Home Sem categoria Estudantes da Univasf recebem prêmio e menção honrosa na 26ª Jornada de...

Estudantes da Univasf recebem prêmio e menção honrosa na 26ª Jornada de Iniciação Científica da Facepe

629
0

EDITAL FACEPE 26/2021

Os trabalhos de quatro estudantes da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) foram notabilizados na 26ª Jornada de Iniciação Científica da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe). Dois trabalhos, nas áreas de Engenharias e Ciências da Saúde, conquistaram o Prêmio Ricardo Ferreira ao Talento Jovem Cientista, que premia os melhores de cada grande área do conhecimento. As outras duas pesquisas receberam menção honrosa nas áreas de Ciências Agrárias e Ciências Biológicas. A cerimônia que divulgou os nomes dos premiados aconteceu no dia 1º de julho, de forma remota.

Os discentes Ariagildo Souza Lins, do curso de Engenharia Elétrica, e Monique de Lima Libório, do curso de Farmácia, receberam o Prêmio Ricardo Ferreira ao Talento Jovem Cientista. As estudantes Maria Clara de Macedo Neves, do curso de Ciências Biológicas, e Valéria da Silva Guimarães, do curso de Medicina Veterinária, tiveram seus trabalhos homenageados com menção honrosa.

Estudante do 9º período, Ariagildo Souza Lins recebeu o prêmio pelo trabalho “Rastreamento de paredes de carótidas em imagens de ecocardiografia através do método Viola-Jones”, orientado pelo professor Rodrigo Pereira Ramos, do Colegiado de Engenharia Elétrica (Cenel). Em sua pesquisa, Lins aborda o uso de técnicas de rastreamento em paredes de carótidas por meio do método de segmentação, que utiliza o algoritmo de detecção Viola-Jones. “A partir do rastreamento de carótida em exames de ecocardiografia, podemos extrair parâmetros que sejam úteis no pré-diagnóstico de doenças ligadas a ela”, explica.

Veterano na Jornada de Iniciação Científica da Facepe, Lins já havia recebido menção honrosa na 25ª edição do prêmio pelo trabalho “Segmentação de paredes de carótidas em imagens de ecocardiografia através do método Viola-Jones”, que auxiliou no desenvolvimento da nova pesquisa. “Esse prêmio para mim é um incentivo para dar continuidade aos meus trabalhos e um indicativo de que estamos seguindo pelo caminho correto, pois mostra que toda a dedicação e esforços investidos nessa pesquisa continuam trazendo reconhecimento”.

A “Avaliação do perfil de liberação in vitro de Hidrado de Morina a partir de nanoemulsão” é o título do trabalho premiado da estudante Monique de Lima Libório, orientado pelo professor Marigilson Pontes de Siqueira Moura, do Colegiado de Farmácia (CFarm). A pesquisa, que foi um dos destaques na área de Ciências da Saúde, aborda o perfil de liberação do hidrato de morina, um tipo de flavonoide que apresenta diversas propriedades benéficas tanto para plantas quanto para os seres humanos.

Monique, que está no 8º período, destaca a importância de ter sido premiada, pois desde criança sonha em ser cientista. “Vejo que o prêmio também é importante para mostrar aos demais estudantes que é possível fazer ciência no Sertão, mesmo em meio às adversidades e a tudo que estamos vivenciando, além de mostrar que os nossos sonhos são possíveis de alcançar”.

O trabalho desenvolvido pela discente do 4º período Maria Clara de Macedo Neves foi homenageado na área de Ciências Biológicas. Orientada pela professora Adriana Mayumi Yano de Melo, do Colegiado de Zootecnia (CZoo), a pesquisa tem como título “Comunidade de Fungos Micorrízicos Arbusculares associados ao cultivo de espécies de Palma Forrageira irrigadas com água de reuso” e avalia a ocorrência de Fungos Micorrízicos Arbusculares (FMA) em simbiose com genótipos de Palma Forrageira irrigados com água residual, além de avaliar o efeito da introdução do cultivo dos genótipos em área com vegetação nativa de Caatinga.

Segundo Maria Clara, ter recebido a menção honrosa traz a sensação de que os esforços para produzir o trabalho receberam reconhecimento acadêmico. “Isso é gratificante, pois é relevante para a ciência. Este reconhecimento me instiga cada vez mais a seguir a carreira acadêmica e a fazer parte da construção da ciência”, destaca.

A estudante Valéria da Silva Guimarães ingressou recentemente na Universidade. No 2º período, ela teve o trabalho “Influência da suplementação com Rutina na maturação de Oócitos oriundos de folículos secundários ovinos crescidos in vitro” homenageado na área de Ciências Agrárias. A pesquisa foi orientada pela técnica em laboratório Alane Pains Oliveira do Monte.

Para Valéria, a menção honrosa tem grande significado. “Isso mostra o reconhecimento do meu trabalho que foi desenvolvido junto à minha equipe. Além disso, mostra que estamos no caminho certo, buscando melhorias na área da Reprodução Animal para o Nordeste”, enfatiza.

26ª Jornada de Iniciação Científica da Facepe – Com o tema “Bicentenário da independência do Brasil: Novos paradigmas”, esta edição do evento aconteceu no período de 27 de junho a 1º de julho. No encerramento foram divulgados os nomes dos 12 vencedores do Prêmio Ricardo Ferreira ao Talento Jovem Cientista. Cada um dos premiados terá direito a um Auxílio a Participação em Congresso (ACP) Nacional, com valores equivalentes a passagens, diárias e inscrição. Além dos premiados, houve a entrega das menções honrosas a outros três melhores trabalhos de cada grande área do conhecimento. A jornada está disponível no canal de TV Facepe, no YouTube.(Ascom)

Previous articleEleição em pernambuco para Governador. Danilo e João iniciam grande arrancada da pré-campanha no Recife
Next articleCORONAVÍRUS. Brasil registra 56 mortes e 21,9 mil novos casos de Covid-19