Câmara debaterá liberação de maconha medicinal em agosto.A instalação de debate deve se contrapor a ministro Osmar Terra, que defende fechamento da Anvisa caso plantio seja aprovado

Câmara dos Deputados deve instalar em agosto uma comissão especial para discutir o uso da cannabis sativa —a planta usada para produzir maconha— para fins medicinais.

 A comissão deve se contrapor ao ministro Osmar Terra, da Cidadania. Ele chegou a defender nesta semana que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) seja fechada caso aprove o plantio para tratamento. O órgão abriu uma consulta pública para discutir o assunto.

A posição do ministro não encontra eco, no entanto, nem mesmo em parlamentares da base de Bolsonaro na Câmara.

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), por exemplo, fará parte da comissão especial e acha que o assunto deve, sim, ser debatido.

“O Osmar já falou para mim que é bem contra. Mas a gente tem que discutir. O mundo inteiro fez isso”, diz. “Se somarmos pacientes com doenças raras, autismo e câncer que poderiam ser tratados com a cannabis, calculo que cheguem a 20 milhões”, afirma.

Zambelli divide a autoria de um projeto com o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ). Ele é inspirado em uma lei de Israel que autoriza o plantio para fins medicinais. Os dois chegaram a gravar um vídeo juntos sobre o assunto.

O relator da comissão especial deve ser o deputado Paulo Teixeira (PT-SP). “Os pacientes brasileiros não podem ser privados de um tratamento disponível em diversos outros países”, afirma ele.

Câmara dos Deputados deve instalar em agosto uma comissão especial para discutir o uso da cannabis sativa —a planta usada para produzir maconha— para fins medicinais.

 A comissão deve se contrapor ao ministro Osmar Terra, da Cidadania. Ele chegou a defender nesta semana que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) seja fechada caso aprove o plantio para tratamento. O órgão abriu uma consulta pública para discutir o assunto.

A posição do ministro não encontra eco, no entanto, nem mesmo em parlamentares da base de Bolsonaro na Câmara.

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), por exemplo, fará parte da comissão especial e acha que o assunto deve, sim, ser debatido.

“O Osmar já falou para mim que é bem contra. Mas a gente tem que discutir. O mundo inteiro fez isso”, diz. “Se somarmos pacientes com doenças raras, autismo e câncer que poderiam ser tratados com a cannabis, calculo que cheguem a 20 milhões”, afirma.

Zambelli divide a autoria de um projeto com o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ). Ele é inspirado em uma lei de Israel que autoriza o plantio para fins medicinais. Os dois chegaram a gravar um vídeo juntos sobre o assunto.

O relator da comissão especial deve ser o deputado Paulo Teixeira (PT-SP). “Os pacientes brasileiros não podem ser privados de um tratamento disponível em diversos outros países”, afirma ele.(Blog de Magno)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui