Home Sem categoria Acompanhe o Boletim Epidemiológico da Covid-19 dessa sexta-feira (21/05) em Pernambuco

Acompanhe o Boletim Epidemiológico da Covid-19 dessa sexta-feira (21/05) em Pernambuco

192
0

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou, nesta sexta-feira (21/05), 3.969 casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 194 (5%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 3.775 (95%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 456.690 casos confirmados da doença, sendo 43.357 graves e 413.333 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

Além disso, o boletim registra um total de 386.364 pacientes recuperados da doença. Destes, 25.171 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 361.193 eram casos leves.

Também foram confirmados laboratorialmente 66 novos óbitos (32 femininos e 34 masculinos), ocorridos entre os dias 22/01/2021 e 20/05/2021. As novas mortes são de pessoas residentes dos municípios de Abreu e Lima (1), Aliança (1), Arcoverde (2), Belo Jardim (3), Bezerros (1), Bodocó (1), Cabo de Santo Agostinho (3), Camaragibe (4), Carpina (1), Caruaru (2), Escada (1), Garanhuns (2), Igarassu (1), Ipojuca (1), Itaquitinga (1), Jaboatão dos Guararapes (5), Lagoa Grande (1), Limoeiro (2), Machados (1), Moreno (2), Olinda (1), Paudalho (1), Paulista (1), Pedra (1), Pesqueira (1), Petrolina (3), Poção (1), Recife (12), Saloá (1), São Bento do Una (1), São Caitano (1), São Lourenço da Mata (1), Timbaúba (1), Vertente do Lério (1) e Vitória de Santo Antão (3). Com isso, o Estado totaliza 15.258 mortes pela doença.

Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe, em Pernambuco, até agora, 29.325 casos foram confirmados e 50.817 descartados. As testagens entre os trabalhadores do setor abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada. O Governo de Pernambuco foi o primeiro do país a criar um protocolo para testar e afastar os profissionais da área da saúde com sintomas gripais.

EXAMES – Com a ampliação da testagem para Covid-19 e a qualificação na análise das amostras ao longo da pandemia, Pernambuco registrou um aumento de 463% no processamento de testes no Laboratório Central de Saúde Pública do Estado (Lacen-PE), quando comparado o pico da pandemia em 2020 (maio) com os primeiros 20 dias de maio de 2021. Enquanto naquele mês do ano passado, foram 22.582 amostras analisadas pelo laboratório, que é a principal referência na rede pública de Saúde, agora, o Estado já computa 85.992 exames processados no Lacen.

Fazendo o comparativo entre a média de exames processados diariamente, quando Pernambuco vivenciava o primeiro pico da pandemia, em maio de 2020, o Lacen tinha capacidade para analisar 730 testes por dia. Atualmente, o número gira em torno de 4.300 exames processados diariamente – um aumento de 490%. O Laboratório recebe amostras de toda a rede pública, da rede conveniada e também de alguns serviços privados.

Este aumento possibilitou a constante ampliação no público prioritário para a testagem, que, em maio de 2020 era destinada apenas aos casos graves internados em unidades hospitalares e, atualmente, pode ser acessada, gratuitamente, para as pessoas com sintomas sugestivos da Covid-19, independente de leve ou grave, e os contatos de casos confirmados, mesmo que assintomáticos.

A ampliação da testagem no Lacen-PE, juntamente com a maior oferta de testes rápidos de antígeno, tanto nas redes públicas municipais, como também nos serviços privados, inclusive nas farmácias, contribui para o aumento no registro diário de novos casos em Pernambuco, que registrou, nesta sexta-feira (21/05), 3.969 casos.

“Precisamos lembrar que, no primeiro semestre de 2020, quando vivenciávamos os primeiros meses da pandemia, não testávamos os casos leves. Os registros diários sofrem o impacto de diversas variantes, como acúmulo de casos por municípios e até mesmo o aumento da testagem.  Outro ponto importante é que, agora, a cada 100 casos registrados nos últimos dias, mais de 95% dos casos são de quadros leves. Muitas destas pessoas, inclusive, já estão recuperadas, pois há um delay entre o processamento do exame e a notificação na plataforma pelos municípios e serviços”, explica o secretário estadual de Saúde, André Longo.

BALANÇO DA VACINAÇÃO – Mais um grupo prioritário atingiu, nesta sexta-feira (21/05), a meta mínima preconizada de 90% para a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no Estado. Os trabalhadores da saúde – primeiro grupo que começou a ser imunizado em Pernambuco e que tem uma população total estimada em 294.095 pessoas – alcançaram a meta estipulada. Com isso, 264.698 trabalhadores já foram vacinados com a primeira dose. Em relação a segunda dose do imunizante, 210.531 já terminaram o esquema vacinal, o que corresponde a 72% desse público.

Entre os grupos prioritários deste momento que já atingiram a meta de imunizar, no mínimo, 90% do público com a primeira dose, além dos trabalhadores da saúde estão: os povos indígenas aldeados (97,99%), idosos em instituições de longa permanência (290,70%), idosos de 65 a 69 anos (91%), de 70 a 79 anos (101%), 80 a 84 anos (113%), a partir dos 85 anos (98%) e pessoa com deficiência institucionalizada (1008%).

Também já atingiram a meta para a segunda dose idosos em instituições de longa permanência (213%), população indígena aldeada (96%) e pessoa com deficiência institucionalizada (863%).

Pernambuco já aplicou 2.512.689 doses da vacina contra a Covid-19, das quais 1.654.392 foram primeiras doses. Ao todo, foram feitas a primeira dose em 264.698 trabalhadores de saúde; 25.497 povos indígenas aldeados; 39.606 em comunidades quilombolas; 7.157 idosos em Instituições de Longa Permanência; 577.138 idosos de 60 a 69 anos; 393.489 idosos de 70 a 79 anos; 106.270 idosos de 80 a 84 anos; 89.827 idosos a partir de 85 anos; 1.310 pessoas com deficiência institucionalizadas; 9.529 trabalhadores das forças de segurança e salvamento; 118.430 pessoas com comorbidades; 4.650 pessoas com deficiência permanente; 16.791 gestantes e puérperas.

Em relação à segunda dose, já foram beneficiados 210.531 trabalhadores de saúde; 24.964 povos indígenas aldeados; 1.167 em comunidades quilombolas; 5.252 idosos institucionalizados; 218.215 idosos de 60 a 69 anos; 286.900 idosos de 70 a 79 anos; 49.262 idosos de 80 a 84 anos; 57.961 idosos a partir de 85 anos, 1.122 pessoas com deficiência institucionalizadas; 2.923 trabalhadores das forças de segurança e salvamento; totalizando 858.297 pessoas que já finalizaram o esquema.(Ascom)