Com caixão simbolizando o ‘Pacto pela Vida’, PMs e bombeiros protestam no Recife

Antes do ato, cruzes foram fincadas na praia de Boa Viagem para representar homicídios contabilizados em 2016. Categoria também criticou más condições de trabalho.

Antes do ato, cruzes foram fincadas na praia de Boa Viagem para representar homicídios contabilizados em 2016. Categoria também criticou más condições de trabalho.

Policiais militares e bombeiros integrantes da Associação Pernambucana de Cabos e Soldados (ACS-PE) fizeram, na tarde desta quarta-feira (18), uma caminhada pela Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, para criticar más condições de trabalho dos profissionais. Antes do ato, que teve início às 15h, cruzes foram fincadas na praia de Boa Viagem para simbolizar as vítimas de homicídios no estado. O protesto foi encerrado por volta das 16h30.

Durante a manifestação, um caixão representando o Pacto pela Vida foi enterrado na areia da praia para demonstrar a insatisfação com o programa do governo estadual para reduzir os índices de violência. Ao longo da caminhada, entre os postos 7 e 6 da praia, houve menções e críticas ao Programa de Jornada Extra da Segurança (PJES).

“Nós queremos mostrar como a sociedade está sofrendo com o aumento da violência. Somente no ano de 2016, foram contabilizadas mais de 4.400 mortes. O número é elevadíssimo”, pontua o presidente da ACS-PE, Albérisson Carlos.

Segundo a organização do ato, 700 cruzes foram fincadas na praia e mais de 600 pessoas participaram do protesto. De acordo com a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), a caminhada ocupou duas faixas da Avenida Boa Viagem e, por isso, não houve a necessidade de desvios no tráfego.

Atuando em Operação Padrão desde o dia 7 de dezembro do ano passado, os policiais militares se comprometem em continuar no regime reduzido de trabalho. “Os coletes estão vencidos, e os celulares funcionais dados aos policiais não têm crédito para eles fazerem ligações. Nos batalhões, só saem, no máximo, de dez a 15 viaturas. É claro que entregamos propostas, mas o governo do estado não quer negociar com as associações”, reclama Albérisson.

Para ele, as reuniões entre os comandos da PM e dos Bombeiros com as secretarias de Defesa Social e de Administração do Estado têm sido feitas sem transparência. “A intransigência é muito grande. Não existe negociação geral de governo para governo. Quem representa a categoria são as associações”, pontua.

Respostas: Procurado pelo G1, o comandante geral da PM, Carlos D’Albuquerque, afirmou que as reivindicações dos profissionais não têm fundamento. “Os coletes têm validade até março, e a questão dos celulares não procede”, pontuou.

Em relação às negociações, D’Albuquerque explicou que as reuniões com o governo do estado têm acontecido ao longo do mês de janeiro. “Agora não é mais a hora de opinar. O que tínhamos que fazer, já fizemos. Agora é só uma questão de levar as informações levantadas para a administração estadual. As associações têm feito isso porque há, lá dentro, vontade de promoção pessoal”, critica. Segundo o comandante-geral da PM, uma nova reunião com o Governo está prevista para a tarde desta quarta (18).

Por meio de nota, a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE) classificou o Pacto Pela Vida, integrado por órgãos do Executivo, Legislativo, Judiciário e Ministério Público, “como a melhor política pública de segurança da história de Pernambuco”. A pasta, no entanto, reconheceu que os números de homicícios estão “bem acima do aceitável”, mas esclareceu que já foram adotadas medidas como a redistribuição de evetivo policial e aquisição de equipamentos para batalhões e delegacias para melhorar as estatísticas. (Via: G1 PE)

Capacitação de Armamento e Tiro

aa

A Guarda Municipal de Petrolina-PE em cumprimento ao plano de trabalho previsto no convênio celebrado nº 001/2016 com a Superintendência Regional do Departamento de Polícia Federal da Bahia- SR/DPF/BA, seguindo os requisitos descritos no Art. 5º da portaria nº 365, de 15 de agosto de 2006-DG/DPF, no inciso III, do Art. 40 do Decreto nº 5.123/04. Finaliza com êxito a capacitação de armamento e tiro com todos os integrantes da corporação no Club Top Tiro. Tendo como instrutor credenciado pela Polícia Federal, Antonio Cardoso Sobrinho.

Além disso, com vigência de cinco anos, desde o dia 05 de dezembro de 2016 de forma sistemática e paulatina, o curso de atualização profissional e avaliação psicológica, a cada dois anos, conforme o item nº 2.2 do referido convênio.

Portanto, o treinamento supracitado, visa capacitar e qualificar os Guardas Municipais para oferecer um melhor serviço à população do município de Petrolina e regiões adjacentes, em segurança pública, dentro de sua esfera de atuação e legalidade, como reza a Lei Federal nº 13.022/2014, fundamentado no Estatuto Geral das Guardas Municipais.

Assessoria de Comunicação da Guarda Municipal

LUCAS RAMOS CUMPRE AGENDA DE VISITAS A LIDERANÇAS DO SERTÃO

O Deputado Lucas Ramos visitou nesta segunda-fira

w O Deputado Lucas Ramos visitou nesta segunda-feira(16) o Prefeito de Lagoa Grande Vilmar Capellaro

Com as atividades legislativas em recesso parlamentar, o deputado estadual Lucas Ramos (PSB) concentra o trabalho nas visitas a lideranças de cidades do interior do estado. O roteiro começou em Lagoa Grande e Orocó nesta segunda-feira e segue percorrendo outros municípios do Sertão do São Francisco, Central e Araripe

Em Lagoa Grande, Lucas Ramos reuniu-se com o prefeito Vilmar Capellaro (PMDB). “Foi nossa primeira visita oficial ao novo gestor e aproveitamos para reforçar nosso apoio e compromisso com o desenvolvimento de Lagoa Grande, reforçando ações no abastecimento de água e tratamento de esgoto sanitário”, afirmou o deputado. Depois do encontro, seguiu para Orocó onde foi recebido pelo ex-prefeito Bosco Bione. “Bosco é um grande aliado nosso e que tem, reconhecidamente, importantes serviços prestados a Orocó. Juntos, vamos definir uma estratégia de trabalho para os próximos dois anos”, comentou o parlamentar, que também participa da novena de São Sebastião, padroeiro da cidade.

A agenda continua na terça-feira, quando Lucas visita os prefeitos de Verdejante, Haroldo Tavares (PSB), de Exu, Raimundinho Saraiva (PR) e de Ouricuri, Ricardo Ramos (PSDB). A maratona termina na quarta, após encontros com os gestores de Ipubi, Chico Siqueira (PSB); de Santa Cruz, Eliane Soares (PR) e de Afrânio, Rafael de Perón (PMDB). “Aproveitamos o recesso parlamentar para estarmos ainda mais próximos de lideranças políticas e da população, ouvindo as demandas que irão direcionar nossa atuação na Assembleia Legislativa”, explicou o deputado.

“Perdemos o timing para prender Lula”, diz delegado

xx

Delegado federal Maurício Moscardi Grillo admite crise com a Procuradoria e afirma que agentes públicos ‘não devem querer ser heróis’

VEJA – Ullisses Campbell

Coordenador da Operação Lava Jato na Polícia Federal, o delegado Maurício Moscardi Grillo (foto) afirma em entrevista a VEJA que houve um tempo em que os investigadores tinham provas, áudios e indícios que poderiam caracterizar tentativa de obstrução da Justiça por parte do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Mas hoje, “os elementos que justificariam um pedido de prisão preventiva não são tão evidentes”.

Ele diz também que foi um erro ter levado o petista para depor no Aeroporto de Congonhas porque acabou permitindo a ele passar uma imagem de vítima.

O delegado afirma que a PF ainda não digeriu bem o fato de a corporação ter ficado fora da delação da Odebrecht e que “há uma personificação da parte de alguns procuradores como heróis na força-tarefa”.

E faz um alerta:

Mudanças no comando da PF, como cogita o ministro Alexandre de Moraes (Justiça), podem comprometer o andamento da Lava Jato.

País superlota cadeias com réus sem antecedentes e não violentos

17002128

Detentos no complexo penitenticiário de Pedrinhas, no Maranhão

Folha de São Paulo

Durou 15 minutos a audiência que condenou Felipe, 21, a um ano e oito meses de prisão por tráfico de drogas.

Únicas testemunhas, dois policiais militares responsáveis pela prisão em flagrante foram ouvidos por dois minutos cada um no Fórum Criminal da Barra Funda, em SP. O réu, primário, falou por três minutos e negou o crime. Palavra contra palavra, sem investigação prévia nem produção de provas.

O caso de Felipe –seja ele culpado ou não– é um retrato da disfunção do sistema da Justiça criminal brasileira, que tem lotado penitenciárias do país com réus sem antecedentes criminais, não violentos e sem ligação aparente com facções criminosas.

Boa parte dos presos que entraram no sistema carcerário desde 2006 é enquadrada na Lei de Drogas, que endureceu penas para traficantes, mas retirou a punição de prisão para usuários.

A falta de critérios objetivos para diferenciar tráfico de uso pessoal, como a quantidade de drogas portada no ato do flagrante, é um dos fatores que aumentou a proporção de presos por este crime.

Em 2005, antes da lei, 14% dos crimes pelos quais os presos foram condenados ou acusados eram relacionados ao tráfico. Em 2014, esse número subiu para 28% –um incremento da ordem de 349% em números absolutos.

No mesmo período, entre 2005 e 2014, o número de homicídios no país aumentou 125%, fazendo do Brasil o triste recordista mundial em assassinatos, com quase 60 mil mortes em 2015. O percentual de presos condenados ou acusados de homicídio nas prisões, porém, caiu de 11% para 10%, mantendo-se estável ao longo de uma década.

Com isso, o instrumento da prisão não só tem baixo impacto na redução da violência, como tende, no médio prazo, a agravá-la.

Pesquisa do Núcleo de Estudos da Violência da USP de 2012 apontou que em 62% dos casos de flagrante por tráfico em São Paulo a pessoa era presa com menos de 100 gramas de droga; 80,6% dos detidos eram réus primários.

Estudo do CESeC (Centro de Estudos de Segurança e Cidadania) indica quadro semelhante no Rio: dos acusados de tráfico em 2013, 80,6% eram réus primários e 92,5% não portavam arma de fogo no momento do flagrante.

“Ao colocarmos essas pessoas em presídios dominados por facções, estamos transformando infratores que não são perigosos em pessoas perigosas”, avalia a socióloga e ex-diretora do Sistema Penitenciário do Rio, Julita Lemgruber, do CESeC. “Como a violência dos presídios transborda seus muros, esse crescimento de sua população é um investimento em nossa própria insegurança”, diz.

DEPOIMENTOS

O testemunho de policiais tem sido usado como principal e às vezes única prova para que uma pessoa seja condenada por tráfico de drogas no país. Essa é a avaliação de defensores e especialistas em direito penal.

Com pouca investigação que produza provas e falta de critérios claros para diferenciar traficante de usuário, o depoimento de agentes policiais que efetuam prisões tem prevalecido em julgamentos.

Pesquisa do Núcleo de Estudos da Violência da USP, de 2012, apontou que 74% das prisões por tráfico em SP tinham como únicas testemunhas policiais militares –que gozam de “fé pública”.

No Rio, o Tribunal de Justiça instituiu a Súmula 70, que autoriza juízes a condenarem réus baseados apenas no testemunho policial.

“Se a Justiça autoriza a condenação sem outras provas, o que a defesa pode fazer? Tentamos encontrar contradições nos depoimentos, mas fica difícil defender alguém”, diz Ricardo André de Souza, subcoordenador de defesa criminal da Defensoria do Rio.

Para Cristiano Maronna, vice-presidente Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim), tem ocorrido uma “presunção de tráfico”.

“Não existem provas de que a pessoa seja traficante, mas se infere este crime a partir do local em que ela foi presa, de sua condição socioeconômica, do fato de ter ou não emprego formal, da quantidade de substância e, em especial, da palavra do policial sobre a destinação da droga”,diz.

O estudo da USP apontou que flagrantes de tráfico em SP ocorrem nas ruas (82%), durante patrulha (62%), e que apenas 4% deles eram fruto de investigação.

Pesquisa do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania indica que 72% dos presos por tráfico no Rio em 2013 ficaram presos durante o processo. Depois, apenas 45% deles foram condenados. Em 2/3, os réus não tiveram testemunhas de defesa, apenas de acusação.

“O perfil majoritário do condenado por tráfico é esse: pobre, primário, preso com pouca droga. É o elo mais fraco na cadeia da produção e venda”, diz Vitore Maximiano, defensor público de SP e ex-secretário nacional de Políticas Sobre Drogas.

“Lotamos o sistema com gente do varejo de drogas, facilmente substituível. Quem ocupa a alta hierarquia do tráfico está solto, lavando dinheiro”, diz Luciana Boiteux, professora de direito da UFRJ.

Para Marina Dias Werneck, conselheira da Defensoria Pública de São Paulo e do Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), “muitas leis criadas com objetivo de desencarcerar acabaram expandindo o controle penal”, aumentando o saldo de presos.

“Temos uma cultura punitiva e encarceradora. Não adianta mudar a lei, tem de mudar a mentalidade dos operadores do direito.”

MUTIRÕES

Desde 2008, mutirões carcerários feitos pelo Conselho Nacional de Justiça já beneficiou cerca de 80 mil presos por meio de progressão de regime, liberdade provisória ou direito a trabalho externo.

Em 2016, o Supremo Tribunal Federal decidiu que o chamado tráfico privilegiado –réu primário, com pouca droga e não pertencente a facção criminosa– não pode ser considerado crime hediondo, categoria que limita progressão de pena e indultos. Com base nisso, a Defensoria de São Paulo conseguiu libertar, nos últimos seis meses, mais 1.000 detentos no Estado.

Desde setembro de 2016, o processo que trata da inconstitucionalidade do artigo 28 da Lei de Drogas, que criminaliza a posse de substâncias para uso pessoal, está parado com o ministro Teori Zavascki, que pediu vistas.

Até então, três ministros (Edson Fachin, Luís Roberto Barroso e o relator Gilmar Mendes) haviam defendido a descriminalização. Ainda assim, a ausência de um critério que diferencie quais quantidades configuram uso ou tráfico, baseada em dados concretos de consumo, é criticada por especialistas.

Violência muda hábitos no Grande Recife

violencia ljshjkdsf

79016ec334540bf4a28b12793f9ff58e

Raquel foi assaltada três vezes no intervalo de um ano Alexandre Gondim/JC Imagem

JC Online

O medo ao sair de casa. A janela do carro sempre fechada. O celular que não é tirado do bolso em público. “Sair à noite? Não, é perigoso”. Confesse: você já se pegou pensando no que fazer para driblar a insegurança. E antes que você mesmo ache se tratar de paranoia, um alerta: os crimes contra a propriedade no Estado estão aumentando gradativamente desde 2014.

Depois de cinco anos de redução, entre 2007 e 2013 (com um leve aumento de 6% em 2011), os roubos e furtos cresceram 23,9% em 2014. No final de 2015, aumento de 30,2%. Se pegarmos apenas o período entre janeiro e novembro de 2016 (a Secretaria de Defesa Social ainda não consolidou os dados relativos a dezembro do ano passado), o aumento com relação a todo ano de 2015 já é de 22,5%.

NÚMEROS
Sempre frios no papel, os números são traduzidos em histórias de medo e tensão, que acarretam em drásticas mudanças de hábito. Depois de ser assaltado uma vez e presenciar outras duas ocorrências, tudo no intervalo de um ano, o universitário Daniel Oliveira, 21 anos, incorporou o famoso “celular do ladrão”. “É um aparelho mais modesto, só para o caso de eu ser abordado de novo”, diz.

Na véspera do último Natal, a vendedora Flávia Almeida foi abordada por assaltantes disfarçados de pipoqueiros na Avenida Agamenon Magalhães, bairro do Derby, área central do Recife. “Bateram no vidro do meu carro e mostraram a arma. Tive que dar o celular”. Depois disso, Flávia colocou película escura nos vidros do veículo. “Também evito dirigir à noite, e ando sempre na faixa do meio”.

Depois de três assaltos em um ano, sendo dois no trânsito, a universitária Raquel Vidal já tentou até mudar de aparência. “Já prendi o cabelo e coloquei boné para tentar esconder que sou mulher e evitar abordagens quando estou no carro”, diz, para completar com uma frase desolada: “A gente não tem muito o que fazer. É torcer para não ser outra vítima”.

Para o capitão Marcelo Jacinto, da Polícia Militar, alguns procedimentos de segurança, se adotados, podem reduzir as chances de ocorrências desagradáveis (ver arte da matéria). “Os criminosos procuram por oportunidades. Muitas vezes elas são proporcionadas pela distração das vítimas”, diz.

A Secretaria de Defesa Social (SDS) explica que tem como prioridade o aumento da sensação de segurança. “Desde o início de dezembro de 2016 a sociedade tem sofrido com a Operação Padrão da PM, estimulada por associações militares, o que impossibilitou o emprego de 100% do efetivo nas ruas. Algumas medidas administrativas colaboraram para manutenção da ordem nas vias, como o remanejamento da tropa, antes em serviços burocráticos, para o trabalho ostensivo, as operações Polícia nas Ruas, a inauguração de um novo batalhão (o 25º, em Jaboatão) e o cancelamento das férias de dezembro (2006) e janeiro (2017)”.

Na Bahia, bandidos assaltam lotérica, filma o roubo, esculacha clientes e quatro morrem em confronto com a PM

Assaltantes

Assaltantes do sudeste da Bahia. 04 mortos em confronto com a Policia

Os criminosos estão zombando mesmo das autoridades judiciais do Brasil, acham pouco quando praticam assaltos, e agora estão filmando as ações delituosas deles. Mas, quatro bandidos do município de Itabela, sudeste da Bahia, não tiveram êxito, após esculachar clientes e fazer várias ameaças e até mesmo xingar uma mulher devido seu aparelho telefônico não ser dos novos. Durante a fuga, trocaram tiros com a polícia, onde quatro deles não resistiram e morreram e dois foram presos.

Entenda o Caso: Um dos assaltantes que participou do roubo a uma casa lotérica na esta semana na cidade de Itabela, no sul da Bahia, aparece em um vídeo criticando o celular de uma das clientes, vítima do assalto. “Uma porcaria dessas”, disse o suspeito ao tomar o aparelho das mãos de uma mulher. As imagens foram divulgadas pela Polícia Civil nesta quinta-feira (12).

Conforme a polícia, o vídeo foi gravado por um dos assaltantes que participaram da ação. As imagens foram localizadas em um dos celulares encontrados com suspeitos mortos após confronto com a polícia na região. Fotos com o grupo exibindo armas também estavam armazenadas em um dos aparelhos.

Vídeos de câmeras de segurança do estabelecimento também foram divulgados pela polícia e mostram toda a ação dos suspeitos. Eles parecem agir com tranquilidade. Entram nos guichês da lotérica, pegam dinheiro e pertences de funcionários e saqueiam clientes. Durante o assalto, as vítimas foram ameaçadas. Algumas vítimas chegaram a tentar escapar da ação, mas retornaram ao estabelecimento após as ameaças. “Venha, não volta não. Se voltar vai tomar”, diz um dos assaltantes.

Fuga e confronto: Os suspeitos fugiram após o crime, mas foram interceptados pela PM. Houve confronto e três morreram logo após a ação. Um quarto assaltante foi morto também em troca de tiros com a polícia, na quarta-feira (11). Dois integrantes do grupo foram presos.

Com os suspeitos foram encontrados cerca de R$ 21 mil em espécie, além de cinco armas. O material apreendido e os homens presos foram encaminhados para a Delegacia de Eunápolis. Os presos estão à disposição da Justiça. De acordo com a Polícia Civil, o grupo é de Porto Seguro.(Blog Polícia é Viola)

Em Petrolina, Prefeitura diz que mutirão da limpeza desse domingo(08)retirou mais de 600 toneladas de lixo

Limpeza Vila Eduardo2

No primeiro dia, mutirão de limpeza retira quase 600 toneladas de lixo em Petrolina.

nn

Ação começou na Vila Eduardo e será realizada todos os dias em um bairro diferente.

O dia 08 de janeiro de 2017, trouxe esperança para a população de Petrolina diante de um antigo problema: limpeza pública. Em pleno domingo, equipes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade foram às ruas da Vila Eduardo, zona leste da cidade. O trabalho começou por volta das 6h30 da manhã, na rua Anita Malfate, próximo do campo de futebol. 02 pás carregadeiras e 05 caminhões caçamba realizaram a limpeza do local onde até então existia um ponto de descarte autorizado pela prefeitura.

O prefeito Miguel Coelho fez questão de participar do início das atividades do mutirão de limpeza. Para o gestor, a ação é uma das prioridades do novo governo. “A partir de agora é cidade limpa. Vamos acabar com os entulhos e restos de obras e quem continuar sujando será multado. Nós não podemos deixar que continuem sujando a cidade, jogando lixo em qualquer lugar. Temos que preservar a cidade limpa”, enfatiza Miguel.

Além da retirada de resíduos no terreno perto do campo de futebol da Vila Eduardo, um trabalho de varrição foi realizado na Avenida da Integração, nas proximidades do templo da Seicho-No-Ie, em toda a extensão da Rua Anita Malfate e na Rua Moscou, no Loteamento Nova York, onde outro terreno foi limpo. Ao todo, neste primeiro dia, foram retiradas 583 toneladas de resíduos, entre lixo doméstico, entulho e restos de poda de árvores.Todo o lixo recolhido, foi levado para a Central de Descarte que fica no bairro José e Maria onde será feita a seleção do material. O que não puder ser reciclado, será enviado para a Central de Tratamento de Resíduos Sólidos, que fica a 35 Km da sede do município, na BR 407, rodovia que liga Petrolina ao distrito de Rajada.

PRÓXIMOS PASSOS

O mutirão de limpeza está apenas no começo. A ideia é que todos os dias um bairro de Petrolina receba os serviços. Nesta segunda-feira, as equipes de limpeza vão trabalhar a partir 7h da manhã no bairro João de Deus. O prefeito Miguel Coelho também vai acompanhar os trabalhos. Ao longo da semana, os bairros José e Maria, Gercino Coelho e São Gonçalo também vão ser contemplados.

Para o secretário de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade de Petrolina, Eduardo Carvalho, o mutirão faz parte de uma série de ações que vão ajudar no ordenamento público da cidade. “A partir de pesquisas e das demandas da população na imprensa nesta primeira semana de trabalho, nós já estamos fazendo um diagnóstico para saber quais são os principais pontos de acúmulo de resíduos em Petrolina. Com isso, vamos trabalhar não só para limpar, mas para coibir o despejo deliberado de lixo. Estamos reavaliando as áreas onde o descarte era permitido e tentando identificar os proprietários de terrenos usados como depósito de sujeira para que eles providenciem a limpeza, sob pena de multa”, alerta Eduardo.

Em Pernambuco, Viatura da PM capota e mata duas mulheres

185788,475,80,0,0,475,365,0,0,0,0

Duas pessoas morreram após serem atropeladas por uma viatura da Polícia Militar que capotou no Morro da Conceição, na Zona Norte do Recife, na noite do último sábado (7). O veículo perseguia bandidos quando o motorista perdeu o controle. A viatura parou com as rodas viradas para cima. O acidente chamou a atenção dos moradores e houve grande aglomeração.

De acordo com o comandante do 11º Batalhão de Polícia Militar, o tenente-coronel Ronaldo Tavares, uma viatura do batalhão capotou, durante a perseguição de um suspeito que não quis parar durante uma abordagem no Alto José Bonifácio, também na Zona Norte. A viatura estava com três policiais. O motorista perdeu o controle do carro quando passou em uma lombada.

No capotamento, o carro atingiu a mesa de um bar, onde estavam as vítimas. Duas mulheres morreram e um homem ficou ferido. As mulheres foram identificadas como Ângela Maria Laurentino de França, 54 anos, e Maria das Dores da Silva, de 65.

Os corpos das duas vítimas foram encaminhados ao Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, Centro do Recife. O homem que também foi atingido, Marcelo da Silva, de 45 anos, foi levado para a UPA de Olinda, mas foi liberado e já está em casa. O suspeito que estava sendo perseguido não foi localizado.

Em nota, a Polícia Militar disse lamentar o acidente e acrescentou que será aberta uma sindicância para apurar as circunstâncias do caso, que também será investigado pela Polícia Civil.

PRF registra redução de mortes entre o Natal e o Ano Novo em Pernambuco

Foto_Rodovida 1

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) intensificou a fiscalização nas rodovias federais durante o final de ano a partir da Operação Integrada Rodovida Cidades, que reúne órgãos da União, do estado e dos municípios, com o objetivo de reduzir a violência no trânsito em Pernambuco. Entre os dias 23 de dezembro de 2016 ao dia 1º de janeiro deste ano, foram registrados 109 acidentes, que deixaram 99 feridos e quatro pessoas mortas. No mesmo período do ano passado foram registrados 113 acidentes, com 110 feridos e 18 mortes.

O acidente mais grave ocorreu na tarde do domingo (25), na BR 101, em Ribeirão, na Mata Sul de Pernambuco. Um engavetamento envolvendo seis veículos causou a morte de um motociclista e deixou quatro pessoas feridas. O acidente foi ocasionado por um incêndio no canavial que fica às margens da rodovia e está sendo investigado pela Polícia Civil da região.

Durante esse período, 6960 pessoas e 6585 veículos foram fiscalizados, sendo emitidas 2686 autuações por diversas infrações ao Código de Trânsito. Entre elas, destacam-se 223 por ultrapassagens em local proibido, 96 pelo não uso do cinto de segurança, 20 pela falta da cadeirinha e 19 por conduzir motocicleta sem capacete.

No combate à alcoolemia, foram realizados 1380 testes com o bafômetro, inclusive com o apoio das equipes da Operação Lei Seca, sendo emitidas 24 autuações e presas três pessoas por dirigir sob efeito de álcool. Durante as fiscalizações, também foram recolhidos 158 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVs) e 23 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) por diversas irregularidades.

Foto_Rodovida 4

O combate à criminalidade contou com o apoio do Núcleo de Operações Especiais, dos Grupos de Policiamento Tático e do Grupo de Motociclismo da PRF, sendo presas 12 pessoas por crimes como receptação de veículos roubados, uso de documento falso, tentativa de estupro de vulnerável, tentativa de roubo, dentre outros.

Além disso, as equipes da Base de Operações Aéreas da PRF em conjunto com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) resgataram duas pessoas, que foram vítimas de acidentes graves. E com o objetivo de prevenir acidentes, também foram recolhidos 161 animais que estavam soltos às margens das rodovias e registradas 58,6 toneladas de excesso de peso em veículos de transporte de cargas.

PAULO BOMFIM ASSUME PREFEITURA ENALTECENDO O EX-PREFEITO ISAAC CARVALHO

juramentopb

Sessão Solene na tarde/noite deste domingo (01) no auditório principal do Complexo Multieventos da Universidade do Vale do São Francisco (Univasf), marcou a posse do prefeito de Juazeiro Paulo Bomfim, da vice-prefeita Dulce Ribeiro e dos 21 vereadores eleitos para a legislatura 2017/2020.

A cerimônia foi conduzida pelo vereador Anastácio José de Assis, que era o segundo secretário da Mesa Diretora da Câmara Municipal. Após o juramento e posse dos novos representantes do Executivo e Legislativo foi realizada a eleição para a presidência da Casa Aprígio Duarte que ficou assim constituída:

Alex Tanuri (PSL), Presidente

Anderson da Iluminação (PP), vice-presidente

Jean Gomes (PT), primeiro secretário

Charles Leal (PDT), segundo secretário

Em seguida, ainda no Espaço Multieventos da Univasf, o prefeito Isaac Carvalho fez a transmissão do cargo para o novo gestor municipal, Paulo Bomfim. Ambos assinaram documento de início e término de cada mandato.

Ao fazer uso da palavra o novo prefeito de Juazeiro fez rasgados elogios ao seu antecessor Isaac Carvalho “Tenho o maior orgulho de ter participado das duas gestões do maior prefeito da história de Juazeiro e deste projeto que ao longo de oito anos mudou a cara da nossa cidade. Com o foco na saúde nós passamos a administrar Juazeiro para melhorar a cada dia a vidas pessoas” destacou Paulo Bomfim.

Eleito e empossado na presidência da Câmara Municipal o vereador Alex Tanuri fez uma saudação especial à sua família e ao povo que o elegeu, bem como aos seus pares que de forma unânime o colocaram na função dirigente do Poder Legislativo Municipal. “Registro a importância do prefeito Isaac Carvalho e do prefeito Paulo Bomfim que foram fundamentais na composição da atual Mesa Diretora da Casa. Reafirmo meu compromisso com o progresso de Juazeiro e vou administrar a Câmara com todos os vereadores” prometeu Alex.(Blog de Geraldo José)

Posse em Petrolina será no Teatro Dona Amélia neste domingo(1)

15826079_1586728498010692_8535695669270265856_n (1)

Resultado de imagem para prefeito eleito diplomado em petrolina

A solenidade de posse dos novos vereadores e do prefeito Miguel Coelho (PSB) e vice-prefeita Luska Portela (DEM), eleitos no último pleito do dia 02 de outubro desse ano em Petrolina vai acontecer às 17:30 horas, no Teatro Dona Amélia do Sesc (Serviço Social do Comércio), que fica na avenida Fernando Goes (próximo a Apami), Centro Petrolina.

A informação é da Câmara de Vereadores que será a patrocinadora do evento. Após a posse o prefeito Miguel Coelho participa da transmissão de cargo, já na Prefeitura Municipal de Petrolina, quando o Prefeito Júlio Lóssio passa o comando para o Prefeito eleito Miguel Coelho. Já no cargo, Miguel deve acompanhar Júlio Lossio até o seu carro e retorna para sua primeira fala como Prefeito empossado. Aguardem novas informações

Etíope vence São SIlvestre na arrancada final; Queniana bate recorde

63557176_PA-Sao-PauloSP31-12-201692-Corrida-Internacional-de-Sao-Silv

Resultado de imagem para Etíope vence São SIlvestre na arrancada final; Queniana bate recorde

Em uma chegada espetacular, o etíope Leul Aleme conseguiu uma arrancada para vencer a prova masculina da São Silvestre neste sábado, em São Paulo. Ele completou a prova em 44m52, tempo inferior ao recorde histórico da lenda queniana Paul Tergat (433min12).

Aleme superou na reta final o seu compatriota Dawit Admasu, campeão da prova em 2014, que completou a prova em 44min55. O queniano Stephen Kosgei completou as três primeiras colocações com o tempo de 45min00.

Brigando pela liderança até a subida da Avenida Brigadeiro Luis Antônio, o brasileiro Giovani dos Santos ficou com a quarta colocação, fechando o percurso em 45min30. Willian Kibor, do Quênia, fechou as cinco primeiras colocações com 45min49.

Recorde no feminino

Já entre as mulheres, a campeã olímpica da maratona da Rio-2016, a queniana Jemima Sumgong, dominou a prova e bateu o recorde histórico feminino com o tempo de 48min34. O melhor tempo anterior pertencia a Priscah Jeptoo, que fez 48min48s em 2011.

Especialistas em corridas de longa distância, Sumgong se adaptou bem à ruas de São Paulo e somou mais um título importante nesta temporada. A queniana venceu também a Maratona de Londres em 2016.

A segunda colocação ficou com a queniana Flomena Cheyech, com 49s14. Eunice Chumba, da Bahamas, (50min24), a etíope Ymer Ayalew (51min40) e a queniana Ester Kakuri 51min45) completaram as cinco primeiras colocações.

Apostas para a Mega-Sena da Virada podem ser feitas até as 14h de amanhã

30-07-2014-megasena-foto-rafael-neddermeyer-fotos-publicas-6-1024x768
Maiana Diniz – Repórter da Agência Brasil

As apostas para a Mega-Sena da Virada podem ser feitas até as 14h (horário de Brasília) de amanhã (31) em qualquer casa lotérica do país. O prêmio está acumulado em R$ 225 milhões e pode aumentar até a hora do sorteio, previsto para as 21h.

O valor do jogo varia de acordo com a quantidade de números escolhidos. A aposta mínima, para quem joga seis números, custa R$ 3,5. O valor aumenta para cada número escolhido. Para jogar 15 números, o máximo possível, o valor da aposta é R$ 17.517,50. No caso do Bolão Caixa, que é a aposta feita em grupo, o valor mínimo é de R$10 nas casas lotéricas.

Brasília - Movimentação nas lotéricas às vésperas do sorteio da Mega-Sena da Virada (Wilson Dias/Agência Brasil)
É possível fazer as apostas em qualquer casa lotérica do país Wilson Dias/Agência Brasil

O prêmio faz parte dos sonhos de milhões de brasileiros, mas a probabilidade de acerto na Mega- Sena é muito pequena. Para quem joga seis dezenas, a chance de ser sorteado é de uma em 50.063.860. Já para quem aposta 15 números, a chance sobe para 1 em 10 mil.

Desde 2009, quando ocorreu o primeiro concurso da Mega Sena da Virada, 28 brasileiros acertaram as seis dezenas. No primeiro ano, o prêmio de R$ 144,9 milhões foi dividido entre dois vencedores. Em 2015, houve o maior número de vencedores na faixa principal: seis apostadores (três deles do Espírito Santo) dividiram o valor de RS 247 milhões. Até hoje não houve vencedor solitário na primeira faixa de premiação.

Para os que tiram a sorte grande, o prêmio pode ser a garantia de uma vida financeira tranquila. Segundo a Caixa Econômica Federal, os gerentes do banco especializados em atender novos milionários garantem que, fazendo bons investimentos, é possível viver da renda do prêmio, transformando a sorte em segurança financeira. A orientação é que os clientes definam bem seus objetivos antes de gastar, para decidirem, por exemplo, se precisam de mais liquidez ou não, lembrando que quanto menos se tira do montante, maior é o rendimento.

Premiação

A premiação da Mega da Virada é distribuída por três faixas, para quem acerta seis, cinco e quatro números. Se ninguém acertar as seis dezenas, o prêmio é dividido com os que acertaram cinco números. Não havendo acertadores de cinco, o prêmio é rateado entre os que acertaram quatro números.