Produtores e produtoras do assentamento João Rodrigues Primo participaram de visita técnica à Petrolina, na quinta-feira (17), dentro do Programa de Extensão, executado pelo Instituto Agronômico de Pernambuco e a Universidade Federal do Vale do São Francisco(Univasf), por meio do Programa de Pós-graduação de Ciência Animal.

A excursão, conduzida pelo extensionista rural do IPA, Paulo Nogueira, foi dividida em duas etapas. A primeira foi conhecer o Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Bebedouro (3º CIB) da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e do Parnaíba-Codevasf, os produtores conheceram todas as etapas de produção de peixes, desde a hipofisação, técnica usada na reprodução artificial de peixes que visa a otimização da produção de peixes em escala comercial) até a despesca. Naquele momento, o engenheiro de pesca, Rozzano Figueiredo, chefe do centro, ressaltou a importância econômica e ecológica da piscicultura. “Os  peixes oferecem proteína de maior qualidade para as pessoas. São espécies de alto valor comercial e nutritivo”, relatou ele.

Em seguida, o grupo conheceu o laboratório de Aquicultura da Univasf, coordenado pelo zootecnista e professor, Fernando Bibiano. “A interação entre a academia e os produtores, levando os resultados e o uso das pesquisas gerados nos centros acadêmicos é a finalidade social da Universidade”.

O Assentamento João Rodrigues Primo fica localizado a 20 km da sede da cidade e produz banana, goiaba, uva, mandioca, oleícolas e peixes, a exemplo de Tilápia Nilótica e Tambaqui. Possui 20 tanques escavados e produção, mas a intenção é montar um centro de alevinagem para consumo próprio.

 Segundo o presidente do assentamento, Lino Regis, a experiência foi bastante válida. “Conhecemos as tecnologias são criadas e essas são levadas ao campo pelo pessoal do IPA, ficamos muito gratos e aprendemos muito”, destacou.

O projeto de Extensão consiste em formação continuada dos produtores com aulas semanais para os produtores, em conjunto com os técnicos do IPA e alunos e professores da Univasf. Esses treinamentos promove as orientações para propiciar à implantação do sistema de criação de peixes, caracterização geral do sistema de criação de peixes em tanque escavado, estruturas para criação, principais peixes criados no brasil, manejo do sistema, enfermidades e nutrição, comercialização, filetagem, produção de linguiça e hamburguês de peixes.

“A metodologia de Excursão é um método grupal e complexo em que um grupo de pessoas com interesse comum visita um determinado local, onde existe uma evidência concreta sobre o tema interessado. Serve para mostrar uma realização concreta concluída ou em andamento, no sentido de que possibilite a tomada de decisão por participantes do grupo que ainda tenham dúvidas relacionadas à validade de alguma inovação, serve para mostra e amplia os conhecimentos e experiências dos participantes, visualiza in loco as inovações e fortalece as relações entre os participantes”, explica Nogueira.(Ascom)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui