**/

Sem categoria

Home Sem categoria Page 77

Covid-19: Petrolina registra 194 novos casos positivos e taxa de ocupação dos leitos de UTI volta a crescer na cidade

0

O boletim epidemiológico da Covid-19 divulgado pela Secretaria de Saúde de Petrolina, informa que a taxa de ocupação leitos de UTI desta sexta-feira (19), aumentou e chega a 97,2%. Dos 72 leitos, 70 estão ocupados. 50 pacientes são de Petrolina e 20 de outras cidades da região.

O boletim também traz informações sobre os casos confirmados. Foram registrados 194 novos casos da Covid-19. Agora, 18.492 pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus. O total de pacientes recuperados atinge 16.488, isso representa 89,2% do total.

Dos novos infectados, 172 foram confirmados através de testes realizados pela prefeitura. Os outros 22 se deram a partir de exames laboratoriais. São 87 pessoas do sexo masculino, com idades entre 16 e 72 anos, e 107 pessoas do sexo feminino, entre cinco meses e 85 anos.

Petrolina registrou uma morte. Trata-se de um homem, de 90 anos, com histórico de comorbidades. Ele estava internado em um hospital público de Petrolina e morreu no último dia 16. Agora, o município passa a ter 238 óbitos em decorrência da Covid-19.

Outras informações. A Secretaria de Saúde também divulgou informações complementares sobre a pandemia em Petrolina.

  • – Casos investigados: 2.013 pessoas sendo monitoradas, há possibilidade delas estarem infectadas.
  • – Casos por raça/cor: Dos novos infectados 31 são pretos, 133 pardos, dois amarelos, 26 brancos e dois não declararam raça.
  • – Casos descartados: Até agora, 75.933 casos já foram descartados. As pessoas que foram testadas tiveram resultados negativos.
  • – Casos ativos: O município tem 1.766 casos ativos do novo coronavírus.

Todas as informações sobre a pandemia na cidade estão disponíveis no site: petrolina.pe.gov.br/coronavirus.

Ascom Prefeitura de Petrolina

Prefeitura de Juazeiro libera shows e estabelece novos critérios para enfrentamento da Covid-19

0

A Prefeitura de Juazeiro publicou, na edição do Diário Oficial desta sexta-feira (12), o Decreto n° 662/2021 que convalida os procedimentos e as medidas de enfrentamento da pandemia e regulamenta as sanções pelo descumprimento dos Decretos Estaduais e Municipais referentes ao Covid-19. O documento foi elaborado pelo Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento da Covid-19.

O Decreto prevê uma série de critérios e protocolos para o enfrentamento da doença em Juazeiro. Entre eles, o reforço na fiscalização das atividades econômicas, escolares e religiosas para o cumprimento obrigatório das medidas sanitárias e de distanciamento social.

O documento destaca ainda o horário que deve ser seguido pelos bares e restaurantes da cidade. De segunda a quinta-feira, esses estabelecimentos poderão funcionar até meia-noite. E de sexta-feira a domingo poderão ficar abertos até a 01h da madrugada. Além disso, não será permitida a permanência de clientes em pé nos balcões e o número máximo de pessoas por mesa será de 04 (quatro) clientes.

A Prefeitura liberou a realização de apresentações musicais ao vivo em bares e restaurantes, permitindo voz e instrumento musical com apenas 02 (dois) integrantes em ambiente fechado e de até 03 (três) componentes em ambiente aberto, respeitando a intensidade máxima de som estabelecida pela Lei Complementar Municipal nº 018/ 2016.

Os estabelecimentos que descumprirem as determinações impostas neste Decreto serão autuados e pagarão multa com valores variáveis. A fiscalização ficará sob a responsabilidade da Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (SEMAURB) e Guarda Municipal e, quando for necessário, contará com o apoio da Polícia Militar.

A Prefeitura de Juazeiro esclarece que a pandemia não acabou e todas as decisões do Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento da Covid-19 são tomadas observando a curva de crescimento da doença na cidade e a taxa de ocupação de leitos nos hospitais. A Prefeitura chama atenção ainda que a vida e a saúde das pessoas estão em primeiro lugar.

Diário Oficial 

(Ascom)

Mais de 5,9 milhões de pessoas já receberam a 1ª dose da vacina, aponta consórcio

0

O número de imunizados representa 2,83% da população brasileira.

Mais de 5,9 milhões de pessoas já receberam a 1ª dose da vacina, aponta consórcio

O número de pessoas vacinadas contra a covid-19 no Brasil chegou nesta segunda-feira, 22, a 5.982.640, de acordo com dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de saúde. Nas últimas 24 horas, 22 Estados informaram dados atualizados e 128.887 pessoas receberam a primeira dose.

O número de imunizados representa 2,83% da população brasileira. Outro dado que o consórcio apresenta é o número de vacinados com a segunda dose, que chegou a 1.269.005 pessoas (0,60% da população).

O maior número de vacinados pertence a São Paulo. Até agora, o Estado imunizou 1.661.459 pessoas. No Rio de Janeiro, o número é de 427.482 imunizados. Minas Gerais aplicou 499.928 doses da vacina.

Vacinados no Brasil por Estado, segundo o consórcio de veículos de imprensa:

Primeira dose:

AC – 16.775

AL – 89.141

AM – 218.652

AP – 23.398

BA – 415.778

CE – 262.501

DF – 115.369

ES – 108.515

GO – 187.456

MA – 134.786

MG – 499.928

MS – 107.102

MT – 79.372

PA – 116.711

PB – 98.947

PE – 264.973

PI – 65.163

PR – 284.460

RJ – 427.482

RN – 80.977

RO – 43.407

RR – 24.461

RS – 420.713

SC – 156.827

SE – 43.593

SP – 1.661.459

TO – 34.694

Segunda dose:

AC – 2.247

AL – 4.456

AM – 27.146

AP – 1.351

BA – 58.322

CE – 49.482

DF – 19.525

ES – 10.284

GO – 20.879

MA – 22.288

MG – 178.051

MS – 37.948

MT – 24.394

PA – 17.431

PB – 15.840

PE – 76.213

PI – 5.842

PR – 69.993

RJ – 80.876

RN – 19.594

RO – 3.832

RR – 5.638

RS – 43.525

SC – 47.305

SE – 19.817

SP – 404.006

TO – 2.720

‘Eu acho que vai ter prorrogação do auxílio emergencial’, diz Bolsonaro

0

“Eu acho que vai ter. Vai ter uma prorrogação. Foram cinco meses de R$ 600 e quatro meses de R$ 300. O endividamento chegou na casa dos R$ 300 bilhões. Isso tem um custo. O ideal é a economia voltar ao normal”, disse

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta segunda-feira (8), que deve prorrogar o auxílio emergencial para famílias afetadas pela pandemia do coronavírus.

Em entrevista à TV Bandeirantes, o presidente disse, porém, que o número de pessoas beneficiadas será menor do que em relação ao ano passado. Ele não explicou que critério será utilizado para estabelecer uma linha de corte. “O ministro Paulo Guedes (Economia) tem dito que se a pandemia continuar e a economia não pegar, vamos discutir para ontem”, acrescentou. ​

“Eu acho que vai ter. Vai ter uma prorrogação. Foram cinco meses de R$ 600 e quatro meses de R$ 300. O endividamento chegou na casa dos R$ 300 bilhões. Isso tem um custo. O ideal é a economia voltar ao normal”, disse.

Bolsonaro ressaltou que grande parte da população “está com dificuldades”, mas observou que, caso a prorrogação não leve em conta a responsabilidade fiscal, o preço do dólar pode chegar a R$ 6.

“Se você não fizer com responsabilidade isso, você acaba tendo a desconfiança do mercado e aumenta o valor do dólar, que passa para R$ 6. E vai impactar no preço do combustível. Fica uma bola de neve”, disse.

Mais cedo, em cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente afirmou que discutia a prorrogação do auxilio emergencial com os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

“Temos um cuidado muito grande com o mercado, com os investidores e com os contratos, que devem ser respeitados. Nós não podemos quebrar nada disso. Caso contrário, não teremos como garantir que realmente o Brasil será diferente lá na frente”, afirmou.

No domingo (7), a Folha revelou que o Ministério da Economia prepara uma proposta que libera três parcelas de R$ 200, com foco nos trabalhadores informais não atendidos pelo Bolsa Família. A ideia é também estabelecer novas exigências para o recebimento do benefício.

De acordo com um membro do governo que participa da elaboração da medida, a proposta muda o nome da assistência, que deve passar a ser chamada de BIP (Bônus de Inclusão Produtiva).

Para receber o auxílio, a pessoa terá de participar de um curso para qualificação profissional. O plano também prevê que o benefício seja associado à Carteira Verde e Amarela, programa que deve ser relançado pelo governo para reduzir encargos trabalhistas e estimular a formalização de pessoas de baixa renda.

Na entrevista, o presidente também afirmou que a vacinação em massa pode ajudar o país a retomar mais cedo a atividade econômica e disse que não apoia as críticas feitas pelo líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), em relação à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O parlamentar vem pressionando a Anvisa a flexibilizar as regras para liberação de vacinas emergenciais. Ele protocolou um projeto de decreto legislativo com a proposta de anular a exigência da fase 3 de testes em humanos, feita até então para a liberação de uso emergencial.

“Eu tenho conversado com o Ricardo Barros. Os excessos eu converso com ele reservadamente. Ele tem uma liberdade muito grande. Essa briga com a Anvisa eu não apoio. É um órgão autônomo e independente. Essa briga, achar que a Anvisa está preocupada com burocracia e não a vida, não procede”, disse Bolsonaro.

​O presidente também disse que recomendou aos seus irmãos que sua mãe, Olinda Bolsonaro, de 93 anos, seja vacinada. Ele voltou, no entanto, a afirmar que a Coronavac não tem comprovação científica de que é de fato eficiente.

Caixa paga abono salarial para nascidos de março a junho

0

Mais de 7,5 milhões de trabalhadores terão direito ao saque do benefício nessa etapa do calendário

Caixa paga abono salarial para nascidos de março a junho

A Caixa Econômica Federal começou a pagar o abono salarial 2020/2021 – ano-base 2019 – para os trabalhadores nascidos no período de março a junho. Mais de 7,5 milhões de trabalhadores terão direito ao saque do benefício nessa etapa do calendário, totalizando mais de R$ 5,9 bilhões em recursos disponibilizados.

O dinheiro será depositado na conta corrente informada pelo trabalhador. Para quem não é cliente do banco, foi aberta uma conta poupança digital, gratuitamente, a mesma usada para pagar o auxílio emergencial. As poupanças digitais podem ser movimentadas pelo aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), boletos bancários, compras com cartão de débito virtual pela internet e compras com código QR (versão avançada do código de barras) em estabelecimentos parceiros.

Nos casos em que o valor do abono não possa ser creditado em conta existente ou na poupança digital, o trabalhador poderá realizar o saque com o Cartão do Cidadão e senha nos terminais de autoatendimento, unidades lotéricas e nos Correspondentes Caixa Aqui, bem como nas agências. Nesse caso, os recursos estarão disponíveis na quinta-feira (11).

O saque pode ser realizado até 30 de junho. Em todo o calendário de pagamentos do exercício 2020/2021 do abono salarial do Programa de Integração Social (PIS), a Caixa disponibilizará R$ 17 bilhões para 22,2 milhões de trabalhadores.

Na semana passada, o governo federal antecipou o pagamento do abono para os nascidos em maio e junho, que receberiam os valores somente a partir do dia 17 de março. Com a antecipação do calendário, esses beneficiários receberão com os nascidos em março e abril.

A antecipação também vale para os funcionários públicos ou trabalhadores de empresas estatais e, nesse caso, o calendário é de acordo com o dígito final do número de inscrição do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). A partir de 11 de fevereiro, o crédito ficará disponível para saque para inscritos com final 6 e 7, como no calendário original, e para aqueles com final 8 e 9, que serão antecipados. O Pasep é pago pelo Banco do Brasil e quem é correntista da instituição também já começou a receber os recursos desde da nesta terça-feira (9).

Tem direito ao abono salarial 2020/2021 o trabalhador inscrito no PIS há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2019, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos. Também é necessário que os dados tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) ou e-Social, conforme categoria da empresa. Recebem o benefício na Caixa os trabalhadores vinculados a entidades e empresas privadas.

As pessoas que trabalham no setor público têm inscrição no Pasep e recebem o benefício no Banco do Brasil. Nesse caso, o beneficiário pode optar por realizar transferência para conta de mesma titularidade em outras instituições financeiras, nos terminais de autoatendimento do BB ou no portalwww.bb.com.br/pasep, ou ainda efetuar o saque nos caixas das agências. Para o exercício atual, o banco identificou abono salarial para 2,7 milhões de trabalhadores vinculados ao Pasep, totalizando R$ 2,57 bilhões.

Os trabalhadores que não sacaram o abono salarial do calendário anterior, de 2019/2020 – ano-base 2018, finalizado em29 de mai do ano passado, ainda podem retirar os valores. O prazo vai até30 de junho deste ano e o saque pode ser feito nos canais de atendimento com cartão e senha Cidadão, ou nas agências da Caixa.

A consulta sobre o direito ao benefício, bem como ao valor à disposição, pode ser feita por meio do aplicativo Caixa Trabalhador, pelo atendimento Caixa ao Cidadão(0800-726-0207) e no sitewww.caixa.gov.br/abono salarial.

No caso do Pasep, os recursos ficam disponíveis para saque por cinco anos, contados do encerramento do exercício, de acordo com decisão do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Os abonos não sacados são transferidos automaticamente para o próximo exercício, sem necessidade de solicitação do trabalhador.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO ECONOMIA DINHEIRO

Freira de 116 anos se recupera de Covid-19 na França

0

Cega e parcialmente surda, irmã Andrée é lúcida

Freira de 116 anos se recupera de Covid-19 na França

BRUXELAS, BÉLGICA (FOLHAPRESS) – Cinco dias antes de completar 117 anos, a mulher mais idosa da Europa se recuperou de Covid-19. Lucile Randon, que é freira e adotou o nome religioso de irmã Andrée, contraiu o coronavírus na residência de idosos em que mora, em Toulon (sudeste francês). Dos 88 moradores, 81 foram infectados e 10 morreram.

Cega e parcialmente surda, irmã Andrée é lúcida. Em uma entrevista no ano passado a uma rádio francesa, contou ter sofrido muito durante a Primeira Guerra Mundial, que começou quando ela tinha dez anos, e afirmou se lembrar dos dois irmãos voltando do front, um deles gravemente ferido.

Neta de um pastor protestante, Lucile se converteu ao catolicismo aos 27 anos. Trabalhou como governanta antes de entrar para um convento em 1944, aos 40 anos. Depois da Segunda Guerra Mundial, cuidou de idosos e de órfãos por 28 anos no Hospital de Vichy.

De acordo com o Grupo de Pesquisa Gerontológica, que atestou a sua idade, ela é a segunda mulher mais idosa do mundo, depois da japonesa Kane Tanaka, que nasceu em janeiro de 1903.

À mídia francesa, o porta-voz da casa de repouso, David Tavella, disse que a principal queixa da irmã Andrée durante o tempo em que esteve com Covid-19 foi “solidão”. Ela não teve sintomas, mas precisou ficar isolada em seu quarto desde 16 de janeiro, quando foi diagnosticada, até que seus testes para coronavírus voltassem a dar resultado negativo. Depois de receber alta e ser liberada para deixar o quarto, a freira foi à missa.

 

Maioria da 2ª Turma do STF libera acesso de Lula a conversas vazadas de Moro

0

A maioria da Segunda Turma do Supremo Tribunal (STF) votou contra o recurso de procuradores da Operação Lava Jato e liberou o acesso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a mensagens que foram apreendidas na Operação Spoofing com conversas do ex-juiz Sergio Moro com procuradores, como Deltan Dallagnol.

O relator, ministro Ricardo Lewandowski, votou contra o recurso e foi acompanhado do voto dos ministros Nunes Marques e Cármen Lúcia. Edson Fachin discordou e pediu para esperar o julgamento em plenário do uso das mensagens. Ainda resta o voto do ministro Gilmar Mendes.

Lewandowski disse que autorizou que o ex-presidente tivesse acesso às mensagens devido a resistência dos procuradores de fornecer informações sobre as tratativas com autoridades dos Estados Unidos (EUA) para o acordo de leniência da Odebrecht.

O ministro disse que parte das mensagens são “extremamente graves”.  Lewandowski ainda disse que a decisão não é referente à legalidade das menagens, o que vai ser discutido em outro processo.

Fonte: MSN

Com 3.668 mortes por Covid em 24 horas, Brasil volta a bater pior marca da pandemia

0

COVID-19: o que é, sintomas, transmissão, prevenção - Biologia Net

G1

País contabilizou 12.664.058 casos e 317.936 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa. Mês de março já soma 62,9 mil mortes, quase duas vezes mais do que o total de julho de 2020, o segundo com mais óbitos.

O Brasil bateu um novo recorde com 3.668 mortes por Covid registradas nas últimas 24 horas e totalizou nesta terça-feira (30) 317.936 óbitos. Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias chegou a 2.728, nova pior marca no índice pelo 5º dia consecutivo. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +34%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença.

É o que mostra novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h de terça.

A um dia do fim do mês, março já tem quase o dobro de mortes por Covid registradas em julho de 2020, que era o pior mês da pandemia —até ser superado pelo mês atual. De acordo com dados do consórcio de veículos de imprensa, julho teve 32.912 óbitos pela doença. Até aqui, foram registradas 62.918 mortes em março no país. Veja abaixo:

Pior mês da pandemia até aqui, março já tem quase o dobro de mortes de julho e 2020, o segundo pior mês — Foto: Editoria de Arte/G1

Pior mês da pandemia até aqui, março já tem quase o dobro de mortes de julho e 2020, o segundo pior mês — Foto: Editoria de Arte/G1

Veja a sequência da última semana na média móvel:

Evolução da média móvel de óbitos na última semana. Já é o quinto recorde seguido — Foto: Editoria de Arte/G1

Evolução da média móvel de óbitos na última semana. Já é o quinto recorde seguido — Foto: Editoria de Arte/G1

  • Quarta (24): 2.279
  • Quinta (25): 2.276
  • Sexta (26): 2.400 (recorde)
  • Sábado (27): 2.548 (recorde)
  • Domingo (28): 2.598 (recorde)
  • Segunda (29): 2.655 (recorde)
  • Terça (30): 2.728 (recorde)

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 12.664.058 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 86.704 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 75.340. Isso representa uma variação de +7% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de estabilidade nos diagnósticos.

Dezessete e o Distrito Federal estão com alta nas mortesES, MG, RJ, SP, DF, GO, MS, MT, AP, TO, AL, CE, MA, PB, PE, PI, RN e SE.

Brasil, 30 de março

  • Total de mortes: 317.936
  • Registro de mortes em 24 horas: 3.668
  • Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 2.728 (variação em 14 dias: +34%)
  • Total de casos confirmados: 12.664.058
  • Registro de casos confirmados em 24 horas: 86.704
  • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 75.340 por dia (variação em 14 dias: +7%)

Estados

  • Subindo (17 estados e o Distrito Federal): ES, MG, RJ, SP, DF, GO, MS, MT, AP, TO, AL, CE, MA, PB, PE, PI, RN e SE
  • Em estabilidade (7 estados): PR, RS, SC, AC, PA, RO e BA
  • Em queda (2 estados): AM e RR

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia).

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

Vacinação

Balanço da vacinação contra Covid-19 desta terça-feira (30) aponta que 16.937.084 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo dados divulgados até as 20h. O número representa 8% da população brasileira.

A segunda dose já foi aplicada em 4.946.579 pessoas (2,34% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal. No total, 21.883.663 doses foram aplicadas em todo o país.

Petrolina registra mais 85 casos positivos da Covid-19. Acompanhe os números do boletim

0

O boletim epidemiológico da Covid-19 divulgado pela Secretaria de Saúde de Petrolina, informa que nessa segunda-feira (22), mais de 70% dos leitos de UTI da rede estão ocupados. A taxa de ocupação de hoje é de 73,8%, dos 42 leitos 31 estão com pacientes. Desse total, 21 são de Petrolina e 10 pacientes de outras cidades da região.

A secretária executiva de Vigilância em Saúde, Marlene Leandro, alerta sobre o aumento na taxa de ocupação dos leitos e lembra da importância em manter todos os cuidados. “Precisamos redobrar os cuidados com o uso da máscara, do álcool em gel e respeitar o distanciamento social, evitando aglomerações. É necessário um esforço conjunto para que o nosso sistema de saúde não venha colapsar”, frisou.

Além do aumento na taxa de ocupação dos leitos, o boletim também informa que foram registrados 85 novos casos da Covid-19. Agora, 16.159 pessoas já foram infectadas em Petrolina desde o começo da pandemia. As pessoas que se recuperaram da doença somam 13.568, isso representa 84% do total.

Dos novos infectados, 45 foram confirmados através de 336 testes rápidos realizados pela prefeitura, os outros 40 registrados se deram a partir de exames laboratoriais. São 30 pessoas do sexo masculino, com idades entre oito meses a 76 anos, e 55 pessoas do sexo feminino, entre um ano e 88 anos.

Petrolina também não registrou novas mortes. O município permanece com 197 óbitos causados pela Covid-19. Todas as informações e os dados completos sobre a pandemia estão disponíveis no site: petrolina.pe.gov.br/coronavirus.(Ascom)

Juazeirense vence o Bahia na Fonte Nova na estreia do Campeonato Baiano 2021

0

A Juazeirense deu o pontapé inicial no Baianão 2021. O Cancão de Fogo estreou contra o Bahia na Arena Fonte Nova , em Salvador, na tarde deste domingo (21). O time que entrou em campo foi Rodrigo Calaça, Carlinhos, Dedé, Wendell e Daniel; Waguinho, Sapé, Clebson, Elcarlos, Danilo Bala e Kesley.

Mostrando um bom futebol, o time do técnico Givanildo Sales se impôs em campo, dominou o jogo e teve diversas chances de abrir o placar na primeira etapa. Mas, quem saiu na frente foi o Bahia, que num chute poderoso, fez 1 a 0. A Juazeirense não se intimidou e empatou num golaço de Sapé. O volante acertou um belo chute de fora da área, sem chances para o goleiro adversário.

No segundo tempo, com menos de um minuto, após outro chute de fora da área de Sapé, o goleiro deu rebote e Kesley virou o jogo e fez 2 a 1 para o Cancão de Fogo. O time de Juazeiro mesmo na frente continuou jogando bem e comandando as ações em campo.

O Bahia chegou a ter um pênalti marcado, mas Rodrigo Calaça, goleiro da Juazeirense, pegou a cobrança e manteve o placar que deu números finais a partida.

A Juazeirense agora volta para casa e na quarta-feira, 24, joga contra o Fluminense de Feira no Adauto Moraes.