Prefeitura de Petrolina alerta sobre imunização contra sarampo

Uma ‘picada’ que pode salvar vidas: é assim, através da vacinação, que a população brasileira fica imunizada contra doenças graves como sarampo e poliomielite. O problema é que a imunização está abaixo do nível preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de 95% de cobertura vacinal. Até maio, em Petrolina, apenas 84,4% das crianças se vacinaram contra o sarampo.  Por isso, a prefeitura destaca a importância da imunização de crianças e adultos no sentido de atualizar sua situação vacinal e ficarem protegidos.

A falta de vacinação, principalmente em crianças, é um fator determinante para a reintrodução do vírus do sarampo no Brasil. Em alguns estados como Roraima e Amazonas já há casos confirmados. Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rondônia já notificaram casos da doença também. Ressalta-se que não são só as crianças que precisam se vacinar: quem tem mais de 26 anos e nunca teve a doença, também deve procurar a imunização.

A vacina é disponibilizada pelo Ministério da Saúde a todos os municípios por meio das Regionais de Saúde. Em Petrolina, a vacina é dispensada pela VIII Geres e está disponível em todas as unidades de saúde do município. A indicação é utilizar a vacina tríplice viral, que evita, além do sarampo, a rubéola e a caxumba. A vacina tríplice viral deve ser aplicada em crianças com 12 meses, além do reforço aos 15 meses com a tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela).

Jovens e adultos até 29 anos, não vacinados anteriormente ou que não se lembram, devem ser feitas duas doses da tríplice viral, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas. Adultos entre 30 e 49 anos (não imunizados ou que não lembram) devem tomar uma dose da tríplice viral. Profissionais de saúde não vacinados devem tomar duas doses da referida vacina, independente da idade. É importante que a população vá a um posto de saúde, munido da caderneta de vacinação, para saber se é preciso fazer a atualização de alguma dose.

 “De acordo com o Ministério da Saúde, o fluxo de pessoas circulando entre os estados pode facilitar a introdução de vírus em territórios que ele não esteja presente. A baixa vacinação pode favorecer essa situação. Por isso, é importante que os petrolinenses verifiquem sua situação vacinal e atualizem sua caderneta de vacinação”, salienta a secretária executiva de Vigilância em Saúde, Marlene Leandro. (Ascom)





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *