Feijão, arroz, café, açúcar, óleo de soja e manteiga tiveram forte aumento no ano de 2016

ICB

A Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) divulga dados da nova pesquisa, realizada pelo curso de Economia da Instituição, que avalia o Índice da Cesta Básica (ICB) na região do Vale do São Francisco. De acordo com os resultados da análise, o mês de dezembro de 2016 apontou inflação de 0,44% nos produtos comercializados em Juazeiro-BA e deflação de 1,63%, em Petrolina-PE. Considerando as duas cidades juntas, a deflação no período foi de 0,64%.

Considerando o ano de 2016, Juazeiro e Petrolina apresentaram inflação de 6,32% e 6,58%, respectivamente. Comparado com o ano de 2015, em 2016 houve uma inflação ainda alta, porém, bem menor que a do ano anterior. Em 2015, os valores foram de 16,33% em Juazeiro e 11,86% em Petrolina.

O preço médio do leite integral, feijão, arroz, café, açúcar, óleo de soja e manteiga teve forte aumento no ano de 2016. Para oDepartamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) esses aumentos estão ligados a redução da área plantada, instabilidade climática, dificuldades da produção, maiores custos de produção, aumento da demanda externa e maior demanda para produção de biocombustíveis, respectivamente.

Apenas o tomate apresentou redução no preço médio acumulado do ano.
Essa redução foi devida a grande disponibilidade do produto no mercado que fez com que os preços reduzissem em comparação com o ano anterior. Segundo o DIEESE, o custo da cesta básica aumentou em todas as capitais estudadas. A maior alta anual ocorreu em Rio Branco-AC (23,63%) e a menor em Recife-PE (4,23%). Porto Alegre-RS fechou o ano de 2016 com o maior custo da cesta básica no Brasil, R$ 459,02 e Recife-PE foi o menor encontrado, R$ 347,96. Em Juazeiro-BA, o custo no mês de dezembro foi de R$ 313,47 e em Petrolina-PE, de R$ 319,22.





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *