Lucas Ramos

Vinte e tres anos sem Cazuza

cazuza2

Cazuza foi uma das personalidades mais consagradas e controversas do rock brasileiro. Jovem, boêmio e poético, teve uma breve, mas intensa, trajetória de vida. Com apenas 32 anos, Cazuza faleceu devido a diversas complicações de saúde decorrentes da Aids. O poeta deixou uma legião de fãs saudosos, e até os dias de hoje conquista novos admiradores com sua obra.

Aos 23 anos, lançou seu primeiro trabalho como integrante do Barão Vermelho. Cazuza foi determinante como figura de criação e a sua entrada no grupo levou ao desenvolvimento de composições próprias.

A partir de 1983, nomes como Caetano Veloso e Ney Matogrosso começaram a apontar Cazuza como um dos grandes poetas de sua geração.

O poeta deixa o Barão Vermelho em 85 quando trabalhavam no quarto álbum do grupo. Cazuza buscava mais liberdade para se expressar musicalmente. Sucessos como “Ideologia”, “Codinome Beija-Flor” e “Exagerado” vieram com a ruptura. E lançou em torno de 5 discos solos até a data de sua morte.

A certeza da Aids se dá em 87, mas Cazuza só revela seu estado ao público 2 anos depois. Ele tentou diversos tratamentos, inclusive fora do país, mas sem resultados significativos.

Em 7 de julho de 1990, Cazuza sofreu um choque séptico causado pela Aids e morreu. No enterro, amigos, familiares e centenas de fãs apareceram. O poeta teve uma vida breve, mas deixou um legado extenso.

Em sua homenagem, sua mãe criou a Sociedade Viva Cazuza que completa também 23 anos hoje. A instituição atua desde 90 fornecendo medicamentos, exames e assistência a pessoas portadoras do vírus HIV. Atualmente, cerca de 140 pacientes por mês recebem tratamento à doença.

Hoje completam 23 anos de seu desaparecimento.





2 comments on “Vinte e tres anos sem Cazuza”

  • Letícia Pereira disse:

    Salve o poeta exagerado! Há 23 anos o Brasil e o mundo perdia um grande poeta, compositor e letrista!!

  • Carmen Suely Martins Azevedo disse:

    Cazuza foi o melhor compositor de todos os tempos, lembro que quando soube que estava doente tive um sonho com ele, neste sonho ele cantava “Faz parte do meu show”, e eu peguei a mão dele e o beijei e disse: “Espero que você fique logo bom”. Não imaginava que esta doença fosse tão grave.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *