Sem categoria

Home Sem categoria Page 215

Apesar da pandemia, mais de 96 mil empresas foram abertas em Pernambuco em 2020

0
JUCEPE

No ano de 2020, o total de empresas abertas em Pernambuco foi de 96.960, contra 96.522 em 2019, representando um crescimento de 0,45 %, segundo dados da Junta Comercial de Pernambuco. “A classe empresarial pernambucana, mesmo em um período de instabilidade, aos poucos vai construindo um momento de recuperação. Por isso, apesar de pequeno, o crescimento deve ser comemorado”, ressaltou Taciana Bravo, presidente da JUCEPE.

Excluindo os Microempreendedores Individuais (MEIs), o número de registros de empresas foi de 18.455, número -8,6 % menor do que as 20.206 empresas registradas no ano anterior. Já o número de registros de MEIs durante o ano passou de 76.316 em 2019, para 78.505 em 2020, uma alta de 2,8 %.

Sobre fechamento de empresas, teve uma queda significativa, passando de 37.090 em 2019, para 30.659 em 2020, o que representa uma redução de -17,34% % no número de baixas.

Empresas abrindo, menos empresas fechando. No geral, Pernambuco terminou 2020 com um total 631.641 empresas em atividade. Os municípios que mais abriram empresas foram Recife (29.612), Jaboatão dos Guararapes (10.457), Olinda (6.368), Paulista (5.508), Petrolina (5.263) e Caruaru (5.240).

As atividades empresariais mais registradas foram Comércio de vestuário, Mercearias, Comércio de cosméticos, Lanchonetes, Restaurantes, Comércio de bebidas, produtos de perfumaria e de higiene pessoal e fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar.(Ascom)

Quatro jogadores e presidente do Palmas morrem em acidente aéreo

0

Um avião com parte da equipe do Palmas caiu no Tocantins logo após a decolagem e deixou seis mortos.

A queda de um avião de pequeno porte, logo após a decolagem, na manhã deste domingo (24), causou a morte de quatro jogadores e do presidente do Palmas-TO, além do piloto. A aeronave foi tomada pelas chamas, após a queda em um piista de pouso particular no distrito de Luzimangues (TO), a cerca de oito quilômetros da capital Palmas. Morreram o presidente do clube, Lucas Meira, de 32 anos;  os jogadores Lucas Praxedes (23 anos), Guilherme Noé (28), Ranule (27), e Marcus Molinari (23), além do piloto da aeronave, Wagner Machado.
O time da Série D do Campeonato Brasileiro viajaria nesta manhã para Goiânia, onde jogaria nesta segunda-feira (25) com o Vila Nova, em partida das oitavas de final da Copa Verde. A partida foi suspensa pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).Em nota de pesar  a entidade disse estar “profundamente consternada”, se solidarizou com as famílias das vítimas, e decretou que seja respeitado um minuto de silêncio em todos os jogos deste domingo no país.

Confira a nota divulgada pelo Palmas Futebol Clube:

“O Palmas Futebol e Regatas vem por meio desta informar que por volta das 8h15 da manhã deste domingo, 24, ocorreu um acidente aéreo envolvendo o presidente do clube Lucas Meira, quando decolava para Goiânia, para a partida entre Vila Nova x Palmas nesta segunda, 25, válida pela Copa Verde. O avião em que Lucas estava junto com o comandante Wagner e os atletas Lucas Praxedes, Guilherme Noé, Ranule e Marcus Molinari, decolou e caiu no final da pista da Associação Tocantinense de Aviação. Lamentamos informar que não há sobreviventes. Neste momento de dor e consternação, o clube pede orações pelos familiares aos quais prestará os devidos apoios, e ressalta que no momento oportuno voltará a se pronunciar.”

Presidente e quatro jogadores do Palmas morrem em acidente aéreo - Notícias  - Terceiro Tempo
Presidente do clube, Lucas Meira, de 32 anos, uma das vitimas da queda do avião

Não há há tratamento alternativo contra a covid-19, volta a frisar Anvisa

0

Em reunião da diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que decidiu pela aprovação do uso emergencial de mais 4,8 milhões de doses da CoronaVac, diretores e técnicos da entidade voltaram a frisar a inexistência de um medicamento com comprovação científica para combater a covid-19, ao contrário do que defende o presidente Jair Bolsonaro e colaboradores.

A ausência do tratamento terapêutico específico para a doença foi usada como uma das justificativas para liberar o uso em caráter extraordinário e temporário da vacina.

“Mesmo em um cenário de incerteza, uma vacina contra a covid-19 segura, capaz de prevenir e reduzir mortalidade e morbidade causada por essa doença, pode ser autorizada para uso emergencial, em especial pelo contexto dessa pandemia, onde há poucos tratamentos de suportes disponíveis e não há medicamentos registrados na Anvisa com indicações específicas para o tratamento da covid-19”, pontuou a relatora do processo e diretora responsável pela área de imunizantes, Meiruze Freitas.

Além de ressaltar a inexistência de alternativas terapêuticas contra a doença, o gerente-geral de medicamentos e produtos biológicos, Gustavo Mendes, acrescentou ao quadro de avaliação de riscos e benefícios o agravamento da pandemia, “tendo em vista o aumento de casos”, e recomendou a aprovação do uso emergencial.

Em relação à vacina, o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, ressaltou que ainda não aprovação da Anvisa para comercialização, e sim uma deliberação de uso emergencial e temporário, fazendo-se necessária a assinatura de um termo de consentimento para receber a vacina. Barra Torres ainda frisou que os pareceres da agência não cedem a pressões “de qualquer maneira”, nem estão empacados por burocracias. “A pressão é uma só: temos que contribuir para assegurar a saúde dos nossos cidadãos, fazer boas entregas e fazer no menor tempo possível. Essa sempre foi e é a única e maior motivação.”

Informações do Correio Braziliense

Três alimentos que favorecem a sua saúde vaginal

0

O iogurte grego, os espinafres e a batata doce integram a lista de alimentos que beneficiam o bem-estar da sua vagina.

Três alimentos que favorecem a sua saúde vaginal

Os alimentos afetam todos os órgãos vitais do seu corpo – e sim, isso inclui a sua vagina. Segundo a Eat This, Not That!, ingerir os alimentos certos pode minimizar os odores desagradáveis e a combater infecções.

Três alimentos que favorecem a sua saúde vaginal:

1. Iogurte grego: A sua vagina tem um PH naturalmente ácido e alguns dos alimentos mais úteis são aqueles que também contêm bactérias boas. É o caso do iogurte grego. Os probióticos são particularmente importantes para a saúde vaginal da mulher – ajudam a equilibrar os níveis de PH da vagina e a manter a ‘frescura’.

2. Batata doce: As batatas doces são ricas em vitamina A, o que ajuda a fortalecer os tecidos musculares para paredes vaginais fortes e saudáveis.

3. Espinafre: O espinafre é rico em magnésio, um mineral que diminui a inflamação dos vasos sanguíneos e aumenta o fluxo sanguíneo. O aumento do fluxo sanguíneo leva o sangue às extremidades, o que tornar o sexo mais prazeroso.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO BRASIL –LIFESTYLE ALIMENTOS

O que é preciso saber para o segundo dia de Enem que é neste domingo(24)

0

Inscrição Enem 2021 - como fazer e quais os requisitos

Neste domingo (24), estudantes de todo o país fazem a segunda prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Eles terão 5h para resolver questões de matemática e de ciências da natureza. Encerrada a aplicação do Enem impresso, o gabarito das provas objetivas deverá ser divulgado até dia 27 e, as notas finais, no dia 29 de março.

Algumas dicas podem ajudar os estudantes nesse segundo dia de aplicação. A primeira delas é conhecer as regras do exame e estar atento ao que pode e ao que não pode levar no dia da prova. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o Enem terá regras especiais de biossegurança. Este ano, além do documento oficial de identificação com foto e da caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, itens obrigatórios também nos exames anteriores, a máscara de proteção facial passa a integrar essa lista.

É recomendado que os participantes levem máscaras extras para trocar durante a prova. Haverá nos locais de prova álcool em gel para que os estudantes higienizam as mãos, mas é permitido que os participantes levem seu próprio produto caso desejem.

Candidatos barrados no primeiro dia de Enem podem escolher se irão neste domingo

0

As provas serão reaplicadas nos dias 23 e 24 de fevereiro para os pedidos deferidos

Inscrição Enem 2021 - como fazer e quais os requisitos

Aplicantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) impedidos de fazer o primeiro dia de prova por superlotação das salas podem decidir se irão ao segundo dia de aplicação, neste domingo, 24. Todos os que se sentiram prejudicados podem fazer o pedido de reaplicação pela página do participante entre os dias 25 e 29 de janeiro. O candidato deve relatar o ocorrido e não precisa apresentar documento de comprovação. As informações são da assessoria do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

As provas serão reaplicadas nos dias 23 e 24 de fevereiro para os pedidos deferidos. Data na qual também farão o exame: candidatos que enfrentaram outros problemas de logística, como falta de energia elétrica; que manifestaram estar com covid-19; Pessoas Privadas de Liberdade (PPL); e os inscritos do estado Amazonas, onde o governo suspendeu o exame por conta da crise sanitária.

De acordo com a assessoria do Inep, o inscrito impedido de realizar a 1ª parte do exame tem a opção de decidir se vai ou não à 2ª. “Ele pode optar por fazer a prova neste domingo, 24, ou fazer reaplicação dos dois dias (em fevereiro)”, afirma assessor do Inep, “O importante é o participante fazer o pedido da reaplicação. Ele não tem a obrigatoriedade de comprovar. Com o relato, o Inep consegue averiguar internamente, conferindo as atas de sala e identificando as situações”.

Como mostrado pelo Estadão, estudantes foram barrados na entrada dos locais de prova no último domingo, 17, e orientados a voltar para casa. O Inep divulgou que os casos ocorreram em 11 locais de prova nas cidades de Florianópolis, Curitiba, Londrina (PR), Pelotas (RS), Canoas (RS) e Caxias do Sul (RS). Ainda assim, há relatos de estudantes que sofreram com a mesma situação em outras cidades, como em Porto Alegre e Santa Cruz do Sul (RS).

Na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), um dos locais de aplicação do exame na capital catarinense, a distribuição dos candidatos foi feita usando 80% da capacidade das salas de aula. A ordem, que ultrapassava os 50% de ocupação prometidos, partiu do Inep, como revelou o Estadão.

Fiocruz: ‘Sem SUS e conhecimento científico vacinação não seria possível’

0

Fiocruz: 'Sem SUS e conhecimento científico vacinação não seria possível'

A presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade Lima, afirmou que a vacina contra a Covid-19 que está sendo produzida na instituição “em breve poderá ser totalmente nacionalizada”, ou seja, não dependerá mais da aprovação de países fornecedores para serem fornecidas à população brasileira.

Neste sábado, saíram da sede da Fiocruz, no Rio, 2 milhões de doses da vacina desenvolvida pelo laboratório Astrazeneca e pela Universidade de Oxford, parceiros da fundação na produção da imunização brasileira. Os caminhões com as doses deixaram a sede da fundação em direção ao departamento de logística do Ministério da Saúde para que sejam distribuídas aos Estados. A cidade de Manaus, que passa por um colapso no seu sistema de saúde, terá prioridade e ficará com 5% do total das doses.

“É uma esperança que vem da ciência, do esforço da tecnologia e da inovação do País. Sem o Sistema Único de Saúde (SUS) e o Programa Nacional de Imunizações (PIN) nada seria possível. É no conhecimento científico que se encontra o caminho de continuidade e sustentação da vacinação”, afirmou Nísia Trindade, durante a cerimônia que marcou o início da distribuição da vacina AstraZeneca/Oxford.

Ela acrescentou ainda que crises como a atual devem ser vistas como um caminho de aprendizado e de fortalecimento das instituições e da democracia.

Concluída a cerimônia, foram feitas as primeiras vacinações, de dez trabalhadores da fundação, escolhidos por estarem na linha de frente do Centro Hospitalar Covid-19 e de pesquisas. Os primeiros foram o infectologista do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), Estevão Portela, e a médica pneumologista do Centro de Referência Professor Helio Fraga, da Fiocruz, Margareth Dalcolmo. Ambos têm atuado na linha de frente da assistência a pacientes de Covid-19 desde o início da pandemia.

POR ESTADÃO CONTEÚDO

Agravamento da pandemia derruba popularidade de Bolsonaro, diz Datafolha

0
 (Evaristo Sá/AFP)
Presidente Bolsonaro

O mais novo levantamento do Instituto Datafolha, divulgado pelo jornal Folha de S. Paulo na tarde desta sexta-feira (22), mostrou queda na aprovação do governo Bolsonaro. A pesquisa ouviu 2.030 pessoas por telefone (por conta da pandemia de Covid-19).

Os resultados principais foram os seguintes: 31% avaliaram o governo Bolsonaro como ótimo/bom; 26% consideram regular, 40% como ruim/péssimo e outros 2% não souberam opinar.

Em comparação com o último levantamento (leia detalhes da última pesquisa neste link), a reprovação aumentou: os 40% indicados nesta sexta estão em contrapartida dos 32% do levantamento feito em dezembro de 2020. O país vê neste momento um agravamento da pandemia, provocado por aumento de casos e mortes.

Os números que indicam o governo como ótimo/bom caíram: eram 37% em dezembro e agora 31%. O indicador de regular também caiu: 29% no último levantamento e 26% agora.

A pesquisa também pediu a opinião dos participantes sobre um possível impeachment de Bolsonaro: 53% foram contra e 42% favoráveis.(Diário de Pernambuco)

Bolsa Família não poderá ser bloqueado por mais 90 dias

0

Os cancelamentos do Bolsa Família permanecem interrompidos

Bolsa Família não poderá ser bloqueado por mais 90 dias

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O governo federal suspendeu por mais 90 dias as revisões e atualizações do Cadastro Único e, logo, os cancelamentos do Bolsa Família permanecem interrompidos.

Nenhuma família que estiver com o cadastro desatualizado precisa ir aos centros de atendimento do programa para fazer atualizações, pois os benefícios não serão bloqueados por essa razão, diz o Ministério da Cidadania.

A portaria nº 591, publicada na quinta-feira (20), prorroga o prazo de suspensão estabelecido na portaria nº 443, de 20 de julho de 2020, que foi de 180 dias.

Dessa forma, continuam suspensos procedimentos como averiguação e revisão cadastral e aplicação das ações de bloqueio, suspensão e cancelamento de benefícios financeiros decorrentes do descumprimento das regras de gestão de benefícios do Bolsa Família.

“A prorrogação dos procedimentos operacionais e de gestão dos programas sociais do governo federal tem o objetivo de proteger as famílias beneficiárias e os funcionários das unidades de cadastro, para que não se formem filas e aglomerações e não haja exposição ao novo coronavírus”, diz o Ministério da Cidadania.

EXCEÇÕES

O cancelamento de benefícios continuam ocorrendo normalmente nas seguintes situações:

Em decorrência de posse de beneficiário em cargo eletivo;
A partir de reflexos de alteração cadastral mediante declarações prestadas pelas famílias no Cadastro Único;
Casos de fraude cadastral.
OUTRAS SUSPENSÕES

O Ministério da Cidadania anunciou que também está suspenso por 90 dias o cálculo do fator de operação do IGD-PBF (Índice de Gestão Descentralizada do Bolsa Família) e do Cadastro Único, para apuração do valor do apoio financeiro à gestão descentralizada nos âmbitos municipal, estadual e do Distrito Federal.

Nesse período, diz a pasta, será utilizado o fator de operação da competência de fevereiro de 2020.

Transcorrido o prazo, o cálculo do fator de operação do IGD-PBF passará a utilizar os dados mais recentes disponíveis da TAC (Taxa de Atualização Cadastral) e da TAFE (Taxa de Acompanhamento da Frequência Escolar), mantendo suspensa a atualização da TAS (Taxa de Acompanhamento de Saúde) por mais 90 dias.

MUDANÇA NO PAGAMENTO

Desde dezembro, o pagamento do Bolsa Família está sendo migrado para contas-poupanças digitais da Caixa, com acesso pelo Caixa Tem.

De acordo com o governo, mais de nove milhões de pessoas que ainda não têm conta bancária poderão receber o benefício por meio de crédito na conta digital ou continuar a realizar o saque pelo seu cartão Bolsa Família e movimentar os valores pelo aplicativo Caixa Tem.

Segundo o cronograma federal, os beneficiários com NIS de finais 9 e 0 começaram a receber o Bolsa Família pela conta-poupança social digital em dezembro. Em janeiro, é a vez dos benefícios com NIS de finais 6, 7 e 8.

A mudança continua em fevereiro, para os beneficiários de NIS com finais 3, 4 e 5, e termina em março, para NIS de finais 1 e 2.

COMO MOVIMENTAR A CONTA?

Os beneficiários do Bolsa Família precisarão acessar o Caixa Tem, sem gerar nova senha. Segundo o Ministério da Cidadania, ela é criada gratuitamente e o usuário pode usar a mesma senha do cartão social.

Após o crédito dos valores será possível fazer compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos com o cartão de débito virtual e o QR Code, por meio das maquininhas disponibilizadas pelo país.

O beneficiário também poderá realizar o pagamento de contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral pelo próprio aplicativo ou nas casas lotéricas através da opção “Pagar na Lotérica” do Caixa Tem, além de poder realizar saques da conta com o cartão do Programa Bolsa Família ou Cartão Cidadão.

A conta não tem taxa de manutenção e oferece ainda um cartão de débito virtual, que exige a geração de um código de segurança a cada compra. O limite mensal de movimentação da conta é de R$ 5.000.

Enem 2020 aplica a segunda prova neste domingo (24)

0

Com base na prova do último domingo (17), a expectativa é de que o exame tenha menos textos longos

Cronograma – ENEM 2020 – Colégio Santa Gema

No segundo dia de aplicação da versão impressa do exame do Enem, neste domingo (24), os candidatos resolverão questões de matemática e de ciências da natureza. Com base na prova do último domingo (17), primeiro dia de aplicação, a expectativa é de que o exame tenha menos textos longos e que os enunciados sejam mais objetivos.

Os candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 que estiverem com sintomas de Covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa devem comunicar ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Esses participantes não devem comparecer ao segundo dia de aplicação das provas, neste domingo (24), mesmo que tenham feito a primeira, no último dia 17.

Esses candidatos terão direito a fazer o Enem na data da reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro. A solicitação para participar da reaplicação, bem como a apresentação dos laudos médicos e documentos que comprovem a situação, pode ser feita pela Página do Participante. O sistema ficará aberto até as 12h do dia 23 de janeiro.

Avião chegou da Índia e doses da vacina de Oxford começarão a ser distribuídas às 16h deste sábado

0


As doses da vacina da Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca que chegaram ao Brasil por volta das 17h20 serão distribuídas aos estados a partir das 16h deste sábado, 23, apurou a Jovem Pan.

A carga foi recebida no aeroporto de Guarulhos pelos ministros da Saúde, Eduardo Pazuello, das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e das Comunicações, Fábio Faria. A previsão é que todos os estados e o Distrito Federal recebam suas doses até o final da noite do domingo, 24. O critério de distribuição vai ser o mesmo do lote da CoronaVac: 2,5% da população de cada Estado.

O envio das 2 milhões de doses, fabricadas pelo Instituto Serum, na Índia, foi autorizado pelo governo indiano nesta quinta-feira, 21, depois de dias de negociações com o governo do presidente Jair Bolsonaro. Na semana passada, um voo da Azul que estava programa para buscar o lote de imunizantes foi cancelado, por falta de acordo com as autoridades indianas. A campanha de vacinação foi iniciada no Brasil no domingo, 17, no estado de São Paulo.

Nas redes sociais, o ministro Fábio Faria registrou o momento da chegadas das doses. “Avião que transportava os dois milhões de doses da vacina de Oxford produzidas no Instituto Serum, na Índia, acaba de chegar a São Paulo”, diz a publicação. Também nesta sexta-feira, o governo de São Paulo anunciou a liberação de 900 mil doses do segundo lote das vacinas do Instituto Butantan ao Ministério da Saúde – mais cedo, a diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial de mais 4,8 milhões de doses do imunizante. Deste montante, 200 mil doses foram levadas ao Centro de Distribuição e Logística da Secretaria da Saúde de São Paulo e outras 700 mil vão para a central de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo.

Grupos convocam carreatas pró-impeachment de Bolsonaro nas capitais para este sábado

0

18 capitais irão participar do ato

Lucas Paulino (@lucasapaulino) | Twitter

O movimento de renovação política ‘Acredito’ organiza para este sábado, 23, carreatas pelo impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro. De acordo com comunicado do movimento, 18 capitais irão participar do ato.

Segundo o movimento, a mobilização começou nas capitais de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, mas ganhou “tração de forma espontânea pela internet” e agora já conta com participação das capitais de Porto Alegre, Salvador, Recife, Fortaleza, Curitiba, Belém, Goiânia, Florianópolis, João Pessoa, Palmas, Campo Grande, Rio Branco, Maceió e Teresina.

Em São Paulo, os partidos que já confirmaram participação nas carreatas são a Rede, PDT, PT, PV, PSOL, PCdoB, PSB, Cidadania e PCB. PSDB e UP também foram convidados a participar do evento, mas até o momento não deram resposta.

O comunicado também confirma a adesão de movimentos sociais como o Frente Povo Sem Medo, a Frente Brasil Popular, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), a Central Única de Trabalhadores (CUT), a União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE-SP), a União da Juventude Socialista (UJS), o RUA e grupos estudantis como o DCE Livre da USP, o Centro Acadêmico XI de Agosto e o Centro Acadêmico Oswaldo Cruz.

Parlamentares já começaram a usar suas redes para convidar a participação da população no movimento. O líder da minoria do PT na Câmara e vice-presidente nacional do partido, José Guimarães (CE), convidou seu seguidores no Twitter a participarem do movimento “para defender a vacina para todas e todos, o auxílio emergencial e lutar pelo impeachment de Bolsonaro” disse. “Vamos à luta. organizando a carreata na sua cidade!”, concluiu.

Também se uniu ao coro o ex-governador do Ceará e candidato à Presidência em 2018, Ciro Gomes (PDT): “Carreatas contra Bolsonaro foram marcadas por todo o Brasil neste sábado, com pautas em defesa da vacina, do auxílio e do impeachment. Diversas cidades já têm local e horário de saída”. Ciro aproveitou para compartilhar link com o itinerário do movimento em cada capital.

Outros grupos de manifestantes de Brasília também organizam carreta pró-impeachment de Bolsonaro para este sábado. A concentração se dará no estacionamento da Torre de TV, no centro da capital federal, a partir das 9 horas.

Impeachment de Bolsonaro é rejeitado por 53% e defendido por 42%, mostra Datafolha

0

Para 53% dos entrevistados, a Câmara dos Deputados não deveria abrir um processo por crime de responsabilidade contra o presidente.

Impeachment de Bolsonaro é rejeitado por 53% e defendido por 42%, mostra Datafolha
Presidente Bolsonaro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Apesar da piora na avaliação de Jair Bolsonaro em meio ao recrudescimento da pandemia da Covid-19, o brasileiro não quer, em sua maioria, que o presidente sofra um processo de impeachment ou renuncie.

É o que revela pesquisa do Datafolha feita nos dias 20 e 21 de janeiro com 2.030 pessoas, ouvidas por telefone para respeitar regras sanitárias. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Para 53% dos entrevistados, a Câmara dos Deputados não deveria abrir um processo por crime de responsabilidade contra o presidente.

O número indica uma estabilidade ante o levantamento anterior, de 8 e 10 de dezembro, quando 50% descartavam a medida.

Já aqueles que defendem o impeachment oscilaram negativamente, de 46% para 42%, enquanto quem não sabia responder passou de 6% para 4%.

O impedimento do presidente voltou às conversas políticas devido ao acúmulo de problemas de gestão da pandemia, como a crise em Manaus e a confusão sobre a vacinação, e seus efeitos econômicos com o fim do auxílio emergencial.

Como listou o jornal Folha de S.Paulo, há ao menos 23 situações que podem embasar juridicamente uma acusação de crime de responsabilidade do presidente.

Incialmente, o movimento pedindo o impeachment começou em partidos de esquerda e na sociedade civil, e agora espraiou-se entre grupos à direita que pediram nas ruas o impeachment de Dilma Rousseff (PT) em 2016.

A discussão chegou até a aliados de Bolsonaro no centrão. Na defensiva, o procurador-geral da República, Augusto Aras, provocou polêmica com uma nota na qual deixava para o Parlamento qualquer apuração sobre responsabilidades de Bolsonaro.

A discussão ampliou o racha entre procuradores da República, com a crescente percepção de que o chefe do Ministério Público Federal trabalha em sintonia com o presidente.

O impeachment tem mais apoio entre aqueles que têm de 16 a 24 anos (51%) e as mulheres (49%). Rejeitam mais a ideia homens (62%) e pessoas de 35 a 44 anos (59%).

No corte geográfico, os usuais bastiões bolsonaristas do Norte/Centro-Oeste, com 60% de rejeição à proposta, e Sul, com 58%, lideram a resistência ao impeachment.

No Nordeste, que voltou a se afastar de Bolsonaro após o fim do auxílio emergencial, a rejeição é a menor do país (50%), igual à da região mais populosa, o Sudeste (52%).

A manutenção da rejeição ao instrumento, ainda que não esmagadora, deverá servir de argumento para aqueles que, mesmo incomodados com Bolsonaro, consideram que o impeachment seria uma solução drástica para um país que passou pelo processo há pouco mais de quatro anos com Dilma Rousseff.

Segundo o Datafolha, permanece estável o percentual de pessoas que rejeitam a ideia de que Bolsonaro deva renunciar. São 51%, ante 50% em dezembro. Já defendem a medida 45%, oscilação negativa dos 48% apontados na rodada anterior.

São mais contrários à sugestão de renúncia moradores das duas regiões associadas ao bolsonarismo: Norte/Centro-Oeste (57%) e Sul (52%). Elas são as menores em termos populacionais na amostra do Datafolha, contudo, somando respectivamente 16% e 14% dos ouvidos.

O apoio a Bolsonaro segue firme no segmento evangélico (27% da amostra), com 62% sendo contrários à renúncia e 64%, ao impeachment. Os números caem entre católicos (52% dos ouvidos) para 49% e 51%, respectivamente.

A pesquisa Datafolha foi realizada por telefone nos dias 20 e 21 de janeiro, com 2.030 brasileiros adultos que possuem telefone celular em todas as regiões e estados do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Novo lote do abono do PIS/Pasep é liberado; veja quem pode receber até R$ 1.100

0

Novo lote do abono do PIS/Pasep é liberado; veja quem pode receber até R$ 1.100 | Asmetro-SN

Começou o pagamento de mais um lote do abono do PIS/Pasep. Recebem agora os funcionários de empresas privadas nascidos em janeiro e em fevereiro e os funcionários públicos com número do Pasep com final de inscrição 5.

Este é o primeiro lote de pagamentos do PIS/Pasep deste ano e já virá com o valor atualizado, seguindo o reajuste do salário mínimo. Neste ano, é possível receber de R$ 92 a R$ 1.100, dependendo de quanto tempo trabalhou em 2019.

 Funcionários de empresas privadas nascidos entre julho e dezembro já tiveram o dinheiro liberado. No caso dos funcionários públicos, quem tem inscrição com número final de 0 a 4 também já recebeu o abono. Entenda as regras:

Quem tem direito?

O abono do PIS/Pasep é pago para quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário público em 2019. Para ter direito, é preciso:

  • Ter trabalhado formalmente por ao menos 30 dias em 2019, consecutivos ou não;
  • Estar inscrito no PIS ou Pasep há pelo menos cinco anos;
  • Ter recebido remuneração mensal média de, no máximo, dois salários mínimos em 2019;
  • A empresa precisa ter informado corretamente os dados na RAIS (Relação Anual de Informações Sociais).

Os funcionários de empresas privadas que têm dúvidas se possuem o direito ao abono do PIS podem consultar o site da Caixa, o app Caixa Trabalhador ou ligar para 0800-726-0207. Funcionários públicos podem consultar o site do Banco do Brasil para saber se podem receber o Pasep.

Qual o valor?

O valor é proporcional ao tempo de serviço em 2019. Se trabalhou 12 meses, receberá o valor de um salário mínimo, que neste ano é de R$ 1.100. Se trabalhou um mês, receberá 1/12 do piso nacional, que arredondando dá R$ 92.

Quais as datas de pagamento?

PIS

As datas de pagamento do PIS variam conforme o mês de nascimento. Os trabalhadores nascidos entre julho e dezembro já tiveram os valores liberados. Veja quem ainda vai receber:

  • Nascidos em janeiro e fevereiro: recebem a partir desta terça-feira (19)
  • Nascidos em março e abril: recebem a partir de 11 de fevereiro
  • Nascidos em maio e junho: recebem a partir de 17 de março

Pasep

O calendário do Pasep depende do número de inscrição do funcionário público. Os trabalhadores com final de inscrição de 0 a 4 já receberam. Veja quem ainda vai receber:

  • Final de inscrição 5: recebem a partir desta terça-feira (19)
  • Final de inscrição 6 e 7: recebem a partir de 11 de fevereiro
  • Final de inscrição 8 e 9: recebem a partir de 17 de março

Os saques podem ser realizados até 30 de junho de 2021 em todos os casos.

Como sacar?

PIS

Para quem já tem uma conta na Caixa, os créditos serão disponibilizados nas contas existentes e os valores poderão ser movimentados usando o cartão da conta, o internet banking da Caixa ou o aplicativo da Caixa.

Os trabalhadores que não possuem conta corrente ou poupança da Caixa vão receber o dinheiro em conta poupança social digital. A abertura é automática. O dinheiro é movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Para saques, será necessário gerar um código de segurança por meio do aplicativo.

Nos casos em que o abono não possa ser creditado em conta existente ou em conta poupança social, o trabalhador poderá realizar o saque com o Cartão Cidadão e senha nos terminais de autoatendimento, lotéricas e nos correspondentes Caixa Aqui. Quem não tem o Cartão Cidadão pode fazer o saque em qualquer agência, com um documento com foto.

Pasep

Quem é correntista do Banco do Brasil recebe o pagamento direito na conta, de forma automática. Quem não é correntista pode transferir o dinheiro para uma conta de sua titularidade. Outra possibilidade é sacar o dinheiro em uma agência do BB. É preciso apresentar um documento com foto.

Covid-19: número de casos sobem e mortes caem, segundo boletim

0

O novo recorde de casos marcou um aumento de 5% sobre o recorde anterior, na semana epidemiológica 1, quando haviam sido confirmados 359.593 novos casos

Covid-19: número de casos sobem e mortes caem, segundo boletim

O Brasil bateu o recorde de casos de covid-19 por semana desde o início da pandemia. Na semana epidemiológica 2 de 2021, de 10 a 16 de janeiro, foram registradas 379.061 novas pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Os dados estão no Boletim Epidemiológico da Covid-19 mais recente do Ministério da Saúde, divulgado hoje (22), com balanço da Semana Epidemiológica 2 de 2021. Já o número de mortes teve uma oscilação negativa de -3% em relação à semana anterior.

O novo recorde de casos marcou um aumento de 5% sobre o recorde anterior, na semana epidemiológica 1, quando haviam sido confirmados 359.593 novos casos. Na comparação com duas semanas antes, métrica utilizada por especialistas para avaliar a evolução da pandemia, foi um aumento de 50%. Na última semana epidemiológica de 2020, foram notificados 250.599 novos casos.

Com isso, a curva de casos da pandemia traz um patamar maior do que no meio de 2020, quando o pico chegou a 319.653 na semana epidemiológica 30, entre 19 e 25 de julho.

Já a curva de mortes fez movimento inverso, com oscilação negativa de -3% em relação à semana anterior. Na semana epidemiológica 2 foram informadas pelas autoridades de saúde 6.665 óbitos, contra 6.906 na semana anterior.

Antes dessa oscilação, as mortes também tiveram um salto na primeira semana do ano, acompanhando a trajetória da curva de casos. Enquanto na semana epidemiológica 53 de 2020 o número de novos óbitos foi de 4.930, na semana epidemiológica 1 de 2021 ele chegou a 6.906. O novo aumento de casos não superou o pico de 2020, de 7.677 novas mortes na semana epidemiológica 30.

Em relação ao número de infecções, 18 unidades da Federação tiveram incremento na semana epidemiológica 2, cinco ficaram estáveis e quatro tiveram redução. Os maiores aumentos se deram no Acre (77%) e Amazonas (47%). Já as quedas mais intensas ocorreram no Paraná (-43%) e Rio de Janeiro (-12%).

No tocante às mortes, o número de estados com acréscimo das curvas foi menor: 12. Mais seis ficaram estáveis e nove experimentaram diminuição em relação ao balanço da semana anterior.

Os aumentos mais representativos foram registrados em Roraima (200%) e Minas Gerais (33%). Amazonas, que está com o sistema de saúde colapsado, teve 32% de crescimento nas novas mortes. As quedas mais efetivas aconteceram no Paraná (-55%) e Acre (-52%).

Os casos voltaram a ficar mais fortes nas regiões metropolitanas, mas ainda em patamar bastante abaixo dos municípios do interior. Enquanto nas capitais e cidades adjacentes foram responsáveis por 39% dos novos diagnósticos positivos, as cidades do interior foram onde ocorreram 61% das novas contaminações.

Já nas mortes a participação é praticamente empatada. Os óbitos registrados em cidades do interior representaram 51%, contra 49% nas regiões metropolitanas.

Com informação: Notícias ao Minuto Brasil