HairVale, maior Feira de Beleza do Nordeste será lançada em Petrolina – PE

 

Petrolina vai conhecer no próximo dia 28 de fevereiro (quarta-feira), o projeto da Feira de Beleza do Vale do São Francisco – HairVale. O lançamento acontece a partir das 19h no auditório do Senac e reunirá representantes do segmento, parceiros como Sebrae e Senac, imprensa e o prefeito do município, Miguel Coelho.

Durante o evento, os realizadores da feira – a empresa Autonor Empreendimentos em parceria com o Sebrae e a prefeitura de Petrolina – vão apresentar as etapas do projeto que culmina com a realização da HairVale no Centro de Convenções Senador Nilo Coelho, de 10 a 12 de novembro próximo.

“Vamos mobilizar cabeleireiros, manicures, maquiadores, proprietários de centros de estética e profissionais do segmento de beleza do Vale do São Francisco com a meta de garantir aqui o sucesso da última edição em Recife – PE, onde recebemos 52 mil visitantes, 380 expositores e resultados de R$21 milhões em negócios”, adiantou a coordenadora do evento, Bruna Miranda.

Segundo ela, a feira vem para a cidade devido ao potencial de crescimento que o segmento tem no Vale. Para Miranda, apesar das crises política e econômica vividas no país, o mercado de cosméticos tende a investir na região. “Cidades como Petrolina, Lagoa Grande (PE), Juazeiro (BA), entre outras, se destacam pela enorme quantidade de clientes, empresários e profissionais da beleza em busca de novidades e lançamentos”. E continua. “A HairVale vem justamente para atender toda a cadeia produtiva com um conteúdo diferenciado e serviços para qualificação do setor e melhoria do mercado”, diz ela.

Na edição de 2017, o evento concentrou no Recife mais de 80 caravanas, com visitantes de municípios do interior de Pernambuco e de outros estados.  Bruna lembra ainda que com a plena expansão do segmento da beleza no Vale do São Francisco, os empresários precisam estar atentos às novas tendências e como fidelizar seus clientes. “É preciso inovar se quisermos estar preparados para atender a um mercado cada vez mais exigente, e a feira tem esse objetivo”, afirma.

De acordo com o levantamento dos organizadores, em 2017 o evento superou em 18% a quantidade de público em relação ao ano anterior. Segundo Bruna Miranda, esse sucesso também é esperado para Petrolina. “Temos uma diversidade muito grande de pessoas preocupadas com a aparência, e elas querem conhecer mais sobre as tendências do mercado da beleza para a região; então a expectativa é de grande fluxo de visitantes, expositores e a realização de negócios”, conclui. (Ascom) 

Mais informações: (81) 3467-6572

Convocação Geral


Grave acidente na BR 428 entrada do N.10 com vitima fatal

Um grave acidente ocorreu nesta noite de domingo(18) na Br 428, entrada do Núcleo-10, Projeto Senador Nilo Coelho, sentido Petrolina-Recife. A vitima segundo as primeiras informações chamava-se Adão, conhecido como Maroto e morava no N.11, pilotava uma moto e bateu de frente com um carro e a pancada foi tão forte que decepou um dos braços e morreu no local. A Policia Rodoviária Federal e o IML já foram  avisados.Aguardem novas informações.

Convocação Geral


Os inusitados acidentes e fatos de Juazeiro e Petrolina nestas ultimas horas

 

Motorista perdeu o controle do veiculo e bateu no poste e saiu do local sem se identificar. O fato foi na  RUA CABROBÓ BAIRRO VILA EDUARDO PETROLINA-PE, nesta tarde de domingo(18).

 

Veículo provavelmente  abandonado nas proximidades do lixão em Juazeiro-Ba. O fato já foi repassado para a Policia Militar. Placa: JNY-1184 – Salvador-BA

Veiculo capotou nesse sábado(17) no final da tarde,  na descida do Viaduto Barranqueiro, sentido Juazeiro-Petrolina. Sem vitima fatal.

Convocação Geral


Vergonha! Mulher perde bebê após esperar parto por mais de 24 horas em Juazeiro; família acusa hospital de negligência

Uma mulher perdeu o bebê após ter que esperar mais de 24 horas por parto na maternidade municipal de Juazeiro, no norte da Bahia. O corpo da criança foi enterrado no cemitério central da cidade, neste sábado (17).

Segundo familiares, a bebê Ana Liz morreu ainda na barriga da mãe, Luíza Evandra Silva de Brito, de 18 anos. De acordo com as avós, Elizabete Barbosa da Silva e Benedita Almeida da Silva, a jovem não teve problemas durante a gravidez.

Elas contaram que Luíza foi internada com muitas dores na última quinta-feira (15), mas o parto só foi realizado na sexta (16) à noite, mais de 24 horas depois.

“Só revolta. Uma pessoa tão pequenininha, tão indefesa, e já vítima de uma negligência médica”, disse a avó materna, Elizabete Silva. “Muita tristeza. Ontem quando eu soube da notícia, eu passei mal…eu esperava essa netinha com o maior carinho”, disse emocionada Benedita Silva, avó paterna.

Em nota, a secretaria de Saúde de Juazeiro disse que a paciente chegou à maternidade em fase não aparente de trabalho de parto, e que na sexta-feira, na fase final, com o aumento das contrações, não foi possível ouvir o feto, e a paciente foi submetida a uma cesariana de urgência. A equipe tentou reanimar o feto, mas sem sucesso.

*Família denuncia negligência*

De acordo com as avós, no hospital, apesar das dores, disseram que a jovem teria que aguardar para que o parto fosse realizado.

“Desde quinta. [Estava] Perdendo sangue, pouco, mas estava perdendo…força não tinha mais. E a médica virava para mim e dizia ‘o procedimento, eu estou fazendo, e é esse daqui, não posso mudar, não posso fazer uma cesariana na sua filha’”, contou a avó materna, Elizabete.

Segundo a família de Luíza, a médica só decidiu fazer o parto cesárea depois que percebeu que o coração da bebê já não batia mais. Para a avó da criança, Elizabete Silva, se essa decisão tivesse sido tomada antes, a neta não teria morrido.

“Infelizmente, a bebê veio a óbito. Eu disse [à médica] ‘por quê a senhora matou? A senhora poderia ter salvado. Por questão de minuto a senhora poderia ter colocado ela na sala de cirurgia, e deveria ter salvado a vida da bebê’”, contou Elizabete emocionada.

*Atestado contesta família*

Segundo a secretaria de Saúde de Juazeiro, um rompimento no útero, situação rara, mas grave, teria sido a causa provável da morte do feto. No laudo do atestado de óbito, a causa apontada é o descolamento prematuro da placenta. E dois dos sintomas podem ser o sangramento e as dores abdominais.

A direção da maternidade ressaltou que a taxa de mortalidade do hospital é baixíssima e disse que apurou imediatamente o ocorrido e tomou as medidas necessárias junto à equipe assistencial, mas não informou quais foram essas medidas. (FONTE G1-BA)

Convocação Geral


18 de Fevereiro, Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo. Preconceito e desinformação dificultam combate ao alcoolismo

Resultado de imagem para Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo
Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil

A maioria das pessoas não sabe que o alcoolismo é uma doença. O alerta é feito pelo membro do Alcoólicos Anônimos (A.A.), Tadeu T.B., sóbrio há três anos e que faz parte do comitê de divulgação do grupo. “Existe muito preconceito e ele é originado da desinformação, acham que a pessoa que tem problema com a bebida alcoólica é por falta de caráter, de vergonha na cara, e outras expressões pejorativas que acabam utilizando”, explica.

Hoje (18) é lembrado como o Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo, data instituída para conscientizar a população sobre a doença e os prejuízos causados pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Segundo Tadeu, há diversas formas de se informar e buscar ajuda, e uma delas é o A.A. “Há linhas diferentes de buscar solução para o problema. As políticas públicas buscam a redução de danos, enquanto o A.A., por exemplo, busca a abstinência total”, compara.

Segundo dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), feita pelo Ministério da Saúde, em 2016, a frequência do consumo abusivo de bebidas alcoólicas foi de 19,1%, sendo cerca de duas vezes maior em homens (27,3%) do que em mulheres (12,1%). Considera-se uso abusivo quem ingeriu de quatro a mais doses para mulheres, ou cinco a mais doses para homens, em uma mesma ocasião dentro dos últimos 30 dias antes da pesquisa.

Tadeu explica que a  pessoa que sofre com o alcoolismo ou sua família precisa procurar ajuda, pois há uma dificuldade muito grande na aceitação da doença. Ele contou que o pai também é alcoólatra e conseguiu deixar o vício com tratamento psiquiátrico, utilizando remédios. “Tentei essa forma e comigo não funcionou”, diz.

“É cultural, todas as ocasiões sociais são regadas a muita bebida. Então, a dificuldade é que, ao tirar esse momento, a pessoa não sabe o que fazer na vida, não tem perspectiva”, explicou. “Vive-se em negação por muito tempo, dar o braço a torcer é muito difícil”, diz. Mesmo depois que o alcoólatra consegue aceitar a ajuda, segundo Tadeu, o alcoolismo é um problema crônico que exige atenção para o resto da vida.

Fator agravente

O aumento no percentual de brasileiros que combinam álcool e direção também foi demonstrado pela pesquisa Vigitel. Em 2016, 7,3% da população adulta das capitais brasileiras declararam que bebem e dirigem. No ano anterior, o índice foi de apenas 5,5%. Um aumento de 32%, em apenas um ano, segundo o Ministério da Saúde.

O álcool pode ocasionar ou ser um fator agravante para várias doenças, tanto fisiológicas quanto psicológicas e comportamentais. “Difícil achar um alcoólico que não pensou em se suicidar”, conta Tadeu.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o uso nocivo do álcool é um fator causal para mais de 200 doenças e condições de lesão. No mundo, 5,1% da carga global de doenças e lesões é atribuída ao álcool.

O importante, segundo Tadeu, é procurar ajuda, seja com o médico, o psicólogo ou com grupos como o A.A. A irmandade possui cerca de 5 mil grupos espalhados pelo país e não tem vínculos com nenhuma religião ou partido político. Informações e orientações sobre o A.A. estão disponíveis no site da organização.(Agência Brasil)

Convocação Geral


Apostador de Curitiba-PR ganha sozinho na Mega-Sena desse sábado(17)

A Caixa Econômica Federal realizou neste sábado (17) o concurso 2.015 da Mega-Sena. As dezenas sorteadas foram: 17 – 18 – 27 – 32 – 39 – 58. Uma aposta de Curitiba ganhou sozinha, e levou R$ 104,5 milhões.

Outras 130 pessoas acertaram na Quina. O prêmio para cada uma é de R$ 51.593,19. Já a Quadra teve 12.558 acertadores, e o prêmio para cada um é de R$ 762,98. O sorteio foi às 20h (horário de Brasília) em Vinhedo (SP). O próximo concurso da Mega-Sena acontece na quarta-feira (21), e tem expectativa de prêmio de R$ 3 milhões.

Convocação Geral


Pensa que acabou? Ainda tem folia em Pernambuco neste domingo(18)

Para quem já iniciou a contagem regressiva para o próximo Carnaval, ainda dá tempo de aproveitar os últimos dias em clima de folia. Diversas programações em cidades da Região Metropolitana – Recife, Olinda e Camaragibe – e em municípios do Interior do Estado – Surubim e Buenos Aires – prometem arrastar milhares de foliões às ruas. Desde o tradicional desfile do bloco Camburão da Alegria, passando pelo encontro de blocos líricos até uma maratona de apresentações culturais com maracatus, bois e bonecos gigantes.

O 26º desfile do Camburão da Alegria – bloco formado por policiais e bombeiros militares – é realizado pelo segundo ano consecutivo em Olinda, neste domingo (18), com o tema “Em terra de gigantes”. A concentração do bloco começa às 11h, na praça 12 de Março, no Carmo. Os foliões seguem um percurso de dois quilômetros, desfilando pela avenida Getúlio Vargas, até o Bairro Novo seguindo quatro trios elétricos. Os cantores Nonô Germano, Marquinho Balada e André Viana; as bandas Luará e Extasy, a Orquestra da Polícia Militar e a Bateria Cabulosa são algumas atrações confirmadas.

Entre a tarde do sábado (17) e a noite do domingo, a Secretaria de Transportes e Trânsito de Olinda faz bloqueios fixos (com manilhas de concreto) entre a praça 12 de Março e a rua Eduardo de Moraes (lateral do Shopping Patteo), que impedem o acesso à avenida Getúlio Vargas. Outros seis bloqueios móveis serão montados pelos agentes de trânsito para garantir a segurança do folião que for ao Camburão da Alegria 2018.

Tradição no bairro da Bomba do Hemetério (zona Norte do Recife), há 15 anos, o Maestro Forró e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (OPBH) comandam, neste domingo, o encontro Todos São Maestros. A concentração tem início às 14h, na sede da OPBH. Depois o grupo segue pelas ruas da comunidade com três horas de percurso. A ideia da festa, como o próprio tema sugere, é que os foliões possam ser maestros por alguns minutos fazendo releitura de várias músicas.

Em Camaragibe, a despedida do Carnaval ocorre com matinê infantil, shows e encontros de blocos líricos no Palco Bianor, na Vila da Fábrica. No sábado, às 18h, ocorre o desfile das agremiações e grupos de cultura popular campeões da cidade. Participam clubes de frevo, ursos, bois, caboclinhos e blocos de samba-reggae.

Depois, sobe ao palco o cantor Gonzaga Leal. No domingo é a vez o público infantil confere o Domingo na Vila com o cantor Pochyua, às 16h. O desfile dos blocos líricos está marcado para as 18h. Às 21h, Maciel Salu mostra seu Baile de Rabeca.

Interior: Conhecido por encerrar as festividades carnavalescas do Estado, há 32 anos, Surubim (Agreste) homenageia o compositor e multi-instrumentista Capiba, filho ilustre do município. São três dias de festas, com programação iniciada na sexta-feira e seguindo até domingo.

No sábado, além do desfile tradicional de blocos líricos e de rua, há shows da Família Salustiano, às 20h30, e da Orquestra New Frevo. No domingo, há a escola de samba Preto Velho, o desfile do Boi Surubim e apresentações de maracatus da Zona da Mata, bonecos gigantes e trios elétricos.

Já Buenos Aires (Mata Norte) realiza neste fim de semana o 1º Encontro de Cultura Popular Revivendo o Carnaval. No sábado, das 14h às 17h, acontecem cortejos de maracatus, caboclinhos e bois da região seguidos de show do Quinteto Violado. No domingo, a partir das 16h, apresentam-se Mamulengo Riso da Noite, Cocos Popular e de Pareia, Ticuqueiros, Sumprema Corte, Afoxé Ylê de Egbá, Orquestra de Frevo Zezé Correia e o cantor Benil. (Via: Folha PE)

Convocação Geral


Reforma não mexe na aposentadoria rural

Por Marquezan Araújo e Jalila Arabi

Para quem estava preocupado com mudanças na aposentadoria rural, a notícia é boa. Por se tratar de um tema polêmico, o governo Federal resolveu deixar a aposentadoria rural de fora do texto da reforma da Previdência. Na última quarta-feira (07), foram apresentadas mudanças no texto, mas as regras para os mais de sete milhões e meio de agricultores familiares se aposentarem continuam as mesmas.

De acordo com a proposta inicial, tanto homens como mulheres do campo deveriam se aposentar aos 65 anos de idade e com 25 anos de contribuição obrigatória. No entanto, ficaram mantidas as idades de 55 anos para mulheres e 60 para homens. A contribuição, nesse caso, fica por conta do percentual da produção.

“De moro geral, precisa ser feito um ajuste na Previdência. Mas não necessariamente vai-se conseguir passar todos os pontos. Então, do ponto de vista político, é interessante que você deixe de lado alguns aspectos para que outros aspectos mais importantes possam ser ajustados”, avalia o especialista em finanças Marcos Melo.

Ainda de acordo com Melo, um fator que pode contribuir para o déficit da Previdência são as fraudes em torno do sistema das aposentadorias rurais. Dados da Secretaria de Previdência apontam que, nos últimos quatro anos, foram cancelados mais de 37 mil benefícios irregulares.

 

Convocação Geral


Veja as imagens do domingo. Curta e compartilhe

Convocação Geral


Horário de verão termina neste domingo(18). Infraero pede que passageiros se informem sobre os horários de voos

O horário brasileiro de verão termina à meia noite deste domingo (18/2). A população de dez estados e do Distrito Federal (DF) deverá atrasar os relógios em uma hora: Rio Grande do Sul (RS), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Minas Gerais (MG), Espírito Santo (ES), Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS) e Goiás (GO).

Em caso de dúvidas sobre o horário dos voos, a Infraero recomenda aos passageiros e usuários que procurem informações junto às companhias aéreas, balcões de informações nos terminais ou ainda com os empregados da empresa nos terminais vestidos com coletes amarelos “Posso Ajudar?”.(Ascom)

Convocação Geral


HU-Univasf realizará evento sobre segurança do paciente em abril

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (HU-Univasf), através do Setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente, realizará, entre os dias 17 e 19 de abril, o I Simpósio de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente do Vale do São Francisco, no auditório da biblioteca da Univasf (Campus Sede – Petrolina/PE). A programação inclui palestras, mesas-redondas, apresentação de trabalhos, minicursos e workshops.

Com o mote “Excelência do fator humano para a segurança do paciente”, o evento visa promover discussões, trocas de experiências e conhecimento científico sobre a segurança do paciente, que é um dos pilares da gestão moderna em saúde. O tema será abordado em todo o seu contexto de aplicabilidade, seja acerca da tecnovigilância (manuseio, uso e finalidade dos materiais e equipamentos hospitalares), da implementação dos desafios globais propostos, do gerenciamento de risco, do ensino e pesquisa e da gestão da segurança do paciente em ambiente de saúde.

As inscrições são gratuitas e seguem abertas até o início de abril para ouvintes e até o fim de fevereiro para aqueles que desejarem submeter trabalhos, sendo realizadas através do site do evento (www.svssphuunivasf.wixsite.com/svssp-huunivasf), no qual também estão disponíveis a programação completa e demais informações.

Além de contar com profissionais atuantes no HU-Univasf, o simpósio receberá convidados da Universidade de Pernambuco (UPE), do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC-UFMG) e do Hospital Paraná. A comissão organizadora espera atrair participantes dos hospitais universitários filiados à Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), além de mobilizar profissionais, estudantes, pesquisadores, gestores em saúde, unidades de saúde e demais interessados.

O evento reforça ainda a campanha Abril pela Segurança do Paciente, mês em que o Ministério da Saúde instituiu o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP), no ano de 2013, contribuindo para a qualificação do cuidado em saúde em todo o país.​

Sobre a Ebserh

Desde janeiro de 2014, o HU-Univasf faz parte da Rede Ebserh. Estatal vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do SUS, e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, administra atualmente 39 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh. (Ascom)

Convocação Geral


Na TV Jornal, Júlio Lóssio fala de seu momento e das perspectivas no programa ´Resenha Politica´

Resultado de imagem para Júlio Lóssio fala de seu momento e das perspectivas no programa ´Resenha Politica´

Jornalistas Jamildo e Geovani da Tv Jornal, prontos para a entrevista com o ex-prefeito Júlio lóssio

O ex-prefeito de Petrolina e pré-candidato ao Governo do Estado, Júlio Lóssio,  esteve nessa sexta-feira(16) no programa  ´Resenha Politica` da Tv Jornal do Comércio, sendo sabatinado pelos jornalistas Jamildo Melo e Giovanni Sandes.

Em quase trinta minutos de entrevista, Lóssio falou um pouco de seus objetivos políticos, de sua pré-campanha ao governo do estado, sua passagem pela Prefeitura de Petrolina, sua experiencia administrava e seu conhecimento dos problemas do estado de Pernambuco. No final disse estar preparado para a missão.

Acompanhe a entrevista e ouça as intervenções  de  Júlio comentando as suas  perspectivas politicas para este ano de 2018.

Convocação Geral


Campus Petrolina Zona Rural abre inscrições para programas de assistência estudantil de 3 a 25/02

O campus Petrolina Zona Rural do IF Sertão-PE divulgou o edital nº 01/2018, referente à seleção de estudantes para ingresso nos programas de assistência estudantil. As inscrições acontecem de 5 a 23 de fevereiro.

De acordo com o edital, são oferecidos auxílios moradia (160 vagas), transporte (350 vagas), residência estudantil (96 vagas, sendo 32 feminino e 64 masculino) e creche (16 vagas), com valores que variam de R$ 60 a R$ 160.

Podem concorrer estudantes regularmente matriculados no campus Petrolina Zona Rural nas modalidades Médio Integrado, Subsequente, Superior e Proeja, prioritariamente em situação de vulnerabilidade socioeconômica. O estudante poderá acumular auxílios de naturezas distintas, exceto a Residência Estudantil, que não poderá ser acumulada com os auxílios transporte e moradia. Os alunos veteranos (vinculados até 2017.1), não podem ter sido reprovado por falta em duas ou mais disciplinas durante o ano letivo de 2017.

As inscrições podem ser feitas através da entrega de comprovante de preenchimento de formulário eletrônico (disponível aqui) e de  documentação exigida pelo edital, que deverá ser digitalizada em formato PDF e anexada ao formulário eletrônico. O resultado preliminar deverá ser divulgado no dia 28 de fevereiro e o resultado final no dia 5 de março. 

Clique aqui para conferir o edital nº 01/2018 completo. (Ascom)

Convocação Geral


A disputa por saneamento em Pernambuco

No Cabo, várias localidades não têm tratamento de esgoto / Foto: Diego Nigro/ JC Imagem

No Cabo, várias localidades não têm tratamento de esgoto. Foto: Diego Nigro/ JC Imagem

ANGELA FERNANDA BELFORT E RENATA MONTEIRO(JC)

Com a proximidade da eleição, volta à tona uma discussão que já se tornou antiga: a municipalização dos serviços de água e esgoto. As prefeitura do Cabo de Santo Agostinho, no Sul do Grande Recife, e a de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, estão se estruturando para que esses serviços passem a ser prestados pela esfera municipal. A primeira chegou a publicar, com a aprovação da Câmara Municipal, a Lei 3.203 de 12 de maio de 2017 criando uma empresa para assumir o esgotamento sanitário e a distribuição de água. A segunda, por sua vez, já selecionou cinco empresas para elaborar estudos técnicos, jurídicos e financeiros sobre os setores e, em junho deste ano, promete lançar edital para escolher a companhia que vai explorar o serviço sob concessão na cidade.

A gestão desses serviços representaria mais uma fonte de receita para os municípios, além da possibilidade de contrair financiamentos para fazer grandes obras necessárias. Tanto em Petrolina como no Cabo de Santo Agostinho o serviço seria superavitário, caso fosse prestado de forma isolada. Mas o interesse pelo serviço também passa pelo cenário político. Tanto o prefeito do Cabo, Lula Cabral, quanto o de Petrolina, Miguel Coelho, apesar de serem do mesmo partido do governador Paulo Câmara (PSB), têm flertado com opositores ferrenhos ao governo estadual. Miguel, inclusive, é filho de Fernando Bezerra Coelho (PMDB), pré-candidato ao Palácio do Campo das Princesas e um dos principais adversários de Paulo no pleito deste ano.

Os gestores municipais negam motivação política para as movimentações em torno do tema. Segundo os socialistas, a mobilização se dá porque a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) presta um serviço deficiente à população. “Concordo que para quem vê de fora, em ano eleitoral, acha que é só uma questão política. Isso, com todo respeito, é uma justificativa muito pobre, porque não vê o mau serviço prestado pela Compesa ao longo de vários anos em Petrolina”, avaliou Miguel Coelho, que já relatou casos de áreas da cidade que passam cerca de 20 dias sem abastecimento de água. Petrolina, entretanto, tem índices de atendimento de água e esgoto maiores do que a média do Estado e da Região Metropolitana do Recife (RMR).

A tentativa de municipalizar os serviços de água e esgoto em Petrolina vem desde 2001, quando FBC exercia seu primeiro mandato como prefeito da cidade e fazia oposição a Jarbas Vasconcelos (PMDB), então governador do Estado. Mudanças de gestão e batalhas judiciais, no entanto, atrasaram o processo, que foi autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2006, já que o município não faz parte de um sistema integrado de saneamento, atuando de forma isolada.

CABO

A situação do Cabo, no entanto, é diferente. Por estar localizada no Grande Recife, a cidade deve gerir os serviços de água e esgoto de forma integrada com o Estado, segundo o presidente da Compesa, Roberto Tavares, que cita a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) de nº 1842 do Supremo Tribunal Federal (STF) que trata da titularidade para prestar o serviço de água e esgoto nas Regiões Metropolitanas e sistemas integrados numa decisão tomada em 2013. E resume: “O STF retirou essa atribuição do município sozinho decidir o que fazer nas regiões metropolitanas. O interesse não é local, mas regional”. A Compesa é superavitária desde 2012 e no ano passado registrou um lucro de R$ 182 milhões em 2017. Esse resultado é fruto das cidades que são superavitárias na prestação do serviço, como Cabo e Petrolina.

O secretário de assuntos jurídicos do Cabo de Santo Agostinho, Osvir Guimarães Thomaz, disse não ter conhecimento da ADI nº 1842. “Estamos avaliando se vamos comprar a água bruta, tratar e distribuir a mesma. Ou se faremos uma concessão na área de água e esgoto e nesse caso, o município do Cabo, seria somente o regulador do serviço”, contou. Mas o serviço de esgoto do Cabo já não está numa concessão que é a Parceria Público-Privada (PPP) do Saneamento? “A Compesa não cumpriu o cronograma dessa concessão. O esgotamento sanitário não andou em nada. E isso dá o direito do serviço ser prestado pelo município”, resumiu.

PPP DO SANEAMENTO

A PPP do Saneamento previa a universalização do serviço nos 14 municípios da Região Metropolitana do Recife mais Goiana. Inicialmente, a empresa privada que estava à frente da PPP era a Odebrecht Ambiental, subsidiária da Construtora Odebrecht, cujo ex-presidente Marcelo Odebrecht foi preso em 2015 em decorrência da Operação Lava Jato, que revelou um esquema de propina bilionário envolvendo construtoras, políticos e diretores da Petrobras. Isso descapitalizou a empresa que vendeu a sua participação da PPP para o fundo canadense Brookfield, que passou a se chamar BRK.(JC)

Convocação Geral


Lei que fixa tempo máximo de espera em bancos segue desrespeitada

Prestes a completar 15 anos em vigor, legislação não é atendida pelos bancos, clientes esperam horas em agências e poucos procuram seus direitos

A lei estabelece o tempo máximo de espera nas filas dos bancos não deve exceder 15 minutos / Foto: Tato Rocha/Acervo JC Imagem

A lei estabelece o tempo máximo de espera nas filas dos bancos não deve exceder 15 minutos
Foto: Tato Rocha/Acervo JC Imagem
Anderson Nascimento –JC Online

Dia de resolver questões bancárias, todo mundo já sabe. É preciso ter paciência e saber que irá esperar pelo menos uma hora por um atendimento, relativamente, simples. No entanto, a Lei Estadual nº 12.264, que estabelece um tempo máximo de espera nas filas dos bancos – conhecida como Lei dos 15 minutos, completa 15 anos agora em 2018. Mas apesar da fiscalização de órgãos de defesa do consumidor e multas que podem chegar a R$ 30 mil, clientes e usuários continuam enfrentando longas horas para conseguir atendimento nas agências bancárias de todo País.

A lei estabelece que o tempo máximo de espera nas filas dos bancos não deve exceder 15 minutos. Porém, o limite de espera pode chegar até 30 minutos em dias específicos: em vésperas de feriados e dia útil seguinte ao feriado; datas de vencimentos de tributos; e dias de pagamento de servidores públicos.

De acordo com o gerente de fiscalização do Procon-PE, Roberto Campos, fiscalizações mensais são realizadas nas 609 agências bancárias de todo o Estado. As visitas acontecem, geralmente, nos cinco primeiros dias de cada mês, quando o fluxo de clientes é maior. Em 2017, 114 agências foram autuadas pelo Procon-PE. De janeiro deste ano ao dia 15 deste mês, o órgão fiscalizador já realizou 29 autuações nos bancos Santander, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Itaú.

As multas aplicadas variam de R$ 20 mil a R$ 30 mil por cada infração e, em casos extremos, pode haver a interdição da área de negócios do banco, deixando apenas os caixas (guichês) funcionando para não penalizar ainda mais a população. “O consumidor pode fazer a denúncia para que o Procon possa autuar a instituição. Como ele pode também buscar dano moral pelo constrangimento. O judiciário já vem encarando que o fato do banco descumprir a lei constitui um constrangimento indenizável”, explicou Campos.

Como fazer a denúncia?

Para realizar uma denúncia o cidadão precisa solicitar que o atendente registre na sua senha de atendimento o horário que ele, enquanto cliente, terminou de ser atendido. Em seguida, basta se dirigir a uma das 54 unidades de atendimento do Procon em todo o Estado e realizar a queixa.

O economista Ciron Souza, de 52 anos, contou que precisava descontar um cheque na ‘boca do caixa’ pois necessitava do dinheiro com urgência e não daria tempo de esperar um depósito compensar em sua conta. Ele passou três horas para ser atendido na agência do Bradesco, localizada no bairro da Encruzilhada, Zona Norte do Recife. Ciron resolveu acionar a instituição financeira no Juizado Especial de Pequenas Causas e o banco foi condenado a indenizá-lo em R$ 3 mil por danos morais.

“A lei existe e funciona, o problema é que a maioria das pessoas não tem conhecimento dela ou não buscam seus direitos. Se todos buscassem, certamente os bancos iriam começar a cumprir a lei e atender bem a população para não ter que ficar pagando indenizações”, opinou o economista.

Já o estudante universitário Anderson Pacheco (foto abaixo), de 30 anos, acredita que nenhum banco respeita a lei. “Nenhum deles atende em 15 ou 30 minutos. Hoje estive na Caixa Econômica Federal da Avenida Getúlio Vargas, em Olinda, e estava lotada. Para pagar um boleto e fazer um depósito, passei cerca de 1h30 na fila. Deveria haver mais fiscalizações para fazer cumprir a lei”, relatou o estudante, que apesar de conhecer as Lei dos 15 minutos, não pretende acionar a Justiça: “Não quero me estressar mais, correr atrás de mais problemas.”

“Para pagar um boleto e fazer um depósito, passei cerca de 1h30 na fila. Deveria haver mais fiscalizações para fazer cumprir a lei”, comentou o universitário Anderson Pacheco.

O que diz a Febraban

A reportagem do JC questionou a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) sobre o descumprimento da lei que completa 15 anos sem ser cumprida agora em 2018. Em nota, a instituição informou que prestação de serviços com qualidade é preocupação central dos bancos associados. A federação disse que ainda que os bancos, anualmente, investem cerca de R$ 20 bilhões em tecnologia com o intuito de melhorar o atendimento aos clientes.

Ainda de acordo com a Febraban, em 2002, o total de transações realizadas na “boca do caixa” representava 22,8% das operações bancárias, mas começou a perder participação como canal de atendimento dos clientes, e já em 2016, essa participação recuou para 5,3%.

Para o Procon-PE, essa redução pode ter relação com o fato dos bancos incentivarem seus clientes a baixarem aplicativos e realizarem transações por meios digitais. Já o Sindicato dos Bancários de Pernambuco ressaltou que se a lei fosse realmente cumprida, novos funcionários deveriam ser contratados para o atendimento ao cliente se tornasse mais ágil.

Nota oficial

“A prestação de serviços com qualidade é preocupação central dos bancos associados à FEBRABAN. Nesse sentido, destinam somas significativas em tecnologia para melhor atender seus clientes. Anualmente, os bancos investem cerca de R$ 20 bilhões em tecnologia.

Os esforços dos bancos se estendem também a melhorias de eficiência no atendimento das agências bancárias, bem como dos PABs (postos de atendimento bancários) e PAEs (postos de atendimento eletrônico).

Esse investimento na otimização da rede bancária ocorre mesmo com o forte crescimento das operações por meio eletrônico em detrimento das agências, que vêm perdendo participação como canal de atendimento. Em 2002, o total de transações realizadas na “boca do caixa” representavam 22,8% das operações bancárias. Em 2016, essa participação recuou para 5,3%, segundo dados da Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2017.

A FEBRABAN e seus bancos associados realizam um trabalho constante para reduzir o tempo de espera para atendimento nas agências bancárias. Seja se adequando às leis municipais ou estaduais que determinam o tempo de atendimento, ou estipulando tempos máximos para atendimento por meio de seu programa de autorregulação, nas localidades onde não há lei específica para o tema.”(Jornal do Comércio)

Convocação Geral