A formação de pessoas solidárias, democráticas, capazes de ajudar o grupo no mesmo nível de importância do interesse individual e familiar. Estes são alguns princípios da educação cooperativista que vem ganhando corpo e dimensão no Vale do São Francisco a partir do trabalho de organizações a exemplo das cooperativas de crédito. Ideias básicas de ajuda mútua, autoresponsabilidade, democracia, equidade, igualdade e solidariedade, estão cada vez mais presentes no dia a dia de profissionais dos mais distintos segmentos. Gente que resolveu sair na contramão da dita sociedade individualista, competitiva e eficientista que impera nestes tempos de globalização e acesso à internet.

De acordo com o diretor da cooperativa de crédito Sicredi Vale do São Francisco, Edson Cavalcanti, na região que compreende os municípios de Petrolina – PE e Juazeiro – BA já é evidente, entre diversos grupos sociais, a clareza de objetivos e conteúdos em relação ao tipo de homem e de sociedade que se pretende formar.

 “Nossa cooperativa foi fundada e aprovada pelo Banco Central do Brasil com o nome de Unicred em 2001 com 22 sócios médicos e dentistas.Hoje, filiados ao Sistema Sicredi, contamos com 4.700 associados de todas as áreas produtivas da região, vamos ampliar nossa capacidade de atendimento com mais duas agências, uma em Petrolina e outra em Senhor do Bonfim – BA, atingimos a marca histórica de 117 milhões de ativos totais e vamos chegar a 200 milhões em 2020″, projetou.

Essa performance, ainda segundo o dirigente cooperativista, posiciona o Sicredi Vale do São Francisco entre as 116 melhores cooperativas do Sistema Sicredi Nacional. “Fruto de uma educação cooperativista que valoriza o capital humano em consonância com o atendimento das necessidades sociais e econômicas dos associados”, ressaltou.

Cavalcanti citou ainda o PCE – Programa de Cooperativismo nas Escolas, que vem sendo desenvolvido, já há alguns anos, em colégios do Rio Grande do Sul. “Ao estimular ou levar práticas cooperativistas para dentro da escola o professor cria uma nova ‘base pedagógica’ propondo a cooperação como princípio e sua prática como fundamento da educação. Uma proposta que queremos ver implantada no Vale do São Francisco muito em breve”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui