Há mais ou menos oito meses, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) composta pelos vereadores Ronaldo Canção, Paulo Valgueiro, Gilmar Santos, Gabriel Menezes, Ronaldo Silva, Rodrigo Araújo e Maria Elena de Alencar, foi instaurada na Câmara de Petrolina para investigar denúncias de negligência no Hospital Dom Malan, administrado pelo IMIP. Na manhã desta quinta (29), os membros da Comissão apresentaram dados do relatório apurado e constataram que o problema da unidade hospitalar é a demanda maior do que a oferta, o que acarreta reclamações da população usuária, diariamente na imprensa local, com relatos incontestáveis de mortalidade materno infantil. O relatório será encaminhado para o Ministério Público Federal.

De acordo com Ronaldo Souza (Cancão), presidente da Comissão, vários personagens foram ouvidos e apenas o Conselho Regional de Medicina do Estado de Pernambuco (Cremepe) se negou a prestar esclarecimentos.

A Comissão Suprapartidária composta por sete vereadores de seis diferentes siglas, teve a participação importante e efetiva dos vereadores da Bancada de Oposição, que se debruçaram nas oitivas de pessoas que denunciaram o atendimento na unidade hospitalar.

“Nós nos deparamos a fundo com detalhes de toda a tristeza de famílias, de maridos que perderam suas esposas, de pais que perderam suas filhas e seus netos, muitas vezes, então não posso dizer que foi um prazer participar desta Comissão, mas a nossa missão foi cumprida, é prerrogativa da Casa, é dever nosso (todos os vereadores) buscar solução para a sociedade petrolinense”, ressaltou Gabriel Menezes.

Gilmar Santos frisou que “dentro do relatório, existem casos que são de conhecimento público, que mostra o quanto o Hospital é também sacrificado pois tem uma super população sendo encaminhada para o Dom Malan, já que pacientes de outros municípios são conduzidas porque não existem salas de parto nos seus locais de origem, para evitar que as parturientes que não estão em situação de riscos venham para Petrolina inadequadamente e o atendimento seja lotado”.

Gilmar aproveitou a oportunidade para pedir ao Governo de Petrolina que dê sua contribuição também. “Torcemos que a Sala de Parto de Petrolina também seja uma realidade no município”.

O líder da Bancada de Oposição, Paulo Valgueiro, argumentou que a cada investigação, novo casos iam surgindo. “Por esta razão, tivemos que estender nosso trabalho, mas foi concluído e vamos buscar os meios legais para resolver esse problema crônico de uma unidade de saúde que é referência regional, mas que está sobrecarregada”.

O Hospital Materno Infantil Dom Malan atende pacientes de mais de 50 municípios da Rede Peba no Vale do São Francisco, incluindo Cabrobó, Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista e Afrânio, no Estado de Pernambuco, e Antônio Gonçalves, Juazeiro, Sento Sé, Curaçá, Remanso, Uauá, Andorinha, Sobradinho e Senhor do Bonfim, na Bahia, só para exemplificar a sua dimensão.

O documento será protocolado na manhã desta sexta (30) no MPF. Algumas informações não foram detalhadas à imprensa porque, segundo o presidente da Comissão, são segredo de Justiça.(Ascom)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui