O neurocirurgião Liu Zhiming tinha 50 anos

Medical workers in protective suits attend to a patient inside an isolated ward of Wuhan Red Cross Hospital in Wuhan, the epicentre of the novel coronavirus outbreak

O diretor do hospital Wuchang, na cidade chinesa de Wuhan, centro do novo coronavírus, morreu hoje (18) de uma pneumonia resultante do Covid-19, informou o Diário do Povo, jornal oficial do Partido Comunista Chinês.

Liu Zhiming, neurocirurgião de 50 anos, é o primeiro diretor de um hospital a sucumbir à doença, informou o jornal.

O hospital administrado por Liu é um dos centros médicos especificamente designados para o atendimento de pacientes de Covid-19, na capital da província de Hubei, que foi colocada sob quarentena, em 23 de janeiro, com entradas e saída interditas.

Cerca de dois mil profissionais de saúde chineses foram infectados pelo novo coronavírus, e vários morreram, incluindo o médico Li Wenliang, que tentou alertar os colegas para um possível surto, mas que foi repreendido pelas autoridades chinesas por “espalhar boatos”.

As autoridades chinesas isolaram várias cidades da província de Hubei, no centro do país, para tentar controlar a epidemia, medida que abrange cerca de 60 milhões de pessoas.

Número de mortos e novos casos

O número de mortos devido ao novo coronavírus (Covid-19) na China continental subiu hoje para 1.873, ao mesmo tempo em que foram registrados 1.886 novos casos de infeção, na primeira vez, desde o início do surto, em que o país registra menos de 2 mil casos detectados por dia.

A Comissão de Saúde da China indicou que entre as 98 mortes ocorridas no país, 93 foram registadas na província de Hubei, centro do surto e onde várias cidades foram colocadas sob quarentena, com entradas e saídas interditas, uma medida que afeta quase 60 milhões de pessoas.

Entre os 1.873 novos pacientes, 1.807 são também reportados por Hubei, onde a epidemia foi detectada no final de 2019.

Até à meia-noite (13h de segunda-feira em Brasília), um total de 11.741 casos graves foram detetados no país, enquanto 12.552 pacientes superaram a doença e receberam alta.

As autoridades acrescentaram que 560.901 pessoas foram acompanhadas por terem tido contacto próximo com infetados, entre os quais 141.552 ainda estão sob observação e 6.242 são casos suspeitos de terem contraído o novo coronavírus.

Além dos 1.873 mortos na China continental, houve também um óbito na região chinesa de Hong Kong, um nas Filipinas, um no Japão, um na França e um em Taiwan.

Embora cerca de trinta países tenham casos diagnosticados com Covid-19, a China registra cerca de 99% do total global de infectados.

Diamond Princess

O ministro da Saúde do Japão anunciou que o desembarque de alguns passageiros que ainda estão a bordo do Diamond Princess começa amanhã (19). O navio de cruzeiro que está atracado no porto de Yokohama foi colocado em quarentena.

“Todos querem ir para casa. Gostaria de criar uma situação em que possam ir para casa sem problemas”, afirmou Katsunobu Kato que acrescentou que o desembarque vai se prolongar por vários dias.

Segundo as autoridades japonesas, os passageiros que revelarem resultado negativo para o vírus e que não tenham mantido contato próximo com doentes infetados vão ser autorizados a desembarcar.

O Ministério da Saúde japonês já começou a realizar testes nos passageiros.

O maior número de infectados, fora da China continental, está a bordo do cruzeiro Diamond Princess. São 456 pessoas infectadas pelo Covid-19.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui