Conheça a história do médico australiano especialista em salvamento transformado em herói dos garotos tailandeses

 

Ninguém sabe o valor do que tem, até perdê-lo. Assim é a vida! Acreditamos que a felicidade está no futuro e esquecemos de viver o presente. Valorizamos a família quando não a temos, valorizamos o tempo quando está acabando, valorizamos o frio quando está calor, e valorizamos  o calor quando está  frio. Reclamamos quando temos muito trabalho  e também  quando não temos nada pra fazer. Queremos que nossos filhos cresçam  logo mais quando crescem, temos saudades de quando eram pequenos. Reclamamos dos nossos pais, mais quando eles partem sentimos por não ter dado o último abraço. O futuro é incerto e o passado não volta; Podemos viver apenas o aqui e o agora. Olhe a sua volta e veja as coisas boas acontecendo a todo momento, coisas simples que te fazem se sentir bem, isso é felicidade, ela está ai muito perto, e as vezes deixamos escapar pensando não ser o suficiente. Pense no amor que você recebe e no que você dá, na quantidade de luz que rodeia você, e quando perceber tanta riqueza, pense de novo nos pequenos problemas, São realmente importantes? É por isso que você adia sua felicidade? É hora de escolher; escolha ser feliz mesmo sem ter tudo que gostaria, escolha sorrir.!

Marcelo Martins MM

Richard Harris é o médico australiano que se transformou no grande trunfo para o sucesso do resgate dos 12  tailandeses e do treinador de futebol que estiveram presos numa caverna em Chiang Rai, Tailândia, desde o dia 23 de junho, informa o The Sydney Morning Herald.

O profissional é um anestesista de Adelaide que foi requisitado especificamente pelos especialistas internacionais em mergulho presentes nesta difícil missão

Foi ele que, no sábado, levou a cabo o perigoso mergulho até aos jovens e ao treinador, que possibilitou o início das operações no domingo.

Richard Harris deu o aval ao estado de saúde e psíquico dos rapazes, cujas idades variam entre os 11 e os 16 anos

Segundo o The Adelaide Advertiser, o  médico estaria de férias quando foi contatado para participar nas operações de resgate e aceitou imediatamente. Retirou o corpo de uma amiga de uma gruta

Harris trabalhou seis anos para a MedStar, um serviço de apoio médico, e já esteve envolvido e operações de resgate.

O jornal de Adelaide recorda o episódio em que o médico ajudou a retirar o corpo da amiga Agnes Milowka, 29 anos, arqueóloga marinha, sem vida de uma gruta.

Em 2011, o anestesista disse que Milowka não conseguiu sair da caverna em Millicent, na Austrália, onde morreu.

“Ela não conseguia ver nada e não conseguiu descobrir o caminho para sair da caverna acabando por ficar sem ar”, disse ao Adelaide Advertiser.

De acordo com o site OzTek, o médico também é fotógrafo subaquático, tendo abraçado a tecnologia rebreather para explorar e fotografar cavernas na Austrália e no exterior.

“Harry tem um interesse ativo em segurança de mergulho e investigação de acidentes, especialmente em cavernas e mergulho técnico“, lê-se no site.

 “Ele desempenha um papel fundamental no desenvolvimento de uma capacidade de resgate de cavernas e esgotos na Austrália”.

Segundo o The Sydney Morning Herald , o médico faz mergulho há mais de 30 anos em grutas na Austrália e no exterior, fotografando as cavernas e cartografando perigos, a fim de ajudar a evitar acidentes como este.

Esteve envolvido em explorações de mergulho na China, na Ilha do Natal, na Nova Zelândia e na própria Austrália.

O seu interesse pelo mergulho, pela fotografia e até pelo vídeo levou-o a ter imagens e artigos publicados internacionalmente em publicações de mergulho.

 Também participou em vários documentários, num filme e em duas expedições da National Geographic. Nesta terça-feira(10) depois do encerramento da missão em salvador os garotos tailandeses, o médico foi um dos mais cumprimentados pelas autoridades do país.





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *