francisco Aires.(Ascom)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui