O Plenário aprovou, a inclusão na lista de medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha o comparecimento do agressor a programas de recuperação e reeducação.

Segundo o relator do PLS 9/2016, senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ), essa será mais uma opção a ser decretada de imediato pelo juiz nos casos de práticas de violência doméstica e familiar contra a mulher.

Já a senadora Leila Barros (PSB-DF) avalia que o acompanhamento psicossocial vai ajudar a acabar com a cultura da violência. O projeto segue agora para a Câmara dos Deputados. As informações são da repórter da Rádio Senado Hérica Christian.(Agência Senado)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui